Costa afasta novas restrições no Natal (e apela às famílias para que façam autotestes)

1

Mário Cruz / Lusa

António Costa

Esta quarta-feira, o primeiro-ministro António Costa pronunciou-se pela primeira vez sobre a vacinação das crianças, adiantando que deverá começar pelas de 11 anos. Sobre o Natal, afastou novas restrições, mas apelou aos cuidados especiais numa altura em que há mais reuniões familiares.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

A decisão da Direção-Geral da Saúde (DGS), que recomenda a vacinação contra a covid-19 das crianças com mais de 5 anos, foi conhecida esta terça-feira. Hoje, no programa “Casa Feliz” da SIC, António Costa disse que a medida “perturbará menos o ano letivo” e que cabe aos pais a decisão de vacinar os mais novos.

Apesar de ter insistido na importância de também as crianças serem vacinadas, uma vez que há várias internadas, o primeiro-ministro admitiu que os pais possam ter dúvidas e sugeriu que as esclareçam junto dos pediatras.

O Estado não vai obrigar ninguém a ser vacinado“, garantiu, citado pelo Jornal de Notícias. “Uma criança infetada tem um efeito muito nocivo para o conjunto da sociedade porque implica uma interrupção do seu processo de aprendizagem, isolamento de toda a turma, até às vezes o isolamento da própria escola quando são pequenas ou têm irmãos em várias salas”, justificou.

“É uma vacina muito testada, há países onde já estão a ser vacinadas e isso é muito importante para proteger as crianças”, acrescentou. As primeiras 300 mil doses da vacina chegam na próxima semana e está agendada uma conferência de imprensa, por parte do Ministério da Saúde e da coordenação do processo de vacinação, para sexta-feira.

Sobre um eventual agravamento das medidas de restrição contra a pandemia no Natal, Costa avançou que não há nada previsto. “Na próxima semana, vamos ter um aumento da taxa de incidência. As medidas foram tomadas para controlar esse crescimento.”

Em entrevista à SIC, sublinhou ainda a importância da testagem, que considera fundamental, sobretudo para detetar casos assintomáticos.

Principalmente nesta época festiva que se avizinha, são necessários “cuidados especiais”. Na sequência deste entendimento, António Costa recomendou às famílias a realização de autotestes antes dos convívios.

“O objetivo é não ter um janeiro de 2022 terrível como o janeiro de 2021”, sublinhou.

  Liliana Malainho, ZAP //

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.