Comissão da CGD não vai apresentar queixa contra Banco de Portugal

José Sena Goulão / Lusa

O governador do banco de Portugal, Carlos Costa

A comissão parlamentar de inquérito à Caixa Geral de Depósitos não vai apresentar queixa contra o Banco de Portugal, alegando que os argumentos jurídicos não são sólidos o suficiente.

Apesar de o relatório final da comissão parlamentar de inquérito ser bastante crítico à gestão do Banco de Portugal durante os últimos anos, não vai ser apresentada queixa no Ministério Público contra a instituição financeira. A comissão entende que o relatório foi útil, mas que não foram retiradas conclusões significativas para avançar com um processo.

No entender dos deputados, não havia argumentos jurídicos sólidos o suficiente para apresentar uma queixa por crime de desobediência. Isto devido a um relatório de avaliação de acompanhamento do Banco de Portugal ao BES, que o Parlamento e a comissão têm pedido, mas que ainda não foi entregue.

O BdP entende que o facto de este se tratar de um relatório sobre a gestão do Banco Espírito Santo, não tem enquadramento no inquérito à gestão da CGD. O deputado Luís Leite Ramos explica, em declarações ao jornal Expresso, que “neste caso, o argumento utilizado não é negar informação. É dizer que a informação ultrapassa o objeto da comissão” e que estariam a violar o direito de segredo com a sua entrega.

Então, os deputados dividiram-se sobre a validade e importância do relatório da gestão do BES. Em sentido contrário, a situação foi diferente no processo apresentado contra a Associação Coleção Berardo, no qual os deputados não têm dúvidas que houve um crime de desobediência.

A auditoria feita pela Ernst & Young (EY) à CGD foi alvo de uma participação à Comissão do mercado de Valores Mobiliários (CMVM) por alegadas “incorreções e inverdades” do relatório. Os gestores Fernando Faria de Oliveira, Norberto Rosa, Jorge Tomé, Francisco Bandeira e José Araújo e Silva subscreveram a queixa.

Os deputados dizem ter feito a sua própria leitura dos processos, defendendo que o relatório da EY não foi base dos trabalhos da comissão e afastando-se da polémica.

O relatório, apesar de individualizar alguns gestores em particular, critica todas a gestões entre 2000 e 2015 — período no qual “foram identificadas práticas de concessão de crédito na CGD que desrespeitaram recorrentemente critérios de prudência e boa gestão”.

O relatório acabou por sentenciar que “a CGD não foi gerida de forma sã e prudente” e que “desviou-se da sua missão enquanto banco público“. Além dos administradores, também os supervisores foram criticados, realçando que, apesar de terem sido comunicadas irregularidades ao Ministério das Finanças e ao Banco de Portugal, não há “evidência de diligências efetuadas no sentido de as colmatar”.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Estes Srs. , tanto falam de projectos contra a corrupção na grande Casa da Democracia, que por fim vê-se o resultado. A culpa morre Solteira,ou seja quando não se resolve o “Problema” é porque não existe Problema. Andam todos a solta, isso é que é evidente !….. Lei cega só de um olho !

João Loureiro já tem bilhete para regressar a Portugal

João Loureiro já tem bilhete para regressar a Portugal. A Polícia Federal brasileira reitera que, no caso do jato privado que transportava droga para Portugal, “todos são suspeitos”. O Jornal de Notícias avança, esta sexta-feira, que …

Carlos Moedas "tem uma costela liberal". IL pondera apoio ao candidato à câmara de Lisboa

O líder da Iniciativa Liberal (IL), João Cotrim de Figueiredo, disse que Carlos Moedas, candidato à câmara de Lisboa apoiado pelo PSD, tem um "perfil liberal", mas que o partido precisa de perceber projeto do …

Primeiro-ministro da Arménia acusa militares de tentativa de golpe de Estado

O primeiro-ministro da Arménia referiu-se hoje a "tentativa de golpe de Estado" depois de o Estado Maior ter pedido o afastamento do governo num contexto de protestos por causa da derrota no último conflito com …

EUA condenam Coreia do Norte a indemnizar militares torturados em 1968

A Justiça dos Estados Unidos (EUA) condenou Pyongyang a indemnizar em 2,3 mil milhões de dólares (cerca de dois mil milhões de euros) os tripulantes de um navio da Marinha norte-americana, que foram capturados e …

Ex-gestores do Novo Banco seguem para Banco do Fomento e para CGD

Os gestores Vítor Fernandes e Jorge Freire Cardoso, que saíram do Novo Banco em divergência com a estratégia da Lone Star, vão desempenhar as funções de presidente do Banco de Fomento e de administrador na Caixa …

EUA acusado de prometer contrapartidas a Cabo Verde pela extradição de testa-de-ferro de Maduro

O antigo juiz espanhol Baltasar Garzón, que coordena a defesa de Alex Saab, detido em Cabo Verde e considerado testa-de-ferro do Presidente venezuelano Nicolás Maduro, acusou na quinta-feira os Estados Unidos (EUA) de prometerem contrapartidas …

Bispo italiano sugeriu a padre que pagasse 20 mil euros a vítima de pedofilia

O bispo católico de Como, em Itália, afirmou ter sugerido a um jovem padre suspeito de pedofilia que pagasse 20 mil euros à suposta vítima para encerrar uma investigação interna ao caso ocorrido numa residência …

Governo reforça financiamento de projetos LGBTI com 50 mil euros

O Governo vai reforçar em 50 mil euros o financiamento de projetos de organizações que atuem na defesa dos direitos das pessoas lésbicas, gays, bissexuais, trans e intersexo (LGBTI), anunciou o gabinete da secretária de …

CDS pede ao Governo "um plano de desconfinamento controlado, à inglesa"

Francisco Rodrigues dos Santos quer que o Executivo apresente um plano de desconfinamento que permita a retoma da atividade de alguns setores. Esta sexta-feira, o presidente do CDS-PP insistiu na necessidade de o Governo apresentar um …

Para os idosos que estão em lares, visitar a família sem isolamento poderá acontecer em maio

A CNIS estima que, com todos os idosos residentes em lares vacinados, maio possa ser o mês da libertação depois de mais de um ano de pandemia, confinamentos e restrições apertadas. DGS diz que orientações …