David Luiz: “Um dos dias mais especiais da minha vida” – e ainda se fala sobre Jorge Jesus

Alexandre Vidal / Flamengo

Flamengo ficou mais próximo de mais uma final da Libertadores, depois de derrotar o Barcelona de Guayaquil. David Luiz estreou-se.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O Flamengo venceu o Barcelona de Guayaquil por 2-0, na primeira “mão” das meias-finais da Copa Libertadores. Bruno Henrique destacou-se e David Luiz estreou-se.

Gabriel Barbosa, ex-Benfica, foi um bom companheiro de ataque da figura do encontro: Bruno Henrique, que marcou os dois golos, ambos na primeira parte. Gabigol fez a assistência para o primeiro e esteve na jogada do segundo golo.

O jogo no Maracanã ficou ainda marcado por dois cartões vermelhos, um para cada equipa: Léo Pereira pelo Flamengo e Molina, da equipa do Equador.

David Luiz estreou-se pelo Flamengo. O também antigo jogador do Benfica voltou a representar uma equipa brasileira, 15 anos depois de ter saído do Vitória precisamente rumo a Lisboa.

Depois do duelo com o Barcelona, o defesa-central, que não jogava há mais de quatro meses, admitiu à FlaTV: “Sem dúvida nenhuma que este é um dos dias mais especiais da minha vida“.

“Eu, que saí muito cedo do Brasil, poder voltar e voltar num dia tão importante, numa meia-final de Libertadores no Maracanã. Agradeço a Deus porque sou um privilegiado sem dúvida nenhuma”, reforçou o internacional brasileiro, que foi titular e saiu aos 57 minutos, cedendo o seu lugar a Léo Pereira – que viria a ser expulso perto do final, por acertar com o braço na cara de Fernando León.

Jorge Jesus, ainda

Na análise a este jogo, o jornalista Paulo Vinícius Coelho recordou os tempos do Flamengo de…Jorge Jesus.

O jornalista, mais conhecido como PVC, recordou o ano mágico de 2019, no qual Jesus levou o Flamengo ao título nacional e continental – com o apoio de mais de 50 mil adeptos por jogo, na altura.

Na noite passada não estiveram 50 mil, por causa das restrições relacionadas com a COVID-19, mas a vitória e o apoio de mais de 30 mil pessoas fizeram lembrar esse “ano mágico” do Flamengo de Jesus.

PUBLICIDADE

“É impossível voltar no tempo para saber o que aconteceria com o Flamengo se Jorge Jesus permanecesse, mas também se Rogério Ceni pudesse entrar no Maracanã com adeptos”, escreveu Paulo no Globoesporte, recordando o treinador anterior do Flamengo, Ceni, despedido em Julho deste ano.

Agora o retomar da ligação entre adeptos e equipa “aproxima o Flamengo de Renato Gaúcho (treinador actual) da versão de Jorge Jesus”.

  Nuno Teixeira, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.