Costa promete baixar impostos à classe média (e prefere que Centeno não vá para o FMI)

Clara Azevedo / Portugal.gov.pt

Mais deduções e mais escalões de IRS para baixar os impostos para as famílias com os filhos e a classe média. Eis o que António Costa promete na antecâmara das eleições legislativas, numa entrevista onde reconheceu que Mário Centeno é hipótese para o FMI, mas não uma prioridade para o seu Governo.

Esta posição foi assumida por António Costa em entrevista à Rádio Observador depois de ter sido interrogado sobre a possibilidade de o ministro das Finanças  poder ser diretor-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), sucedendo à francesa Christine Lagarde.

Na mesma entrevista, o secretário-geral do PS afirmou que tenciona reduzir a carga fiscal sobre o trabalho com um novo desdobramento dos escalões de IRS da classe média e repor a atualização anual dos salários da administração pública.

Se o PS voltar a formar Governo na próxima legislatura, o objetivo “é prosseguir a trajetória de redução da tributação sobre o trabalho“, garantiu o primeiro-ministro, prometendo “aumentar a progressividade com mais escalões [de IRS]” de forma “a reduzir a tributação sobre a classe média”.

“Vamos aumentar as deduções em função do número de filhos” e “não em função do rendimento das famílias, porque as crianças são todas iguais”, acrescentou, frisando que “uma família com dois filhos tem encargos desproporcionalmente superiores a uma família com só um filho”.

Esta medida, segundo António Costa, a par de outra intitulada “cheque creche”, destina-se a criar melhores condições para que o país possa registar uma inversão da sua trajetória demográfica, que classificou como “particularmente negativa”.

No que respeita aos salários da administração pública, o secretário-geral do PS reiterou a sua intenção de “revalorizar” o vencimento dos quadros técnicos e superiores e, por outro lado, “retomar a normalidade da atualização anual” dos vencimentos.

Durante a entrevista, o líder do executivo foi confrontado com o teor muito crítico do relatório do Tribunal de Contas sobre a forma como o seu Governo geriu os dinheiros do fundo Revita para compensar as vítimas dos fogos de 2017.

Prometendo “analisar” o documento, António Costa referiu que daquilo que leu na comunicação social não há “uma única acusação concreta de má utilização, mas, antes, suposições”.

Centeno no FMI “não é objetivo”

Sobre a possibilidade de Centeno rumar ao FMI, Costa vincou que “não era um objetivo” do seu Governo. “Os objetivos que temos neste quadro situam-se no âmbito da União Europeia”, frisou, notando que “a hipótese que está em cima da mesa relativamente ao FMI” tem que ser considerada, mas que nem sequer “era um objetivo de vida pessoal” de Centeno.

O primeiro-ministro recusou-se depois a fazer “juízos de probabilidade” sobre a possibilidade de o ministro das Finanças suceder a Lagarde e diferenciou esta questão das candidaturas de António Guterres ao cargo de secretário-geral das Nações Unidas e do próprio Centeno ao lugar de presidente do Eurogrupo – estas, sim, “objetivos do país” no plano diplomático, realçou.

Já em relação à hipótese de Mário Centeno ocupar uma pasta na futura equipa da Comissão Europeia na área da gestão do euro, António Costa referiu que já teve uma conversa com a nova presidente, a germânica Ursula Von der Leyen, tendo então ficado acordado que “cada país apresentaria sempre dois nomes, um de cada género”.

“Da nossa parte, foi dito quais as nossas preferências em matéria de responsabilidades na Comissão Europeia e que os nomes que apresentaríamos seria em função dos pelouros”, esclareceu, adiantando que, para Portugal, “era importante ter alguém a assumir uma função na área dos fundos europeus ou do orçamento”.

“Se o professor Mário Centeno continuar como ministro das Finanças e presidente do Eurogrupo, fará pouco sentido duplicar na Comissão Europeia a mesma área e seria mais interessante ficarmos numa área distinta. Mas, caso se concretize a hipótese de passar a ser diretor-geral do FMI, aí Portugal deixa de ter uma presença na reforma da zona euro, que é para nós absolutamente capital”, alegou.

