Coreia do Sul proíbe lançamento de folhetos para a Coreia do Norte. “Submissão vergonhosa” a Pyongyang

(dv) KNS / KCNA / YONHAP / EPA

O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un

O Parlamento da Coreia do Sul acaba de aprovar uma lei que criminaliza o lançamento de folhetos e outros objetos para a Coreia do Norte, cuja moldura penal prevê multas até 27.500 dólares e prisão efetiva para os infratores.

A lei foi proposta em meados de junho pelo Partido Democrata, do qual faz parte o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, depois de vários grupos de desertores e ativistas lançarem folhetos com propaganda através da fronteira, escreve a revista Vice.

Em resposta, a Coreia do Norte destruiu um escritório de ligação inter-coreana e cortou todas as comunicações com o território do sul.

Lee Jae-myung, membro do Partido Democrata e governador de uma província localizada na fronteira entre as Coreias, afirmou, no início do mês, que os panfletos colocam a sua população em risco, uma vez que provocam o Norte e representam um “ato anti-nacional”, que ameaça a segurança nacional do país.

“O texto dos panfletos não pretendia melhorar os direitos humanos da Coreia do Norte ou defender o regime da Coreia do Sul, mas gozar e atacar uma determinada pessoa“, disse o político, referindo-se ao líder norte-coreano, Kim Jong Un.

Song Young-gil, que liderou o projeto de lei, escreveu que há determinados grupos de pessoas que negligenciam o acordo em que as duas Coreias “concordaram trocar calúnias”, recordando que este mesmo acordo entrou em vigor em 1972.

Quem não viu com bons olhos a aprovação desta lei, que já ficou batizada como lei “anti-folheto”, foram os deputados do principal partido da oposição, o Partido do Poder do Povo, que consideram a nova legislação uma “submissão vergonhosa a Kim Yo Jong”, a irmã mais nova de Kim Jong Un, que criticou os panfletos de propaganda e os ativistas.

Kim Yo Jong chegiu mesmo a ameaçar desistir do acordo militar inter-coreano, selado em 2018, se o Sul não tomasse medidas para parar com o lançamento destes folhetos, que na maioria das vezes visam Kim Jong Un e as suas ambições nucleares.

 

A oposição alega que a lei suprime a liberdade de expressão e as atividades pelos direitos humanos, escreve ainda a mesma revista norte-americana.

Com a revisão à lei, os infratores poderão agora ser punidos com uma multa que pode chegar aos 27.500 dólares, cerca de 22.6000 euros, ou pena de prisão até três anos.

A Vice recorda ainda que esta lei deverá visar a organização não governamental Fighters for a Free North Korea (FFNK), liderada por desertores norte-coreanos que organizam o lançamento de folhetos há pelo menos dez anos.

 

Balões, folhetos de propagada, cartões e SD e até dólares americanos têm sido enviados por esta organização para a Coreia do Norte através da fronteira nos últimos anos.

ZAP //

 

PARTILHAR

RESPONDER

França 1-0 Alemanha | Gauleses cantam de galo em Munique

A França, campeã mundial e vice-campeão europeia em título, venceu hoje a Alemanha por 1-0, em encontro da primeira jornada do Grupo F do Euro2020, disputado na Allianz Arena, em Munique. Um autogolo de Mats Hummels, …

Nunca chegou a vaguear no mar. Ford encontra mensagem centenária em garrafa numa estação de comboios nos EUA

Há muitas mensagens engarrafadas que começam e terminam a sua vida em barcos, na costa ou até mesmo no mar. Recentemente, a Ford Motor Company encontrou uma mensagem numa garrafa na antiga Estação Central de …

Há uma estranha petição a pedir que Jeff Bezos compre a Mona Lisa (e a coma)

Está a circular na Internet uma estranha petição que incentiva Jeff Bezos, fundador da Amazon, a comprar o quadro da Mona Lisa para o comer. A petição online "Queremos que Jeff Bezos compre e coma a …

Depois da reforma de Magawa, há uma nova recruta de ratos gigantes que detetam minas no Camboja

O Camboja recrutou uma nova equipa de ratos farejadores de minas para substituir os já "aposentados", num esforço para impulsionar as operações de desminagem no país. O país, atormentado durante décadas por munições não detonadas, recrutou …

Coca-Cola responde a Ronaldo: "Toda a gente tem direito às suas preferências"

Depois de Cristiano Ronaldo ter afastado duas garrafas de Coca-Cola durante uma conferência de imprensa, a marca respondeu ao jogador, dizendo que "toda a gente tem direito às suas preferências de bebidas". Numa conferência de imprensa …

Mochila voadora elétrica passa no primeiro teste em praia australiana

Qualquer um dava tudo para poder voar. Recentemente, uma startup australiana revelou o vídeo do primeiro voo de teste do seu dispositivo voador pessoal, com uma configuração totalmente elétrica que o torna mais amigo do …

"Lamento profundamente." Ex-diretor da BBC pede desculpas ao Príncipe William pela entrevista com Diana

Tony Hall, ex-diretor geral da BBC, lamentou "profundamente a dor" que a entrevista feita em 1995 a Diana de Gales causou ao príncipe William. O ex-diretor geral da rede BBC Tony Hall expressou, esta terça-feira, …

Fernando Santos: "O jogo esteve muito difícil"

Falta de eficácia durante a primeira parte poderia ter estragado os planos da campeã europeia, no jogo contra a Hungria. Portugal ganhou contra a Hungria por 3-0 mas, até aos 83 minutos, não houve golos em …

A partir de 2024, clientes vão pagar taxa pelas embalagens de take away

A partir de 2024, os clientes que comprarem comida através do take away vão passar a pagar uma taxa sobre as embalagens. A notícia é avançada esta terça-feira pelo Jornal de Notícias, que adianta que o …

Primeira-ministra da Nova Zelândia diz ter sido enganada por autora de biografia

A primeira-ministra da Nova Zelândia distanciou-se na segunda-feira do livro "Jacinda Ardern: Liderar com Empatia", a sua mais recente biografia, alegadamente baseado em entrevistas exclusivas. Esta é a terceira biografia sobre Jacinda Ardern. As duas primeiras, …