Denúncia de praxes violentas na Escola Naval. “Tortura do sono” e “sacos na cabeça”

A Marinha recebeu há alguns dias queixas de pais que, sob anonimato, denunciaram alegadas praxes violentas sobre alunos do 1.º ano da Escola Naval.

De acordo com os relatos, esta quinta-feira divulgados pelo Diário de Notícias, os cadetes foram sujeitos a “tortura do sono”, obrigados a andar com “sacos amarrados na cabeça”, a estarem “em tanques de água noites a fio” e foram também deixados “nus na parada”.

“Não quero chorar a morte do meu filho, como as mães dos [recrutas] comandos” falecidos no início do curso em setembro de 2016, disse a mãe de um dos cadetes em declarações ao matutino sem revelar a sua identidade.

De acordo com a mesma mãe, o seu filho “tirou fotos” para documentar algumas das situações mas estas foram eliminadas por superiores, porque os telemóveis dos cadetes “são vistos” com frequência e “o direito de privacidade não existe”.

Os exemplos apontados por esta mãe vão ao encontro do relato publicado por um pai de um cadete, através de uma publicação no Facebook do passado domingo, na qual escreve que “os alunos são privados do sono, dormindo, em média seis horas por semana”. Mário Antunes dá ainda conta que os alunos “adormecem nos testes (…), sendo raro os que conseguem tirar [notas] positivas”, descreve.

O porta-voz da Escola Naval, o comandante Pereira Fonseca, disse ao DN que “de mediato foi iniciado um procedimento interno para averiguar sobre a veracidade dessas práticas”. No entanto, e das “averiguações realizadas não se concluiu qualquer indício de práticas contrárias aos valores, aos regulamentos, à disciplina, à moral e à ética que rege a Escola Naval”, acrescentou.

O comandante Pereira da Fonseca garantiu que “não são toleradas práticas de praxe” na Escola Naval, sublinhando que os 63 cadetes do primeiro ano – dos quais 13 são raparigas – “são enquadrados por um conjunto selecionado de alunos do 4.º ano, que partilham o alojamento e os apoiam na integração na vida da EN e no seu sucesso escolar”.

De acordo com o porta-voz, nenhum dos 63 cadetes deste ano desistiu da recruta, nem pediu para o fazer. Além disso, nota, as únicas “ocorrências médicas relevantes” foram “dois surto de gastroenterite que afetaram os alunos de todos os anos”, disse ainda.

ZAP //

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. São os Comandos, é a GNR, agora a Escola Naval, sem contar com as reiteradas praxes nas escolas do país.
    Começa a revelar-se uma das característica do povo português, sempre que lhe é dado PODER para elevar o seu triste ego, humilhando quem está sujeito.
    A Justiça continua branda em conluio com as situações, tentando não intervir e esquecer, como aconteceu nas 5 mortes do Meco, e em todas as outras situações em que nada se pode dizer porque corre o inquérito e está tudo “em segredo de justiça”.
    Portugal está cada vez mais perigoso e injusto.

  2. Isto é o regabofe generalizado. Já só falta praxar os paraquedistas e os da FAP. E a pergunta a propósito disto tudo: quando é que vamos começar a praxar os deputados, já que os meninos (E meninas) Da a.R. Se recusam a marcar presença através de dados biométricos (Esses não falham a menos que mandem amputar e embalsamar o dedo e depois emprestar a um amigo para marcar a presença).

  3. DÁ-me a sensação de que neste país existem muitos candidatos a ditadores, mal apanham um pouquinho de Poder sentem-se logo donos e senhores disto tudo, sou completamente contra a falta de respeito e ética mas quando aquele que comanda não tem categoria para tal e subjuga o seu subordinado inverte a situação não é pessoa para ocupar tal cargo e na prática cai ao mais baixo nível de valor como ser humano ao valer-se apenas do Poder que lhe conferiram faltando-lhe a personalidade e o valor humano para lidar com os demais.

