“Maioria absoluta é virtualmente impossível”

António Cotrim / Lusa

O secretário-geral do PS, António Costa

Em entrevista à SIC, o primeiro-ministro António Costa afastou pela primeira vez a pressão da maioria absoluta de forma definitiva, afirmando não acreditar que o PS possa conseguir governar sozinho.

O primeiro-ministro defendeu esta terça-feira que o cenário de uma maioria absoluta nas próximas eleições legislativas “é virtualmente impossível” dadas as características do sistema eleitoral e partidário em Portugal, mas ressalvou que “se surgir, melhor“.

Na parte mais política da entrevista que concedeu à SIC, António Costa considerou também “altamente provável” a reeleição de Marcelo Rebelo de Sousa caso se recandidate nas eleições presidenciais de 2021.

Interrogado se tem como objetivo uma vitória do PS por maioria absoluta nas próximas eleições legislativas, o primeiro-ministro respondeu: “As pessoas que me conhecem sabem que eu considero que é virtualmente impossível a existência de uma maioria absoluta”.

“Com os nossos sistemas eleitoral e partidário, só em situações muito excecionais – situações excecionais que felizmente não existem -, as maiorias absolutas surgem. Agora, se surgir uma maioria absoluta melhor”, completou logo a seguir.

Depois da entrevista, em declarações prestadas antes de abandonar as instalações da SIC, António Costa procurou desdramatizar a questão da maioria absoluta do PS nas próximas eleições.

Governarei nas condições que tiver para poder governar e, quando eu disse que é virtualmente impossível a maioria absoluta, quem estuda ciência política sabe que um sistema eleitoral proporcional como nós temos não favorece a existência de maiorias”, argumentou. Mas fez logo a seguir fez uma nova ressalva: “Se me pergunta se eu não quero, claro que gostaria“.

“Agora que é improvável, é improvável. Não é condição necessária para governar, pelo menos nas circunstâncias em que hoje vivemos”, declarou, já depois de ter dito na fase de entrevista que “em equipa que ganha não se mexe” e de ter defendido a continuação da atual solução política de Governo na próxima legislatura.

“O meu objetivo é ganhar as eleições com o melhor resultado possível”, salientou, antes de se manifestar “muito satisfeito” com a prestação do seu ministro das Finanças e de referir que Mário Centeno ainda não lhe deu qualquer sinal de indisponibilidade no sentido de continuar no Governo na próxima legislatura, se o PS vencer de novo as eleições.

Em relação à uma recandidatura de Marcelo Rebelo Sousa nas eleições presidenciais de 2020, António Costa disse que, “a fazer fé” em recentes declarações do chefe de Estado, esse é o cenário mais provável.

“Pelo apoio popular indiscutível que tem, não é preciso ter as qualidades de analista político do professor Marcelo Rebelo de Sousa, caso se recandidate, é altamente improvável que não seja reeleito”, sustentou.

Em relação às eleições europeias de 26 de maio, o secretário-geral do PS assumiu como objetivo aumentar em relação aos 31,8% registados pelo seu partido no anterior ato eleitoral de 2014, quando os socialistas eram liderados por António José Seguro.

Nesta entrevista, Costa disse que o cabeça de lista socialista apenas será apresentado no próximo dia 16, durante uma Convenção Europeia do PS, e revelou que já falou sobre o assunto com o eurodeputado Francisco Assis.

“Já tive uma conversa com ele e terei novas conversas com ele e com vários militantes do PS. A lista será votada pela Comissão Política do PS na semana imediatamente a seguir à convenção. Agora, contaremos sempre com o Francisco Assis e tenho a certeza de que o Francisco Assis, como já disse, independentemente de ser ou não ser candidato, continuará a dedicar-se ativamente à causa do PS”, acrescentou.

Sobre as suas relações com a presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, o primeiro-ministro disse não admitir que uma pessoa escreva um artigo sobre si a acusá-lo de não ter caráter. “Há limites para o que estou disposto a ouvir“, advertiu.

Sobre o incidente que teve com Assunção Cristas no último debate quinzenal, justificou: “Não finjo que não entendo a pergunta insultuosa de saber se condeno ou não atos de vandalismo”.

Essa é uma pergunta que se faça a um primeiro-ministro? A mim ensinaram-me que quem não se sente não é filho de boa gente, tenho muito respeito pela memória do meu pai e da minha mãe. Portanto, há limites para tudo”, acrescentou.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Família mais rica do mundo enriquece a quatro milhões de dólares por hora

Desde o último boletim de riqueza que a Bloomberg publicou, em junho do ano passado, no seu ranking das famílias mais ricas do mundo, a fortuna dos Walton cresceu 39 mil milhões de dólares, para …

Espanha. PSOE rejeita proposta "inviável" do Podemos para coligação

O Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) rejeitou nesta terça-feira a proposta do Unidas Podemos para uma coligação fovernamental, que considera "inviável", e convidou a plataforma de esquerda a encontrar "outras fórmulas" que facilitem a governabilidade …

Ex-Presidente do Sudão admite ter recebido mais de 80 milhões da Arábia Saudita

O antigo Presidente do Sudão, que foi deposto em abril após vários meses de protestos, começou a ser julgado esta segunda-feira por corrupção. O julgamento por corrupção do ex-Presidente do Sudão, Omar al-Bashir, começou esta segunda-feira e, …

Hong Kong. Funcionário do consulado britânico desaparece após enviar mensagem à namorada a pedir para rezar por ele

A 08 de agosto, Simon Cheng Man-kit, de 28 anos, estava a regressar a Hong Kong depois de ter estado na cidade chinesa Shenzhen. No momento em que, a bordo de um comboio de alta …

Open Arms. Procurador siciliano ordena apreensão do navio e desembarque imediato dos ocupantes

Luigi Patronaggio, o procurador da cidade de Agrigento, na Sicília, ordenou esta terça-feira a apreensão do navio Open Arms e o desembarque imediato dos quase 100 migrantes africanos que este levava a bordo. O jurista, que …

Jovens suspeitos de três homicídios filmaram um “testamento final” com o telemóvel antes de se suicidarem

Bryer Schmegelsky e Kam McLeod, os dois jovens de 18 e 19 anos suspeitos de três homicídios no Canadá e que foram encontrados mortos após duas semanas em fuga, terão filmado um “testamento final” com …

Em resposta a Macron, Putin diz que autoridades agiram para evitar situação igual à dos "coletes amarelos" em França

O Presidente da Rússia Vladimir Putin disse, durante um encontro com o seu homólogo francês Emmanuel Macron, que as autoridades russas agiram para garantir que as manifestações dos seus opositores permanecem dentro "da lei", evitando …

Gémeas que viviam em garagem estavam sinalizadas há seis anos

As gémeas de 10 anos que viviam numa garagem no concelho da Amadora estavam sinalizadas há seis anos pela Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) e a sua situação conhecida pelo Ministério Público …

Afinal, duração máxima dos contratos a prazo no Estado também baixa para dois anos

O ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, assumiu o compromisso de emitir uma orientação aos serviços da Administração Pública para respeitarem a redução da duração máxima dos contratos a prazo de …

Turistas franceses arriscam seis anos de prisão. Roubaram areia de uma famosa praia em Itália

Um casal francês foi detido ao transportar 40 quilos da famosa areia da ilha da Sardenha, em Itália, e agora pode enfrentar até seis anos de prisão, caso a justiça italiana os considere culpados. O casal …