David guardou uma pedra durante anos pensando que era ouro. Afinal, era bem mais raro

(dr) Museums Victoria

Em 2015, David Hole estava a explorar Maryborough Regional Park, perto de Melbourne, na Austrália. Com um detetor de metais, descobriu algo fora do comum: uma rocha avermelhada muito pesada que repousava em argila amarela.

Maryborough fica na região de Goldfields, onde a corrida do ouro na Austrália atingiu o auge no século XIX. David levou-a para casa e tentou de tudo para a abrir, uma vez que estava certo de que havia uma pepita de ouro no interior da rocha.

David tentou uma serra de pedra, uma afiadora, uma broca e até mesmo a colocou em ácido. Mas nem mesmo uma marreta funcionou. Isto porque o que estava a tentar arduamente abrir algo que não era uma pepita de ouro.

Como descobriu anos depois, era, na verdade, um meteorito raro. Incapaz de abrir a rocha, mas ainda intrigado, David levou o meteorito para o Museu de Melbourne para ser identificado.

“Tinha um visual esculpido e ondulado“, disse o geólogo Dermot Henry, do Melbourne Museum, ao The Sydney Morning Herald. “Formam-se quando chegam através da atmosfera, derretem do lado de fora e a atmosfera esculpe-os.”

De facto, depois de 37 anos a trabalhar no museu e a examinar milhares de rochas, Henry explica que apenas duas eram verdadeiros meteoritos. Este foi um dos dois.

Os investigadores publicaram recentemente um artigo científico na revista Proceedings of the Royal Society of Victoria, descrevendo o meteorito de 4,6 mil milhões de anos, ao qual chamaram Maryborough, em honra da cidade onde foi encontrado. O meteorito tem 17 quilogramas e, depois de usar uma serra para diamantes para cortar uma pequena fatia, descobriram que a sua composição tem uma alta percentagem de ferro, tornando-se uma condrita comum H5.

“Os meteoritos são a forma mais barata de exploração espacial. Transportam-nos de volta no tempo, fornecendo pistas sobre a idade, formação e química do nosso Sistema Solar (incluindo a Terra)”, explica Henry em comunicado divulgado pelo Museums Victoria. “Alguns fornecem um vislumbre do interior profundo do nosso planeta. Em alguns meteoritos, há poeira estelar ainda mais antiga que o Sistema Solar, o que nos mostra como as estrelas se formam e evoluem para criar elementos da tabela periódica”.

Além disso, “outros meteoritos raros contêm moléculas orgânicas, como aminoácidos: os blocos de construção da vida”.

Embora os cientistas ainda não saibam de onde veio o meteorito e por quanto tempo pode ter estado na Terra, têm algumas suposições. O nosso Sistema Solar já foi uma pilha de poeira e rochas condríticas. Eventualmente a gravidade puxou muito deste material para os planetas, mas as sobras acabaram num grande cinturão de asteróides.

“Este meteorito em particular provavelmente vem do cinturão de asteróides entre Marte e Júpiter, e foi retirado de lá por alguns asteróides que se esmagavam. Um dia, bateu na Terra”, explicou Henry ao 10 daily. A datação por carbono sugere que o meteorito esteve na Terra entre 100 e 1.000 anos e houve vários avistamentos de meteoros entre 1889 e 1951 que podem corresponder à sua chegada ao nosso planeta.

Os pesquisadores argumentam que o meteorito de Maryborough é muito mais raro que o ouro. É um dos apenas 17 meteoritos já registados no estado australiano de Victoria e é a segunda maior massa condrítica, depois de um enorme exemplar de 55 quilos identificado em 2003. “Este é apenas o 17º meteorito encontrado em Victoria, enquanto já foram encontradas milhares de pepitas de ouro”, disse Henry.

Não é o primeiro meteorito a demorar alguns anos para chegar a um museu. Uma rocha espacial demorou 80 anos e dois proprietários antes de chegar a um museu.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Não são só os lagartos. Os jacarés também são capazes de regenerar a sua cauda

Os jovens jacarés americanos (Alligator mississippiensis) têm a capacidade de regenerar as suas caudas até 18% do comprimento total do seu corpo, concluiu uma nova investigação da Universidade Estadual do Arizona, nos Estados Unidos. "O que …

"Morri no Paralelo79N". Diário revela as últimas horas de um explorador que morreu sozinho na Gronelândia

Os investigadores analisaram a última entrada do diário de explorador polar do século XX, Jørgen Brønlund, incluindo uma curiosa mancha negra, escrita antes de morrer sozinho no nordeste da Gronelândia, descobrindo o que lhe aconteceu …

Cybershoes. O problema de andar em Realidade Virtual pode já ter uma solução

Um dos problemas com os jogos de Realidade Virtual é que, normalmente, as experiências são definidas numa escala maior do que uma sala de estar. Assim, o jogador acaba por ter de ficar numa parte …

"Um tsunami de dívidas". O mundo deve a si mesmo 277 mil milhões de dólares

Prevê-se que até ao final deste ano, a dívida da economia mundial atinja os 277 mil milhões de dólares. A pandemia de covid-19 é um dos fatores responsáveis. A pandemia de covid-19 não só está a …

Empresas podem negar trabalho a quem não se quiser vacinar

"É obviamente possível" que as empresas evitem contratar um trabalhador se não quiserem ser vacinadas contra a covid-19. A presidente do Comité Económico e Social Europeu (CESE), Christa Schweng, admitiu a possibilidade de uma empresa se …

"A Suitable Boy". Um beijo numa série da Netflix provocou um escândalo (social e político) na Índia

A Netflix está a enfrentar uma reação negativa na Índia por causa de uma cena de um beijo entre duas personagens na série A Suitable Boy ("Um bom partido"). O partido no poder já pediu …

Irmãos transformaram 7 linhas de código num império de 36 mil milhões de dólares

Patrick e John Collison são dois jovens empreendedores irlandeses que fundaram a Stripe, uma empresa que criou uma solução alternativa para os pagamentos online, avaliada em 36 mil milhões de dólares. Em vez de construirem soluções …

ECDC. Portugal terá "níveis muito baixos" de novos casos se mantiver restrições

Se Portugal mantiver as restrições adotadas atualmente, irá registar em dezembro “níveis muito baixos” de novos casos de covid-19. O Centro Europeu para Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC), criado com a missão de ajudar os …

Com apenas 14 anos, Xiaoyu é o adolescente mais alto do mundo. Mede 2,21 metros

Ren Keyu nasceu na China a 18 de outubro de 2006, e no dia em que comemorou o seu 14º aniversário recebeu também o título do Guinness World Records do adolescente mais alto do mundo, …

Jerónimo "não está a prazo" no PCP (e vai continuar a negociar com o PS)

O PCP continua disponível para negociar com o PS, mas não a troco de nada. Quanto ao quinto mandato consecutivo enquanto secretário-geral do partido, Jerónimo avisou, este domingo, que não está "a prazo". No discurso de …