IRS. 3.000 contribuintes ricos pagam tanto como quase um milhão com rendimentos mais baixos

O número de contribuintes com rendimento superior a 250 mil euros por ano aumentou em 2017, de acordo com os dados da Autoridade Tributária (AT). Os contribuintes mais ricos são agora 3.125, mais 422 do que no ano anterior. Ao todo deram ao Estado 630 milhões.

O valor é quase tanto como os 636 milhões pagos pelas 935 mil famílias que estão nos três escalões mais baixos do IRS, onde os rendimentos ficam abaixo dos 13.500 euros anuais, de acordo com o Correio da Manhã.

A grande fatia do imposto recolhido sobre o rendimento, contudo, assenta na classe média alta. De acordo com o CM, os contribuintes que auferem um rendimento bruto entre os 40 e os 100 mil euros por ano são aqueles que contribuem para 40,7% de toda a receita arrecadada com o IRS.

Os dados de 2017 dão conta de uma subida na coleta total de IRS, ultrapassando os 11,5 mil milhões de euros no ano de 2017. É um valor que fica 7,2% acima do que tinha sido arrecadado no ano anterior.

Quase 50% das famílias portuguesas não paga IRS

Por outro lado, 46% dos agregados familiares portugueses não tiveram qualquer valor de IRS apurado. São eles os contribuintes com rendimentos do trabalho abaixo do limiar em que se paga, os mais pobres de todos, que não atingem o chamado mínimo de existência. Em 2017, esse valor estava nos 421 euros por mês.

Das 5.180.643 famílias portuguesas que declararam os rendimentos anuais às Finanças em 2017, quase metade, mais de 46%, não pagaram IRS: 2,4 milhões de agregados do universo total que declarou IRS.

Os restantes 55% agregados suportaram o pagamento de 11.527 milhões de euros, numa receita para o Estado que representa mais 776 milhões de euros face a 2016 devido face ao aumento do número de famílias que pagaram imposto naquele ano.

De acordo com os dados estatísticos divulgados pela Autoridade Tributária, e citados pelo Jornal Económico, 46,2% dos agregados, ou seja, 2.383.996 famílias ficaram isentas de pagar esse imposto. Enquanto 2.796.647 agregados suportaram o pagamento do imposto em 2017, registando um aumento de 6,3% – mais 165.210 famílias a pagar IRS.

A percentagem de contribuintes que não paga IRS é ainda maior se a análise incidir apenas nos rendimentos sobre trabalho dependente e pensões: 52% não paga imposto com o IRS liquidado a representar apenas 48% dos contribuintes.

Foram os agregados familiares com rendimentos brutos entre os 13.500 euros e os 50 mil euros que pagaram a maior percentagem de IRS: 44,2%. Ou seja, 5.094 milhões de euros.

Já a restante receita provém dos agregados com rendimentos acima de 50 mil euros. Em 2017, o imposto pago por famílias com rendimentos anuais brutos entre 100 mil e 250 mil atingiu os 5.166 milhões de euros. Os agregados com rendimentos superiores a 250 mil euros pagaram 630 milhões de euros de IRS, mais 100 milhões de euros face a 2016.

Segundo as estatísticas da AT, entre 2016 e 2017 registou-se, em termos globais, um crescimento de cerca de 2,16% no número de agregados que entregaram declaração (mais 109.492) “Este crescimento no número de declarações ficou a dever-se, ao aumento, em 5,09%, das DR Modelo 3-2 [trabalho dependente, pensões e outros rendimentos], e em 0,75% das DR Modelo 3-1 [apenas trabalho dependente e pensões]”, avança a AT.

20% tem rendimentos entre 19 mil e 27.500 euros

No que se refere à distribuição, em 2017, do número de agregados com IRS liquidado, por escalões de rendimento, são as famílias que obtiveram rendimentos brutos entre 19 mil e 27.500 euros que suportaram a maior fatia de imposto pago: 20%, num total de mais de 549 mil agregados e 1,3 mil milhões de euros de IRS liquidado.

Já as famílias que pagaram imposto ao Estado e obtiveram um rendimento bruto até 10 mil euros representam 17% do total (com 295 milhões de euros liquidados) e entre 10 mil e 19 mil euros de rendimentos representam 33,8 % do total (perto de 972 milhões de euros de IRS liquidado).

