/

DGS recomenda vacinação para crianças a partir dos 5 anos

4

Abir Sultan / EPA

A DGS justifica a decisão com a posição favorável da Comissão Técnica de Vacinação. A vacina que vai ser administrada às crianças é a da Pfizer.

Depois de semanas de discussão entre os especialistas, a Direcção-Geral ds Saúde (DGS) decidiu avançar coma a recomendação da vacina contra a covid-19 para crianças entre os 5 e 11 anos, com “prioridade para as crianças com doenças consideradas de risco para covid-19 grave”, revelou em comunicado.

A vacina que vai ser administrada será a da Pfizer, que já foi aprovada para uso pediátrico pela Agência Europeia do Medicamento (EMA).

“Esta recomendação surge na sequência da posição da Comissão Técnica de Vacinação contra a covid-19 (CTVC), que considerou, com base nos dados disponíveis, que a avaliação risco-benefício, numa perspectiva individual e de saúde pública, é favorável à vacinação das crianças desta faixa etária”, explica a DGS.

Recorde-se que nas últimas semanas, a faixa etária entre os cinco e 11 anos tem registado um elevado número de infecções por covid-19. Apesar de alguns especialistas considerarem que os riscos da vacina não superam os benefícios no caso das crianças, a DGS seguiu a recomendação da CTVC.

A DGS lembra que “o número de novos casos em crianças tem vindo a aumentar” e que, apesar da doença costumar ser ligeira nestas idades, também “existem formas graves de covid-19 em crianças”.

“O risco de hospitalização é maior em crianças com doenças de risco, contudo, muitos dos internamentos ocorrem em crianças sem doenças de risco”, lê-se ainda.

O primeiro-ministro já tinha referido que são elegíveis para a vacinação 637 907 crianças. Ainda antes da decisão oficial ser conhecida, Portugal já estava a comprar vacinas no caso da DGS dar um parecer favorável, havendo já 600 mil doses previstas para este efeito.

As primeiras 300 mil vacinas da Pfizer para crianças vão chegar a Portugal no dia 13 de Dezembro. Em Janeiro, chegarão mais 400 mil, avançou hoje o secretário de Estado Adjunto da Saúde.

Está também marcada para 10 de Dezembro uma conferência de imprensa para esclarecimentos adicionais e informações sobre como vai funcionar o calendário de vacinação.

  ZAP //

4 Comments

  1. ” a faixa etária entre os cinco e 11 anos tem registado um elevado número de infecções”, pois devem ter ido sozinhas para as discotecas ou convívios… Se apanharam foi por causa dos adultos, muitos deles já vacinados. Até quando vão continuar com esta palhaçada?

    • Quando uma boa parte da população começar a cair para o lado… algo que ninguém aborda como sendo tabu mas que é significativo! Viva a propaganda do medo!

  2. se as vacinas funcionam tão bem, afinal o que se passa? se são todos vacinados, como se contagiam as crianças? e agora recomadam vacinar miúdos, com uma vacina de 2 anos de “velha”? quando os miúdios têm zero problemas? pior a emenda que o soneto….

  3. Creio que teremos de ser pais muito pusilânimes e bacocos para deixar que administrem uma vacina sem qualquer benefício palpável às nossas crianças.

    Está mais que provado que a vacina não diminui a probabilidade de o portador transmitir o vírus e que nem sequer diminui grandemente a possibilidade de contrair a doença. O que sabemos é que os efeitos para quem toma a vacina podem ser menores ou até imperceptíveis sendo que assim nos tornamos em transmissores assintomáticos (com os perigos que isso acarreta).

    Estar, portanto, a administrar tal “produto da ciência” a uma faixa etária que tem uma taxa de complicações devidas ao vírus de 0 a 0.03% é como estar a dizer-lhes para irem de capacete para a escola porque podem ser atingidos por um pedaço de meteorito. É possível mas tão improvável como eu ganhar o euromilhões, até porque não jogo.

    É estar a sujeitá-los à maior experiência jamais feita com a espécie humana (sim, a vacina é experimental e altamente inefectiva) para os proteger de uma coisa para a qual eles não precisam de protecção. E a quem quiser comparar este tipo de vacina com uma vacina estabelecida há décadas e com efeitos positivos comprovados: TENHAM NOÇÃO E ABSTENHAM-SE DE COMENTAR.

    Ter um governo que papagueie a vacinação de crianças como uma coisa positiva e que force a DGS a aprovar a mesma comprando as mesmas antes da sua aprovação dá-me vergonha. Vergonha de ter um governo destes e concidadãos que não saibam ver a diferença entre um pau-mandado que só se interesse em ter a sua gamela cheia e um líder (que é coisa que não temos por cá).

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.