Neste ponto, o primeiro-ministro aproveitou então para referir que há quem entenda que Portugal deveria ter “uma presença forte na área da agricultura” e que há pelouros importantes como os da transição para a sociedade digital ou o do desafio das alterações climáticas.

Questionado se está já afastada a possibilidade de o ex-ministro e atual eurodeputado socialista Pedro Marques ser comissário europeu, António Costa rejeitou, contrapondo que se trata de “um excelente nome”. “Para algumas das funções, é mesmo a melhor pessoa para as poder desempenhar”, respondeu, numa alusão à pasta da gestão dos fundos europeus.

  ZAP // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Campanha em velocidade de cruzeiro. Vamos aproveitar para ver qual a promessa mais mentirosa. Isto vai ser um fórróbódó de dádivas.

  2. Agora também já ele pode baixar impostos, até aqui tem subido, na próxima legislatura vai baixar! Mas que brincalhões são os políticos!

RESPONDER

Mais de mil ovelhas e cabras tomaram conta das ruas de Madrid (por um bom motivo)

Mais de mil ovelhas e cabras encheram as ruas de Madrid, este domingo, a propósito do tradicional Festival da Transumância, que foi cancelado no ano passado devido à pandemia da covid-19. De acordo com a agência …

Crise de abastecimento provoca escassez de camisolas de Natal

Na próxima época natalícia, os Estados Unidos podem enfrentar uma escassez de Ugly Sweaters, causada pela crise mundial dos transportes marítimos. As Ugly Sweaters são as típicas camisolas de Natal - por norma, coloridas e com …

Erupção de La Palma. Cães salvos por um grupo misterioso

Um grupo misterioso - que se auto-denomina A-Team - afirma ter resgatado vários animais "presos" devido à erupção do vulcão Cumbre Vieja em La Palma, nas Canárias. De acordo com o jornal britânico The Guardian, as …

Alec Baldwin

Assistente que entregou arma a Alec Baldwin já teria tido práticas inseguras

Uma fabricante de adereços disse que, no passado, já tinha mostrado preocupação com o facto de o assistente de realização ter protagonizado situações inseguras. No fim-de-semana, um documento judicial obtido pela CNN mostrou que a arma …

Metade dos chefes de equipa da Urgência do Hospital de Braga demitiu-se em bloco

Uma dezena de chefes de equipa da Urgência do Hospital de Braga demitiu-se esta segunda-feira, em protesto contra a falta de condições de trabalho e o "desinvestimento" no Serviço Nacional de Saúde. Contactada pela agência Lusa, …

Primeiro-ministro da Polónia acusa UE de ter "arma apontada à cabeça" do país

O primeiro-ministro polaco acusou a União Europeia (UE), esta segunda-feira, de "ter uma arma pontada à cabeça" da Polónia, ao exigir que Varsóvia reveja as reformas judiciais, ameaçando-a com sanções. Numa entrevista publicada pelo Financial Times, …

Carlos César acusa BE e PCP de terem preferido "jogos de poder"

O presidente do PS acusou, esta segunda-feira, os partidos de esquerda de terem preferido "os jogos de poder", no seguimento do anúncio de ambos do voto contra o Orçamento do Estado para 2022 (OE2022). "BE e …

O dirigente do PSD Paulo Mota Pinto

Mota Pinto aponta "irresponsabilidade" de marcar diretas. Rangel reforça importância de ter líder "fortemente legitimado"

O dirigente do PSD defendeu, esta segunda-feira, que o partido "está preparado" para legislativas antecipadas, defendendo que estas devem ocorrer "o mais rapidamente possível". Em declarações à agência Lusa, o presidente da Mesa do Congresso e …

EMA aprova terceira dose da vacina da Moderna a partir dos 18 anos

A Agência Europeia do Medicamento (EMA) deu luz verde, esta segunda-feira, à administração da terceira dose da vacina da Moderna a partir dos 18 anos. Em comunicado, a agência refere que os dados apontam que uma …

Câmara do Porto aprova sistema de videovigilância no centro histórico

Esta segunda-feira, na reunião do Executivo portuense, foi aprovado, com o voto contra da CDU e do BE, o protocolo a celebrar com a PSP para implementação da videovigilância na Baixa do Porto. O presidente da …