O número de agregados com IRS liquidado e que obtiveram um rendimento bruto entre 40 mil e 100 mil representam 13,8% do universo total de famílias que pagou IRS em 2015, num total de 4.691 milhões de euros. Os contribuintes rendimento bruto superior a 100 mil euros representam 1,6% do total com um total de IRS pago de 2.392 milhões de euros.

ZAP //

 

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. ### 3.000 contribuintes ricos pagam tanto como quase um milhão com rendimentos mais baixos ! ###
    E ganham mais do que mais de um milhão com rendimentos mais baixos !
    A verdade é que a fiscalidade portuguesa só é progressiva até ao escalão mais alto. A partir daí, pagam todos pela mesma taxa se tiverem os rendimentos declarados. Se tiverem mudado a sede para a Holanda, nada pagam a Portugal.
    A fiscalidade na França ou nos Estados Unidos é muito mais justa com estes multimilionários.
    Tão justa que alguns fogem para a Russia…

    Centeno vem com esta treta, para mostrar aos tugas que ele é mão de ferro com os ricos. Mas só engana os parvos.

RESPONDER

Câmara do Porto encerra cemitérios nos dias 31 de outubro e 1 e 2 de novembro

O presidente da Câmara do Porto anunciou o encerramento dos cemitérios em 31 de outubro e 1 e 2 de novembro, justificando a decisão com a necessidade de desviar meios para cumprir a proibição de …

Rui Vitória de saída do Al Nassr

O treinador português Rui Vitória está de saída do Al Nassr, avança este sábado o canal árabe 24Sports. A saída de Rui Vitória, que em janeiro de 2019 deixou o comando técnico do Benfica, surge …

Casamento com 200 pessoas autorizado em Arruda dos Vinhos. Câmara contesta

O presidente da Câmara de Arruda dos Vinhos criticou a decisão da autoridade de saúde de autorizar a realização de um casamento “com cerca de 200 pessoas”, considerando que vai colocar a população do concelho …

Novo Banco desmente demissão de gestores após polémicas com Fundo de Resolução e Vieira

O Novo Banco veio a público desmentir a notícia do Público que alega que três gestores de topo da instituição se demitiram, após divergências internas envolvendo várias polémicas relacionadas com o Fundo de Resolução, com …

Milhões da bazuka europeia só chegam em junho

Portugal e os restantes Estados-membros das União Europeia (UE) só deverão receber os respetivos fundos da bazuka europeia de apoio à retoma no pós-pandemia na segunda metade de 2021, em meados de junho. A confirmar-se …

Braço de ferro entre Costistas e Nunistas novamente adiado

O PS voltou a adiar, agora de 31 de Outubro para 7 de Novembro, a reunião da Comissão Nacional que decidirá a orientação do partido face às eleições presidenciais. Fica assim adiado o braço-de-ferro entre …

Cercas sanitárias e recolher obrigatório. Governo avalia novas medidas na próxima semana

O Ministério da Saúde, liderado por Marta Temido, vai voltar a reunir na próxima semana com o Conselho Nacional de Saúde Pública (CNSP), num encontro em que serão discutidas novas medidas para travar a propagação …

Presidenciais EUA. Biden promete vacina gratuita para todos, Trump apela ao voto latino

Joe Biden e Donald Trump continuam em campanha eleitoral para a corrida à Casa Branca, numas eleições que estão agendadas para 3 de novembro. O candidato presidencial democrata Joe Biden prometeu esta sexta-feira que a vacina …

Há 72 concelhos com risco "muito elevado" de contágio. Governo esconde mapas de perigo

O Governo insiste em não divulgar os mapas de perigo com o risco de contágio por coronavírus que foram feitos por peritos da Direcção Geral de Saíde (DGS). Isto numa altura em que o Expresso …

Nuno Melo estuda candidatura à liderança do CDS

O eurodeputado Nuno Melo não excluiu uma candidatura à liderança do CDS, avança este sábado o semanário Expresso. Confrontado pelo jornal, o eurodeputado não excluiu uma eventual candidatura à liderança dos centristas, dizendo apenas que "não …