/

Ronaldo “fora de campo é outra pessoa”. Já há bilhetes para ver CR7 ao vivo a mais de 2.900 euros

Paul Ellis / AFP

Foto de arquivo de Cristiano Ronaldo em Old Trafford, estádio do Manchester United, em 2008

O CR7 está de volta a Manchester e já há bilhetes a 2.900 euros para assistir àquele que deve ser o jogo de estreia do craque português em Old Trafford. Di María considera que Ronaldo “é outra pessoa” fora de campo.

Cristiano Ronaldo foi transferido (de volta) para o Manchester United na semana passada e o seu primeiro jogo poderá ser já no dia 11, frente ao Newcastle.

De acordo com o Observador, a euforia é tanta que o preço dos bilhetes para a estreia do craque já estão a atingir recordes.

As entradas para as cadeiras que ficam mais perto do relvado chegam 2.500 libras, mais de 2.900 euros, avança o The Times.

Apesar de a lotação do estádio já estar esgotada, há quem tenha comprado o ingresso exatamente com a ideia de poder fazer negócio e vendê-los por valores astronómicos.

Ronaldo “fora de campo é outra pessoa”

Di María, agora companheiro de equipa de Leo Messi no PSG, falou sobre a sua relação com Cristiano Ronaldo e José Mourinho, numa entrevista à TyC Sports.

O jogador argentino cruzou-se com os portugueses no Real Madrid — os três partilharam balneário entre 2010 e 2013 —, clube ao qual chegou vindo do Benfica e onde jogou entre as épocas de 2010 e 2014.

“No meu primeiro aniversário quando estava no Real Madrid tinha alguns amigos na cidade. Convidei Pepe e Marcelo, que andavam sempre com Cristiano e então convidei-o também, se queria vir a minha casa. Pensei que não viria, mas depois mandou-me uma mensagem a dizer que sim e sentou-se connosco a beber uma cerveja, tranquilo. Surpreendeu-me. Fora do campo é outra pessoa“, contou Di María.

“O Cristiano Ronaldo lutou para que eu ficasse no Real Madrid. Sergio Ramos e Casillas não queriam que eu fosse embora, mas com o Florentino Pérez era tudo muito difícil”, acrescentou.

Sobre Mourinho, recorda que com ele “sempre se portou bem”, mas que no balneário “estava sempre a reclamar e reclamava com qualquer um”.

“Chegou a discutir com o Cristiano Ronaldo, a dizer-lhe que não corria e punha os outros a correr por ele”, disse.

Uma vez, contou ainda Di María, o argentino já tinha quatro amarelos e Mourinho disse-lhe que, se visse o quinto naquele jogo, lhe dava quatro dias de folga. “Entrei, fiz uma falta duríssima e quase fui expulso. Acabei a ganhar os dias de folga, continuou.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

A jogar no Paris Saint-Germain desde 2015, o ex-benfiquista partilha agora balneário com Leo Messi ou, como Di María lhe chama, “Enano” (anão em português).

“No princípio não lhe chamava isso, mas quando ficámos amigos sim. Como ele me chama ‘Fide’ eu chamo-lhe ‘Enano’, já é assim há algum tempo e continuará. Trato-o como mais um, como ele gosta. É por isso que ele sempre se deu mais com quem o trata como mais um. Porque se o tratarmos pelo que ele é, um ‘extraterrestre’, ele fica numa bolha que não gosta. Gosta de rir, divertir-se, comer um assado connosco. É o melhor do mundo, mas ao fim ao cabo é Leo, é ‘Enano’, e gosta que o tratemos assim”, disse sobre o colega e amigo.

  Sofia Teixeira Santos, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE