Criadora de loja online de sucesso aprendeu ao ser apanhada a roubar

(dr) Autumn de Wilde

Sophia Amoruso abriu o seu negócio online depois de ser apanhada em flagrante a roubar numa loja

Sophia Amoruso abriu o seu negócio online depois de ser apanhada em flagrante a roubar numa loja

A primeira coisa que Sophia Amoruso vendeu na internet foi um artigo que tinha roubado. Hoje, Sophia é directora geral da Nasty Gal, a loja online com maior crescimento nos Estados Unidos.

Uma desajustada que cresceu a odiar a escola, Sophia saiu de casa aos 17 anos com a intenção de viver anarquicamente e sem dinheiro em Olympia, no Estado de Washington, no extremo noroeste dos Estados Unidos.

Sophia diz que roubava para manter o seu estilo de vida – e “acordou” dessa realidade em 2003, depois de ter sido apanhada a roubar, e logo a seguir liberada.

“Eu aprendi da maneira mais difícil que optar por atalhos e viver de graça não é realmente viver livre”, conta.

Agora com 30 anos, Amoruso diz que os seus primeiros erros foram cruciais para a ajudar a transformar uma simples loja no eBay de venda de itens vintage em 2006 num negócio de US$ 100 milhões (cerca de 73 milhões de euros) com mais de 350 funcionários que vende roupas cool, novas e usadas, para milhões de mulheres à volta do mundo – a Nasty Gal.

“Foi como se me atirasse à como se manda um espaguete – para ver se cola”, diz ela.

Fora dos padrões

Está claro que Amoruso não é uma empreendedora típica, e é certamente diferente da legião de chefes da área tecnológica que migra para o Silicon Valley à procura de financiamento e riqueza.

Sophia Amoruso / #GirlBoss

Quando era adolescente, Amoruso vivia anarquicamente

Quando era adolescente, Amoruso vivia anarquicamente

Mas, após o incidente de 2003, Sophia muda-se para San Francisco, Califórnia.

Sem frequentar a faculdade, ela começa a trabalhar como segurança, verificando as identidades de uma escola de arte – emprego que ela aceitou por causa do seguro de saúde, já que possuía uma hérnia.

Entediada, decidiu então abrir uma loja no eBay para vender roupas vintage depois de ler o livro Starting an eBay Business for Dummies.

Sophia denominou a sua loja de Nasty Gal Vintage a propósito de uma canção e álbum da cantora de jazz Betty Davis, segunda esposa do lendário Miles Davis.

No seu livro de memórias, #GIRLBOSS, ela diz que o eBay era uma plataforma crucial porque aprendeu a responder a todos os comentários dos clientes, para realmente entender quem estava a comprar e o que queria. Isso permitiu-lhe ter mais sucesso que outros vendedores vintage.

‘Homens brancos velhos’

Depois de um conflito com outros vendedores do eBay, Sophia foi expulsa da plataforma de leilões, e comprou o domínio NastyGalVintage.com (NastyGal.com era propriedade de uma empresa pornográfica) e passou a comunicar com os seus clientes através de redes sociais como o MySpace e, também, Facebook e Twitter.

“As redes sociais permitiram-me conversar com os nossos clientes. Eu diria que foi a razão número um que nos deu consciência [sobre eles]”, acrescenta ela.

Isso colocou a sua marca à frente das concorrentes, empresas que estavam apenas a começar a perceber o poder das redes sociais para impulsionar os seus negócios.

“Todas as outras marcas de moda – incluindo aquelas que eu chamo de concorrentes – são dirigidas, na sua maioria, por homens brancos velhos, e o cliente sabe disso”, diz ela.

“Esta geração (o cliente) é super esperta – não importa quem contrata para gerir as redes sociais, se a pessoa que toma as decisões está longe do cliente”.
Amoruso diz que a Nasty Gal acumulou 1,2 milhões de seguidores no Instagram e outros milhões no Facebook criando agressivamente looks que “não se podem encontrar no shopping”.

Sophia foi pioneira na ideia de se produzir da cabeça aos pés, misturando o antigo e o novo, o caro e o barato, garantindo que o Nasty Gal não era apenas um site de venda de roupa, mas um estilo de vida que teria apelo para um certo tipo de mulher.

Paul TRapani / #GirlBoss

A Nasty Girl vende looks que não se encontram nos shoppings, diz Sophia Amoruso

A Nasty Girl vende looks que não se encontram nos shoppings, diz Sophia Amoruso

Isso ajudou a construir lealdade – a maioria dos clientes são mulheres na faixa dos 20 anos que voltam com frequência ao site, comprando até 93% do stock da Nasty Gal pelo preço total. Metade dos negócios vêm de clientes que voltam ao site – algo quase inédito no setor de venda de roupa.

Negócio rentável

Mesmo depois da Nasty Gal começar a decolar – e passar de um pequeno escritório para um grande espaço em Los Angeles – Amoruso resistiu inicialmente a receber investimento externo, algo não muito comum entre as empresas de tecnologia, a maioria das quais não sendo rentáveis nos seus primeiros anos.

“Eu tive o luxo de um negócio rentável”, diz.

Isso permitiu que pudesse esperar o investidor certo – o que levou algum tempo.

“Quando decidi captar dinheiro, todos tinham as suas teses e estavam prontos a investir em qualquer empresa que fazia roupas para mulheres, mas sem nenhuma alma para isso”, diz ela.

Sophia finalmente encontrou o sócio certo em 2012, quando Danny Rimer, da Index Ventures, investiu US$ 9 milhões (cerca de 6,5 milhões de euros). Ainda assim, Amoruso mantém a maior fatia da empresa, o que lhe permitiu controlar a contratação das pessoas.

No entanto, Sophia acrescenta: “Foi só nos últimos seis meses que minha equipa teve ideias melhores que eu – o que é um alívio”.

Amoruso tem grandes planos para Nasty Gal – incluindo a abertura de lojas físicas de roupa ainda este ano. Ao mesmo tempo, sabe o quão atraente é a sua história de ascensão e faz questão de destacar o trabalho duro que está por trás das suas conquistas.

Como ela aconselha às futuras “raparigas chefes” no seu livro de memórias: “Não actue como se já lá tivesse chegado, quando está apenas recebendo o convite”.

ZAP / BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Engenheiros construiram um ventilador caseiro. Pode servir como "último recurso"

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Vanderbilt, nos Estados Unidos, construiu um ventilador caseiro que pode ser usado como último recurso. A pandemia de covid-19 continua a desafiar as comunidades médicas e uma das ameaças …

Sepultura de genocídio encontrada no Ruanda pode conter 30 mil corpos

No Ruanda, foi encontrada uma sepultura que pode conter 30 mil vítimas do genocídio no país em 1994. Cerca de 800 mil tutsis e hutus moderados foram assassinados. Mais de 25 anos depois de um genocídio …

Belenenses SAD entra parcialmente em lay-off

"A indústria do futebol está entre as mais atingidas pelos efeitos da pandemia", que provocou a suspensão de praticamente todas as provas futebolísticas, destaca o Belenenses SAD. O Belenenses SAD, da I Liga de futebol, entrou …

Dois milhões de máscaras furtadas em Espanha podem ter sido vendidas em Portugal

O equipamento médico e sanitário furtado está avaliado em cinco milhões de euros e terá sido adquirido por uma empresa portuguesa que conhecia a proveniência do material. Um empresário de Santiago de Compostela foi detido por, …

Facebook terá tentado comprar um software de espionagem em 2017

O Facebook tem estado envolvido em vários escândalos e o mais recente está relacionado com a alegada compra da ferramenta Pegasus, usada para hackear iPhones. A empresa de segurança informática NSO Group, responsável pela Pegasus, alega …

Primeiro-ministro espanhol diz que coronavírus desafia o futuro da UE. E fá-lo em sete idiomas

O primeiro-ministro espanhol Pedro Sánchez publicou no domingo um artigo em sete idiomas europeus, argumentando que o coronavírus pode ser a ruína da União europeia (UE) caso não sejam tomadas medidas mais drásticas para lidar …

Viseiras de Leiria despertam cobiça. Bélgica e EUA queriam comprar toda a produção

Várias empresas de moldes e plásticos da região de Leiria estão a fabricar viseiras de protecção contra a Covid-19. Uma adaptação em tempos de pandemia que está a levantar atenção no estrangeiro, com EUA e …

Apple vai começar a produzir um milhão de máscaras por semana

O presidente da Apple, Tim Cook, anunciou que a empresa poderá produzir um milhão de máscaras por semana a partir do próximo fim de semana. Tim Cook explicou, na sua conta da rede social Twitter, que …

Robert Weighton é o homem mais velho do mundo. Tem 112 anos

Com 112 anos completados no dia 29 de março, o britânico Robert Weighton tornou-se o homem mais velho do mundo. Robert Weighton nasceu no dia 29 de março de 1908, em Kingston-Upon-Hull, no Yorkshire. Ao longo …

ISEG prevê queda do PIB entre 4% e 8% em 2020

O Grupo de Análise Económica do instituto da Universidade de Lisboa revelou o intervalo indicativo de variação do PIB usando duas evoluções diferenciadas da crise, com duração mínima de dois meses. A economia portuguesa deverá ter …