Comissão da CGD não vai apresentar queixa contra Banco de Portugal

José Sena Goulão / Lusa

O governador do banco de Portugal, Carlos Costa

A comissão parlamentar de inquérito à Caixa Geral de Depósitos não vai apresentar queixa contra o Banco de Portugal, alegando que os argumentos jurídicos não são sólidos o suficiente.

Apesar de o relatório final da comissão parlamentar de inquérito ser bastante crítico à gestão do Banco de Portugal durante os últimos anos, não vai ser apresentada queixa no Ministério Público contra a instituição financeira. A comissão entende que o relatório foi útil, mas que não foram retiradas conclusões significativas para avançar com um processo.

No entender dos deputados, não havia argumentos jurídicos sólidos o suficiente para apresentar uma queixa por crime de desobediência. Isto devido a um relatório de avaliação de acompanhamento do Banco de Portugal ao BES, que o Parlamento e a comissão têm pedido, mas que ainda não foi entregue.

O BdP entende que o facto de este se tratar de um relatório sobre a gestão do Banco Espírito Santo, não tem enquadramento no inquérito à gestão da CGD. O deputado Luís Leite Ramos explica, em declarações ao jornal Expresso, que “neste caso, o argumento utilizado não é negar informação. É dizer que a informação ultrapassa o objeto da comissão” e que estariam a violar o direito de segredo com a sua entrega.

Então, os deputados dividiram-se sobre a validade e importância do relatório da gestão do BES. Em sentido contrário, a situação foi diferente no processo apresentado contra a Associação Coleção Berardo, no qual os deputados não têm dúvidas que houve um crime de desobediência.

A auditoria feita pela Ernst & Young (EY) à CGD foi alvo de uma participação à Comissão do mercado de Valores Mobiliários (CMVM) por alegadas “incorreções e inverdades” do relatório. Os gestores Fernando Faria de Oliveira, Norberto Rosa, Jorge Tomé, Francisco Bandeira e José Araújo e Silva subscreveram a queixa.

Os deputados dizem ter feito a sua própria leitura dos processos, defendendo que o relatório da EY não foi base dos trabalhos da comissão e afastando-se da polémica.

O relatório, apesar de individualizar alguns gestores em particular, critica todas a gestões entre 2000 e 2015 — período no qual “foram identificadas práticas de concessão de crédito na CGD que desrespeitaram recorrentemente critérios de prudência e boa gestão”.

O relatório acabou por sentenciar que “a CGD não foi gerida de forma sã e prudente” e que “desviou-se da sua missão enquanto banco público“. Além dos administradores, também os supervisores foram criticados, realçando que, apesar de terem sido comunicadas irregularidades ao Ministério das Finanças e ao Banco de Portugal, não há “evidência de diligências efetuadas no sentido de as colmatar”.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Estes Srs. , tanto falam de projectos contra a corrupção na grande Casa da Democracia, que por fim vê-se o resultado. A culpa morre Solteira,ou seja quando não se resolve o “Problema” é porque não existe Problema. Andam todos a solta, isso é que é evidente !….. Lei cega só de um olho !

Excesso de higiene está a tornar a nossa saúde mais frágil, aponta estudo

Um grupo de investigação do Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC) divulgou recentemente um estudo sobre a perda de diversidade da flora intestinal - também denominada como microbiota - e as consequências desta diminuição na nossa …

Tiroteio na Alemanha faz pelo menos seis mortos e vários feridos

Pelo menos seis pessoas morreram e várias ficaram feridas num tiroteio, esta sexta-feira, na cidade alemã de Rot am See. De acordo com vários media alemães, pelo menos seis pessoas morreram num tiroteio em Rot am …

IKEA aumenta salário de entrada dos trabalhadores para 700 euros

A IKEA aumentou o salário de entrada para trabalhadores a tempo inteiro de 650 euros para 700 euros brutos mensais, acima do salário mínimo nacional (635 euros), anunciou hoje a cadeia de venda de mobiliário. Em …

Mortes nos Comandos. Recruta diz que colocaram um cateter em Hugo Abreu já depois de estar morto

Rodrigo Silvano, o último recruta no curso 127 de Comandos a sair da tenda de enfermaria onde morreu Hugo Abreu no primeiro dia da Prova Zero, relatou ao tribunal que viu o enfermeiro do INEM …

Rafa inegociável. Benfica só vende por 80 milhões de euros

Rafa é inegociável. O Benfica só deixar sair o extremo de 26 anos pelo valor da sua cláusula de rescisão, que está fixada nos 80 milhões de euros. A notícia é avançada esta sexta-feira pelo Correio …

França é esta sexta-feira novamente palco de greve geral contra reforma das pensões

Os sindicatos franceses voltam à rua no 51.º dia de greve contra a reforma das pensões que é apresentada esta sexta-feira no Conselho de Ministros. Durante esta sexta-feira, não se espera o nível de paralisação …

Marcelo nada diz sobre eventual candidatura de Ana Gomes à Presidência da República

O Presidente da República recusou esta quinta-feira comentar, em Israel, uma possível candidatura presidencial da ex-eurodeputada do PS Ana Gomes. "Eu não faço comentários sobre a vida política portuguesa", justificou Marcelo Rebelo de Sousa, quando questionado …

Defeito nos travões força Metro do Porto a andar devagar. Falha foi detetada há um ano

O descarrilamento de um metro na estação de Campanhã foi provocado por um defeito nos patins eletromagnéticos. A avaria afeta vários veículos da frota do Metro do Porto. No passado dia 2 de janeiro, uma falha …

Soares da Costa acusada de ajudar hotel-fantasma a "sacar" 1,2 milhões de euros ao Estado

A Soares da Costa e dois ex-responsáveis de um dos maiores grupos de construção civil portugueses estão acusados de fraude e de branqueamento de capitais num processo judicial que envolve um hotel-fantasma, que nunca foi …

Chega vai organizar angariação de fundos para a pediatria do S. João (mas hospital não sabe de nada)

O partido Chega, liderado por André Ventura, vai realizar um jantar no Mercado Ferreira Borges, no Porto, esta sexta-feira, e anunciou que parte da receita reverte para o serviço de Oncologia Pediátrica do S. João. …