Crianças sírias têm aulas em salas subterrâneas para fugir aos bombardeamentos

O novo ano letivo já começou, mas como a cidade de Aleppo tem sido continuamente atacada pelas forças aéreas sírias e russas as crianças são incapazes de ir à escola e são obrigadas a ter aulas em caves e salas subterrâneas.

As agências humanitárias estimam que existam pelo menos 100 mil crianças presas em áreas mantidas pela oposição de Aleppo, na Síria.

“Elas estão presas e não têm como escapar. Este é o motivo pelo qual existem números tão elevados de mortes entre crianças”, disse Alun McDonald, porta-voz da organização não governamental Save the Children, citado pelo New York Times.

De acordo com o Observatório Sírio de Direitos Humanos, só no mês de julho, 49 crianças foram mortas devido aos ataques de rebeldes.

Numa tentativa de sobreviver na cidade que é o epicentro da guerra civil da Síria, alguns alunos, tal como Nidal al-Aboud, de 13 anos, estão agora a ter aulas no subsolo porque milhares de escolas foram destruídas.

As aulas são realizadas numa cave apertada e mal iluminada, e os alunos não saem à rua para brincar na hora do recreio porque os ataques aéreos são cada vez mais frequentes, em Aleppo.

No entanto, de acordo com McDonald, ultimamente “os bombardeamentos tornaram-se tão intensos, com bombas tão potentes, que até os abrigos subterrâneos deixaram de ser seguros.”

“Estou com medo por causa dos aviões que nos atingem com os ataques aéreos. Um amigo meu foi morto no meu bairro, costumávamos brincar juntos. Um helicóptero largou uma bomba barril na casa dele e ele morreu”, descreve Nidal à Al Jazeera.

O pai de Nidal, Abdulkareem Aboud, destaca que o seu maior medo é que, um dia, o filho não volte para casa.

“Como pai, fico feliz quando vejo as crianças irem para a escola, mas devido aos bombardeamentos sinto que eu estou a enviar o meu filho para a morte“, afirmou.

Segundo o New York Times, as crianças de Aleppo também têm enfrentado uma grande escassez de comida e de remédios, e as cirurgias e as transfusões de sangue necessárias para tratar ferimentos de bombas são praticamente impossíveis.

A representante da UNICEF na Síria, Hanaa Singer, destacou que ainda não há números exatos de mortes de crianças no leste de Aleppo, mas esta é, definitivamente, “a pior situação que já vimos para as crianças”.

BZR, ZAP

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Rui Rio propôs fim dos debates quinzenais sem consultar deputados

A bancada do PSD só recebeu as propostas do partido para alterar o regimento da Assembleia da República mais de 24 horas depois do anúncio feito por Rui Rio, na terça-feira, no Porto. Rui Rio, líder …

TAP escapa à nacionalização. Estado assume controlo com 72,5% da companhia

O Estado e os acionistas privados da TAP estão perto de chegar a acordo, devendo a companhia aérea escapar à nacionalização. Ainda não há fumo branco, mas o acordo sobre o futuro da TAP deverá …

Encontradas 115 crianças enterradas com moedas na boca na Polónia

Trabalhadores que construíam uma nova estrada na Polónia encontraram os restos de 115 corpos de crianças enterras com moedas na boca. Durante os trabalhos de construção de uma autoestrada em Jezowe, na Polónia, trabalhadores descobriram restos …

À frente de Figo, Futre e Ronaldo. Joelson é o terceiro mais novo de sempre a estrear-se pelo Sporting

O Sporting venceu esta quinta-feira na receção ao Gil Vicente, por 2-1, no jogo de encerramento da 29.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol. A partida marcou também a estreia do jovem extremo Joelson …

Austrália pondera dar refúgio a quem abandone Hong Kong

O primeiro-ministro australiano disse esta quinta-feira que o Governo está a ponderar dar refúgio aos residentes de Hong Kong que desejem abandonar a ex-colónia britânica devido à nova lei de segurança nacional imposta por Pequim. Scott …

Vieira ainda sonha com Jesus (e a Libertadores pode ajudar no regresso)

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, não desistiu de voltar a colocar Jorge Jesus no comando técnico da equipa da Luz e, caso a Taça dos Libertadores não seja realizada, o regresso do treinador …

Marta Temido garante que não há descontrolo em Lisboa (mas assume falhas)

Em entrevista à RTP, a ministra da Saúde garantiu que não há "descontrolo" na evolução da pandemia na região de Lisboa e Vale do Tejo, mas sublinhou que se trata de uma "situação de sobressalto, …

A genética ajuda a determinar o quão afetuosas são as mulheres (mas não os homens)

A genética desempenha um papel importante no nível de afetividade das mulheres, mas o mesmo não acontece entre os homens, concluiu uma nova investigação científica levada a cabo com gémeos. Na nova investigação, recentemente publicada …

Prémio para profissionais do SNS é "uma esmola". "Mais valia terem estado quietos"

Ana Rita Cavaco, bastonária da Ordem dos Enfermeiros, diz que a proposta que prevê prémios e mais férias para os profissionais de saúde é uma "afronta" para enfermeiros. Para a bastonária da Ordem dos Enfermeiros, a …

Tempo de espera para entrega de cartão de cidadão pode chegar a cinco meses

Para fazer o levantamento do cartão de cidadão é preciso fazer marcação e há balcões que só têm disponibilidade para entregar o documento no final do ano. De acordo com a edição desta quinta-feira do …