  4. Exercerem poder e, no caso particular de jogarem com a nudez dos outros, satisfazerem “alguma coisinha” reprimida e recalcada…

  5. Parece que estão a confundir as coisas. As praxes académicas nada, nada têm a ver com isto. A Escola Naval, e todas as outras escolas militares, são escolas de guerra, GUERRA. Os papás que apenas querem “taxos” para os seus “filhinhos”, não os coloquem naquelas escolas. Nunca serem apartados de um telemóvel já é muito discutível, só por si. “Cuitadinhos” coisinhas ricas da mamã, não sabem que ali se aprende a matar gente e que se pose ver pessoas aos bocados, “tadinhos”. A guerra não é um jogo virtual, jogado de sofá ao calor duma lareira.

  6. Tenho o meu rapaz na academia no 1 ano….foi para lá porque quis….concordo com a praxe, desde que não se ultrapasse os limites…no caso de algum cadete do 2º ou 3º ano abusar da dose, quando digo abusar quero dizer magoar a sério…esse cadete ou cadetes levarão comigo….se calhar vão perceber o que é uma verdadeira praxe….praxar tudo bem, quem abusar tem de perceber que existem cadetes que têm pais atravessados e não é um tribunal que resolve o problema, sou eu mesmo!!!!

RESPONDER

PRR. Nome de Vítor Caldeira na mesa para presidir à Comissão de Auditoria e Controlo

O inspetor-geral de Finanças vai presidir à Comissão de Auditoria e Controlo (CAC) que acompanhará a implementação do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) e que deverá, também, integrar o ex-presidente do Tribunal de Contas …

Altice Portugal avança "nas próximas semanas" com despedimento coletivo

A Altice Portugal confirmou esta terça-feira à Lusa que vai dar início, "nas próximas semanas", a um processo de rescisões de contratos de trabalho através de despedimento coletivo, no âmbito do Plano Integrado de Reorganização, …

BE e PAN criticam "falta de liberdade de expressão" no Porto

As deputadas do Bloco de Esquerda e do PAN na Assembleia Municipal do Porto criticaram a “falta de liberdade de expressão” na cidade, depois de dois grafitis terem sido “apagados pelos serviços da autarquia”. “Soubemos que …

Marcelo pede aos jovens que facilitem vacinação em "corrida contrarrelógio"

O Presidente da República fez esta terça-feira um apelo aos jovens para que não deixem de se vacinar e adequem a habitual mobilidade no período do verão para facilitar um processo de vacinação em "corrida …

“Nenhum país está preparado para um evento da magnitude de Pedrógão Grande", diz Comissão Técnica Independente

O engenheiro António Salgueiro, da Comissão Técnica Independente (CTI) que avaliou os incêndios na Região Centro em junho de 2017, afirmou esta terça-feira que nenhum país está preparado para a magnitude do fogo de Pedrógão …

Escócia também adia desconfinamento para julho

A Escócia também decidiu adiar o desconfinamento por várias semanas, tal como Inglaterra, devido ao agravamento da pandemia no Reino Unido, que registou 27 mortes e 11.625 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas. Inicialmente …

Países do Golfo continuarão dependentes do petróleo por mais uma década

Um estudo da agência de notação financeira Moody's revelou que os países exportadores de petróleo do Golfo vão continuar dependentes da produção de hidrocarbonetos pelo menos na próxima década. Segundo o estudo, citado pela agência Reuters, …

PSP do Porto reforça policiamento no São João e apela ao cumprimento das regras

A PSP do Porto garantiu, esta terça-feira, que vai reforçar o policiamento na noite de São João, de quarta para quinta-feira, e apela ao cumprimento das regras atendendo ao contexto atual da pandemia de covid-19. “Solicita-se …

UE garante compra de mais 150 milhões de doses da vacina da Moderna

A Comissão Europeia aprovou esta terça-feira a alteração ao segundo contrato com a farmacêutica Moderna para a ativação, em nome de todos os Estados-membros da União Europeia (UE), de 150 milhões de doses adicionais em …

Lisboa sobe mais de 20 lugares no ranking. É a 83.ª cidade mais cara do mundo

Lisboa é a 83.ª cidade mais cara do mundo em termos de custo de vida, subindo 23 posições no ranking em relação ao ano passado, num estudo da Mercer divulgado esta terça-feira, que é liderado …