/

Colossal disco de gelo giratório “invade” rio no Maine

(cv)

Um enorme círculo de gelo giratório formou-se esta semana no rio de Presumpscot, na cidade de Westbrook, no estado norte-americano de Maine. Este bizarro disco, ainda que raro, é um fenómeno natural fruto da Física.

Fotografias captadas pelo Departamento de Comunicação e Marketing da cidade norte-americana, liderado por Tina Radel, mostram as dimensões do disco de gelo que parece ter uma superfície maior do que algumas garagens que circundam a área. Um vídeo publicado pela cidade mostra as dimensões do fenómeno (e conta com música dramática de fundo).

“Não parece estar a movimentar-se para cima ou para baixo neste momento”, disse Radel esta segunda-feira em declarações à Earther. “Continua a girar no sentido oposto dos ponteiros do relógio. O meu palpite é que pode ficar maior à medida que mais gelo se for formando. Há previsões de neve para o fim de semana”, avisou.

Apesar de incríveis, os discos giratórios de gelo não são propriamente novos. O estudo sobre estes fenómenos remonta, pelo menos, a finais da século XIX. Pesquisas sobre discos observados anteriormente, publicadas na revista científica Physical Review em meados de 2016, explicam o fenómeno: à medida que o gelo afunda, os discos “vão para baixo, girando horizontalmente, de forma a que um vórtice vertical é gerado sob o disco de gelo”.

Em declarações ao Press Herald, Mark Battle, professor associado de Física no Bowdoin College em Brunswick, sugeriu que o disco de Westbrook pode também ter resultado de uma massa de gelo espessa que se movia no rio, tendo fica preso perto da costa.

O Press Herald ouviu ainda Doug Bertlesman, um programador web da Ethos Marketing, empresa sediada junto à margem do rio, que estimou que o disco giratório tenha pelo menos 91 metros de de diâmetro. A confirmar-se este valor, o disco de Maine pode ultrapassar os valores já registados noutros países, como na Suécia.

  ZAP // Gizmodo

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.