“Cúmplice de violações dos direitos humanos”. Google é o novo alvo dos ativistas

(cv)

O Google, que adotou o lema “don’t be evil” (“não seja mau”), entrou para um clube corporativo anteriormente restrito a petrolíferas, gigantes da mineração e fabricantes de armas.

Na semana passada, mais de 60 organizações defensoras dos direitos humanos, incluindo a Amnistia Internacional e a Human Rights Watch, exigiram que o Google encerre a iniciativa de lançar um mecanismo de pesquisa censurado na China, afirmando que a decisão poderia tornar a empresa “cúmplice de violações dos direitos humanos”.

“Bem, o Google uniu as organizações de direitos humanos”, escreveu Vanessa Harris no Twitter, segundo o Bloomberg.

Mais de uma semana antes, a Amnistia tinha acusado o Google de ajudar o governo chinês a espiar os seus cidadãos e publicou um anúncio falso de vaga de emprego no Twitter para ajudar a empresa a substituir funcionários que possam ter pedido a demissão por causa do projeto “Dragonfly”.

“Quando entrei no Google, nunca imaginei que algum dia nos tornaríamos alvo de um ataque em forma de anúncio da Amnistia Internacional”, respondeu Harris no Twitter, acrescentando um emoji com uma cara triste ao tweet. “O Google para o qual entrei (aparentemente? falsamente? realmente?) defendia muito mais do que aumentar a receita de publicidade”, acrescentou.

“Os funcionários do Google importam-se muito, muito mesmo com a ética“, disse Yana Calou, gerente de treino do grupo de defesa Coworker.org, que trabalha com alguns ativistas da equipa do Google. “Houve uma certa quebra de confiança.”

Outras gigantes de tecnologia também já foram alvo de protestos, e o Google tem sido criticado por especialistas em privacidade e foi multado por órgãos reguladores de concorrência europeus. Mas a gigante da Internet, que cria produtos adorados por milhares de milhões de pessoas.

Agora, à medida que a empresa expande o seu alcance já amplo para novos mercados com o intuito de manter o crescimento de receitas, o Google é muito parecido com qualquer outra grande empresa está a consolidar-se – dentro e fora da empresa.

“A razão para todo este choque é que as pessoas foram trabalhar no Google com uma certa sensação de que estavam a construir tecnologias que beneficiam a sociedade“, disse Joe Westby, investigador da Amnistia Internacional.

Iniciativas como o Dragonfly, juntamente com os enormes tamanho e poder do Google, minaram esta imagem. Trata-se de uma das empresas mais valiosas do mundo, que controla o modo em que uma parte significativa das informações do mundo flui na Internet.

O Google está a desenvolver também uma tecnologia de inteligência artificial que tem o potencial de tomar outras decisões importantes. Este tipo de poder exige um escrutínio maior, segundo Westby.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Tspiras vence moção de confiança com margem mínima

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, viu esta quinta-feira o parlamento aprovar um voto de confiança, dias depois de ter terminado a coligação que viabilizava o seu Governo. Com 151 votos favoráveis, dos 300 parlamentares, Tsipras viu …

Parlamento discute a legalização da canábis para fins recreativos

A legalização da canábis para uso recreativo é debatida esta quinta-feira no Parlamento, com BE e PAN a apresentarem projetos de lei idênticos, discordando apenas quanto aos locais de venda. O Bloco de Esquerda (BE) defende …

Estátua de diabo "alegre demais" divide moradores em Espanha

Uma estátua que representa o diabo foi criticada por ser "alegre demais" por moradores da cidade de Segóvia, em Espanha. A escultura de bronze, que ainda não foi instalada, foi criada em homenagem a uma lenda …

"Incapacidade e incompetência". Fenprof pede a Costa que substitua ministro da Educação

A Federação Nacional de Professores (Fenprof) defendeu esta quarta-feira que o primeiro-ministro substitua o ministro da Educação, devido à sua "incapacidade e comprovada incompetência política" para dirigir as negociações de recuperação de tempo de serviço …

Bombeiros protestam contra a proposta do Governo

De acordo com o sindicato, a proposta do Governo "significa uma desvalorização enorme na carreira". Além disso, critica a ideia de haver uma carreira única de sapadores e municipais nivelada por baixo. Bombeiros municipais e sapadores …

Há uma parte da Antártida que está a encolher (mas não era suposto)

Quando os cientistas falam sobre o derretimento da Antártida, geralmente estão a referir-se à Antártida Ocidental, onde gigantescos glaciares costeiros estão a derramar grandes quantidades de água. Mas, do outro lado das montanhas transantárticas a leste, …

A cor dos olhos pode explicar porque é que as pessoas ficam tristes no inverno

Tempo mais frio e noites mais longas fazem algumas pessoas sentir-se tristes. A isso, dá-e o nome de Transtorno Afetivo Sazonal (TAS). Embora o TAS seja uma forma reconhecida de depressão clínica, os especialistas ainda estão …

Há vida pós-LHC. CERN planeia acelerador de partículas dez vezes mais potente

O futuro da Física de Partículas começa a ganhar forma. O CERN (Laboratório Europeu de Física de Partículas) detalhou esta terça-feira os seus planos para o novo acelerador de partículas que irá suceder o Grande …

DARPA quer construir robôs conscientes usando cérebros de insetos

A DARPA quer construir robôs conscientes usando cérebros de insetos, uma forma de criar novos modelos de inteligência artificial eficientes, que poderiam ser usados para explorar a própria consciência. Ao contrário dos humanos, os insetos operam …

Bombas de Wendell e Bruno Fernandes apuram Sporting para meias da Taça

Remates de Wendell e de Bruno Fernandes decidiram o jogo a favor da equipa 'leonina', que na próxima fase da competição defronta o Benfica, numa eliminatória disputada a duas mãos. Numa primeira parte marcada pelo domínio …