David guardou uma pedra durante anos pensando que era ouro. Afinal, era bem mais raro

(dr) Museums Victoria

Em 2015, David Hole estava a explorar Maryborough Regional Park, perto de Melbourne, na Austrália. Com um detetor de metais, descobriu algo fora do comum: uma rocha avermelhada muito pesada que repousava em argila amarela.

Maryborough fica na região de Goldfields, onde a corrida do ouro na Austrália atingiu o auge no século XIX. David levou-a para casa e tentou de tudo para a abrir, uma vez que estava certo de que havia uma pepita de ouro no interior da rocha.

David tentou uma serra de pedra, uma afiadora, uma broca e até mesmo a colocou em ácido. Mas nem mesmo uma marreta funcionou. Isto porque o que estava a tentar arduamente abrir algo que não era uma pepita de ouro.

Como descobriu anos depois, era, na verdade, um meteorito raro. Incapaz de abrir a rocha, mas ainda intrigado, David levou o meteorito para o Museu de Melbourne para ser identificado.

“Tinha um visual esculpido e ondulado“, disse o geólogo Dermot Henry, do Melbourne Museum, ao The Sydney Morning Herald. “Formam-se quando chegam através da atmosfera, derretem do lado de fora e a atmosfera esculpe-os.”

De facto, depois de 37 anos a trabalhar no museu e a examinar milhares de rochas, Henry explica que apenas duas eram verdadeiros meteoritos. Este foi um dos dois.

Os investigadores publicaram recentemente um artigo científico na revista Proceedings of the Royal Society of Victoria, descrevendo o meteorito de 4,6 mil milhões de anos, ao qual chamaram Maryborough, em honra da cidade onde foi encontrado. O meteorito tem 17 quilogramas e, depois de usar uma serra para diamantes para cortar uma pequena fatia, descobriram que a sua composição tem uma alta percentagem de ferro, tornando-se uma condrita comum H5.

“Os meteoritos são a forma mais barata de exploração espacial. Transportam-nos de volta no tempo, fornecendo pistas sobre a idade, formação e química do nosso Sistema Solar (incluindo a Terra)”, explica Henry em comunicado divulgado pelo Museums Victoria. “Alguns fornecem um vislumbre do interior profundo do nosso planeta. Em alguns meteoritos, há poeira estelar ainda mais antiga que o Sistema Solar, o que nos mostra como as estrelas se formam e evoluem para criar elementos da tabela periódica”.

Além disso, “outros meteoritos raros contêm moléculas orgânicas, como aminoácidos: os blocos de construção da vida”.

Embora os cientistas ainda não saibam de onde veio o meteorito e por quanto tempo pode ter estado na Terra, têm algumas suposições. O nosso Sistema Solar já foi uma pilha de poeira e rochas condríticas. Eventualmente a gravidade puxou muito deste material para os planetas, mas as sobras acabaram num grande cinturão de asteróides.

“Este meteorito em particular provavelmente vem do cinturão de asteróides entre Marte e Júpiter, e foi retirado de lá por alguns asteróides que se esmagavam. Um dia, bateu na Terra”, explicou Henry ao 10 daily. A datação por carbono sugere que o meteorito esteve na Terra entre 100 e 1.000 anos e houve vários avistamentos de meteoros entre 1889 e 1951 que podem corresponder à sua chegada ao nosso planeta.

Os pesquisadores argumentam que o meteorito de Maryborough é muito mais raro que o ouro. É um dos apenas 17 meteoritos já registados no estado australiano de Victoria e é a segunda maior massa condrítica, depois de um enorme exemplar de 55 quilos identificado em 2003. “Este é apenas o 17º meteorito encontrado em Victoria, enquanto já foram encontradas milhares de pepitas de ouro”, disse Henry.

Não é o primeiro meteorito a demorar alguns anos para chegar a um museu. Uma rocha espacial demorou 80 anos e dois proprietários antes de chegar a um museu.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Físicos já conseguem espreitar o gato de Schrödinger sem o matar

Pode haver uma forma de espreitar o gato de Schrödinger - a famosa experiência mental baseada em felinos que descreve o comportamento misterioso das partículas subatómicas - sem matar permanentemente o animal hipotético. O gato de …

Acesso à Internet deve ser considerado direito humano básico

Uma nova investigação, levada a cabo pela Universidade de Birmingham, no Reino Unido, concluiu que acesso à Internet deve ser um direito humano básico, pois significa a capacidade participar na vida pública. Merten Reglitz, professor de …

Fórmula 1 quer atingir emissões zero de CO2 até 2030

A Fórmula 1 pretende reduzir a zero as emissões de CO2 até 2030, com base num plano que pretende “pôr em marcha de imediato”, anunciou esta terça-feira a Federação Internacional do Automóvel (FIA). O plano divulgado …

A Tesla vai lançar a sua misteriosa pickup “cyberpunk” elétrica ainda este mês

A nova Tesla Cybetruck já tem data de lançamento após um longo tempo de espera. O fundador da empresa, Elon Musk, anunciou que a carrinha "pickup" será revelada no dia 21 de novembro. O anúncio foi …

Asteróide "potencialmente perigoso" aproxima-se da Terra esta quarta-feira

Um asteróide com 147 metros de diâmetro, caracterizado pela NASA como "potencialmente perigoso" vai aproximar-se da Terra esta quarta-feira. Em causa está o corpo rochoso UN12 2019, explica a agência espacial norte-americana, dando conta que o …

Encontrado submarino da II Guerra Mundial que esteve perdido durante 75 anos (devido a um erro de tradução)

Uma equipa de exploradores oceânicos privada encontrou na costa do Japão um submarino do exército norte-americano do tempo da II Guerra Mundial, que estava desaparecido há 75 anos por causa de um erro num dígito …

Uma casa esteve a afundar-se no Tamisa para alertar para a subida do nível dos oceanos

No passado domingo, quem passou junto ao rio Tamisa, em Londres, não deverá ter ficado indiferente à típica casa dos subúrbios ingleses que se afundava perto da Tower Bridge. Felizmente, de acordo com a agência Reuters, …

A defesa de Lage é a melhor do Benfica em quase 30 anos

A defesa de Bruno Lage leva apenas quatro golos sofridos em 11 jornadas, o que faz dela a melhor defesa do campeonato e a melhor do Benfica desde a temporada de 1990/1991, escreve o jornal …

OE2020. “Não vamos para negociar”, esclarece Jerónimo de Sousa

O PCP vai reunir esta quarta-feira com o Governo com vista ao Orçamento de Estado para 2020. Jerónimo de Sousa esclareceu esta terça-feira que os comunistas não vão para negociar, sendo "manifestamente exagerado dizer que …

Benjamin "morreu" enquanto cumpria pena de prisão perpétua. Agora está vivo e quer a liberdade

Um norte-americano, de 66 anos, que cumpre pena de prisão perpétua por ter espancado um homem até à morte em 1996, pretendia ser libertado, uma vez que o seu coração parou por breves instantes. Em 1996, …