Costa reúne-se com Passos e defende projeto comum

Vítor Pires / portugal.gov.pt

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, com o líder do PS, António Costa

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, com o líder do PS, António Costa

O secretário-geral do PS defendeu esta quinta-feira junto do primeiro-ministro um compromisso para que o país tenha um projeto comum, mas acrescentou que a construção desse projeto deve fazer-se após o julgamento dos portugueses em eleições.

António Costa falava aos jornalistas no final da sua primeira reunião enquanto líder socialista com o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, em São Bento, encontro que caraterizou como “cordial” e que durou cerca de uma hora e 45 minutos.

No final do encontro, o secretário-geral do PS voltou a defender a necessidade de compromissos políticos para que o país “tenha um projeto estratégico comum”, mas situou a procura desse objetivo após as próximas eleições legislativas, salientando: “Os portugueses saberão julgar qual o melhor caminho e é sobre julgamento dos portugueses que se tem de construir uma estratégia comum”.

“Como diz o povo há vários caminhos para chegar a Roma e é natural que as diferentes forças políticas proponham diferentes caminhos para alcançar cada um dos objetivos, mas era desejável que o país pudesse ter objetivos comuns – e essa é uma diferença que neste momento existe e que é um fosso entre a alternativa proposta pelo PS e aquilo que tem sido a política deste Governo”, declarou António Costa.

Ladeado pelo líder parlamentar do PS, Ferro Rodrigues, e pela dirigente socialista Maria da Luz Rosinha, António Costa procurou neste contexto apontar as diferenças de fundo básicas entre socialistas e a maioria governamental PSD/CDS.

António Costa considerou então que o Governo tem a ideia de que o futuro de desenvolvimento assenta primeiro “numa estratégia de empobrecimento, com a diminuição de direitos e desmantelamento do Estado social”.

“O PS tem a convicção de que é preciso relançar o desenvolvimento com base numa estratégia de aposta na qualificação, na educação, na inovação, na investigação científica, na modernização das empresas, no reforço da coesão e na cultura”, disse.

Interrogado se os socialistas rejeitam a curto prazo entendimentos com a maioria PSD/CDS, Costa alegou que os acordos “existem em torno de temas concretos”.

portugal.gov.pt

António Costa, Maria da Luz Rosinha, ferro Rodrigues

António Costa, Maria da Luz Rosinha, ferro Rodrigues

“Os entendimentos não são em abstrato, mas em torno de temas em concreto. Há temas em que, naturalmente, há entendimento e outros em que diria que é impossível tal a divergência face ao ponto de partida”, respondeu.

Na sequência da reunião com o primeiro-ministro, o secretário-geral do PS deixou também apelos à existência de condições de diálogo no país, contra a crispação na vida política.

“Considero que é fundamental que os diferentes dirigentes políticos mantenham relações cordiais, de normalidade institucional e de diálogo. Há algo de perverso que tem acontecido nos últimos anos na vida política portuguesa que é o desenvolvimento de uma grande crispação e de uma incomunicabilidade entre os diferentes agentes políticos”, lamentou.

De acordo com o líder socialista, é muito importante para o país que os políticos “se respeitem, se considerem e que tenham aquilo que é normal terem, que é afirmarem-se pelas suas diferenças e pelas alternativas que têm a propor”.

No caso do PS, de acordo com António Costa, a relação com as outras forças partidárias será marcada não por critérios de ordem pessoal, mas “pelas políticas”.

“As convergências ou as divergências fundam-se não em função dos nomes dos dirigentes, não em função da personalidade dos nossos interlocutores, mas em função daquilo que se propõe. São as políticas que devem marcar as diferenças, que são um dado normal em democracia”, afirmou.

No entanto, o líder socialista defendeu em seguida que o país “deve voltar a ter um sentido comum, um projeto que seja partilhado coletivamente, tal como teve muitos anos”.

“É preciso um grande entendimento estratégico”, acrescentou.

/Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Mário Soares vive muitíssimo acima da média do povo, em dinheiro que se apoderou, devia ser preso como o Sócrates só que teve a proteção dos amigos em detrimento do povo que é roubado por estes políticos ladrões e extremamente desonestos

  2. Isto é o que eles gostam!!
    Só sorrisos uns com os outros, e na mente deles só pensam como é que bom viver à custa dos que trabalham.

    O nome deste país não devia ser Portugal, mas sim paraíso de chulos.

RESPONDER

Viagens ao Espaço podem prejudicar o corpo a nível celular. Fígado é o mais afetado

Viagens ao Espaço podem causar o mau funcionamento da mitocôndria de uma célula devido a mudanças na gravidade e radiação, sugere uma nova investigação conduzida pelo Georgetown Lombardi Comprehensive Cancer Center, nos EUA. Investigações com cobaias …

O envelhecimento celular em humanos foi parcialmente revertido (com o uso de oxigénio)

Investigadores da Universidade de Tel Aviv, em Israel, descobriram uma forma de reverter o processo de envelhecimento celular e podem ter feito um avanço na procura pela juventude eterna. O novo estudo publicado na revista Aging …

Porto 0-0 Man City | Pragmatismo portista garante “oitavos”

O FC Porto está nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. Os “azuis-e-brancos” precisavam apenas de um empate, ou que o Olympiacos não vencesse em França, em casa do Marselha, e ambos os pressupostos aconteceram – …

O céu tingiu-se de roxo na Suécia (e a culpa era de uma plantação de tomates)

O céu ficou misteriosamente tingido de roxo em Trelleborg, a cidade mais a sul da Suécia, por causa da luz vinda de uma plantação de tomate enuma cidade próxima. Há algumas semanas, os moradores de Trelleborg …

Maurícias estão a abater um morcego ameaçado de extinção por interesses económicos

O morcego das Maurícias, em perigo de extinção, é mais uma vez o centro de um polémico abate nas mãos do Governo, para alarme das organizações de conservação da vida selvagem. Sob pressão de agricultores e …

Procurador-geral dos EUA: não há provas de fraude eleitoral generalizada

O procurador-geral dos Estados Unidos da América, William Barr, reconheceu hoje que não houve fraude em dimensão suficiente para invalidar a vitória do democrata Joe Biden nas eleições presidenciais norte-americanas. "Nesta altura, não vimos fraude a …

Parque de esculturas subaquático vai ser inaugurado em Miami

Miami vai servir de casa para um novo parque de esculturas subaquático como nunca viu. O ReefLine é projetado para servir como um recife artificial e vai estar disponível a receber visitantes em dezembro de …

Da "política do filho único" aos incentivos à natalidade: como a China tem mudado a sua estratégia populacional

A China está a planear incluir novas medidas para estimular a taxa de natalidade do país e lidar com o rápido envelhecimento da população. A estratégia passa pelo “plano de cinco anos” que deverá estar …

Vacinação será “grande prioridade” de presidência portuguesa da UE

O primeiro-ministro português, António Costa, referiu hoje que a vacinação contra a covid-19 deverá ser uma das “grandes prioridades” da presidência portuguesa do Conselho da União Europeia (UE), após um encontro com o presidente do …

No Cambodja, os aldeões usam "espantalhos mágicos" para afastar a covid-19

Os aldeões do Cambodja têm evitado a pandemia de covid-19 sem máscaras nem distanciamento social, mas sim com "espantalhos mágicos" que espantam o vírus mortal. Os dois espantalhos de Ek Chan, um aldeão de 64 anos, …