Crédito à habitação com novas regras (e um compasso de espera) para proteger clientes

A partir deste ano, contratar crédito à habitação tem novas regras.

No dia 1 de janeiro de 2018, entraram em vigor novas regras do crédito à habitação. Agora, a legislação proíbe a assinatura do contrato de empréstimo antes de completados sete dias entre a apresentação da proposta de empréstimo e a sua contratualização.

De acordo com o Público, esta iniciativa visa dar tempo ao cliente bancário – e ao fiador – para refletir sobre as condições do empréstimo e, se necessário, comparar com outras propostas ou pedir ajuda a pessoas ou entidades com conhecimentos sobre o tema.

“Com esta medida, pretende-se garantir que o consumidor e o fiador têm tempo suficiente para ponderar as implicações do crédito e tomar uma decisão esclarecida”, aponta o Banco de Portugal.

Além disso, o banco passa a ficar vinculado à proposta de crédito durante 30 dias, uma medida que também defende o cliente bancário de decisões apressadas sobre um crédito. Assim, os bancos ficam impedidos de alterar as condições, para pior, durante esse prazo.

A FIN passa a ser FINE, Ficha de Informação Normalizada Europeia. Este documento já existia, mas agora passa a seguir o modelo europeu. Assim, as instituições financeiras passam a ser obrigadas a disponibilizar a clientes e aos fiadores a ficha de informação, com as principais características do crédito.

A FINE deve ser disponibilizada em dois momentos distintos: no momento da simulação e quando o crédito é aprovado. Os fiadores passam também a ter direito a uma cópia do FINE, o que até agora não acontecia.

Outra das alterações é que o custo de crédito passa a ser avaliado com base na TAEG (taxa anual de encargos efetiva global), em vez da TAE (taxa anual efetiva).

A TAEG reflete de forma mais abrangente o custo total do crédito e inclui o custo com juros, comissões, impostos e outros encargos associados ao crédito assim como seguros exigidos, custos relativos à manutenção da conta, entre outros.

O Decreto-Lei n.º 74-A/2017 que entra agora em vigor prevê também um dever de assistência por parte das instituições financeiras ao consumidor e proíbe os bancos de remunerarem os funcionários com base no “número de pedidos de crédito aprovados e de contratos celebrados”.

A avaliação que os bancos têm de fazer à capacidade do cliente para reembolsar o crédito hipotecário foi também reforçada, assim como as garantias de que o consumidor tem condições para tomar uma decisão racional e esclarecida.

Dada a frequência com que se recorre ao fiador, algumas das medidas de informação e proteção foram também alargadas ao fiador.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Os Fiadores não tem Direitos, Só tem Obrigações, será que o imóvel, ou móvel não vale o empréstimo, e os seguros para que servem.
    Se o Cliente não tem base financeira (IRS) taxa de esforço, não pode comprar, acabem com os FIADORES, deixem de desgraçar estes, que por vezes até não sabem o que assinam, ou estão pressionados por algo

RESPONDER

Na Saúde, Warren torna-se alvo de ataques. Mas o foco é "derrotar Trump"

O maior debate televisivo para umas eleições primárias na história dos EUA juntou 12 candidatos num só palco. Foi o primeiro debate para o qual o ex-vice-Presidente Joe Biden não partiu com vantagem, tendo a …

Trump sugere que os mexicanos são uma ameaça terrorista maior do que o Daesh

O Presidente Donald Trump sugeriu que os mexicanos são uma ameaça muito maior do que o Daesh. Respondendo uma vez mais às críticas sobre ter retirado as tropas dos Estados Unidos (EUA) junto à fronteira …

Grécia. Incêndio em campo de refugiados deixa 600 pessoas sem alojamento

Um incêndio no campo de identificação e registo de migrantes de Vathy, na ilha grega de Samos, deixou 600 refugiados sem alojamento, alertou na terça-feira a organização não-governamental (ONG) Médicos Sem Fronteiras (MSF). "Em Vathy, seis …

Lista candidata à Ordem dos Enfermeiros excluída por ter poucos homens

Uma das listas candidatas às eleições para a Ordem dos Enfermeiros foi excluída por ter poucos homens. A comissão eleitoral nomeada explica que a lista não respeita a lei da paridade, aprovada pela Assembleia da …

“É a desilusão”. PSD queria novos ministros na Saúde, Educação e Justiça

  O PSD defendeu esta quarta-feira que "não há um novo Governo", mas "uma remodelação com alargamento", com um executivo aumentado e "mais partidário", considerando "uma desilusão" a continuidade em pastas como Saúde, Educação e Justiça. "Não …

Dobradinha poderá render 1,6 milhões de euros a Bruno Lage

Caso consiga alcançar a dobradinha, isto é, vencer o campeonato e a Taça de Portugal, o treinador do Benfica, Bruno Lage, receberá em prémios cerca de 1,6 milhões de euros brutos, avança a imprensa desportiva. A …

Lisboa aumenta seis vezes IMI de prédios devolutos nos centros

A Câmara de Lisboa vai aumentar, em 2020, seis vezes a taxa do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) para os prédios devolutos nas zonas de maior pressão urbanística, anunciou esta quarta-feira o vereador das Finanças, …

Polícia entrou na federação de futebol da Bulgária e deteve cinco pessoas

Já depois de Borislav Mihailov se ter demitido da presidência da federação da Bulgária, uma unidade da estrutura policial que luta contra o crime organizado no país entrou esta terça-feira na sede da federação, em …

Família holandesa vivia há 9 anos numa cave à espera “do fim dos tempos”

A policia holandesa encontrou uma família de seis pessoas na cave de uma quinta no nordeste do país, onde viviam em isolamento há nove anos e, segundo a imprensa, esperavam “o fim dos tempos”. A polícia …

Kim Jong-un subiu montanha sagrada a cavalo (e deixou a Coreia à espera de um grande anúncio)

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, foi ao monte Paektu, a montanha considerada sagrada pelos norte-coreanos, dar um passeio a cavalo. As imagens foram divulgadas pela agência estatal KCNA, tendo surgido especulações de que virá aí …