“Coletes amarelos” não arredam pé e Macron é já menos popular que Trump

Etienne Laurent / EPA

O presidente da França, Emmanuel Macron

O movimento “coletes amarelos” não desmobilizou perante o anúncio, terça-feira, do governo francês de suspensão de taxas e marcou nova manifestação para sábado. Já o Presidente Macron está em queda de popularidade, registando valores mais baixos do que o seu homólogo norte-americano, Donald Trump.

Por toda a França, os apelos para mobilizar um quarto sábado consecutivo de manifestações dos “coletes amarelos” foram mantidos.

O Presidente, Emmanuel Macron, alvo de todas as críticas pela sua política económica, viu o seu índice de popularidade cair 6 pontos, para 23%, segundo uma sondagem terça-feira divulgada. O Presidente norte-americano, que também tem sentido uma queda na sua taxa de popularidade, regista uma aprovação de 40% dos eleitores norte-americanos, de acordo com uma sondagem da ABC News/Washington Post, realizada pelo Instituto Langer Research Associate e divulgada no passado mês de novembro.

É uma diferença de 17 pontos percentuais que divide o Presidente Francês do seu seu homólogo norte-americano. Tal como relata a imprensa internacional, o protestos dos “coletes amarelos” teve um forte impacto na popularidade de Macron.

O chefe de Estado recebeu terça-feira durante uns minutos um “colete amarelo” no Palácio do Eliseu, mas ninguém revelou o teor da conversa. Dois jogos de futebol da Ligue 1, PSG – Montpellier e Toulouse-Lyon, marcados para sábado, já foram adiados.

Eric Drouet, um dos membros mais conhecidos dos “coletes amarelos”, já convocou o movimento para “voltar a Paris” no sábado, “perto de locais de poder, dos Campos Elísios, do Arco do Triunfo, do Concorde”. “As pessoas estão cada vez mais motivadas, estão a organizar-se, seremos ainda mais numerosos”, disse Drouet à agência France Presse.

Já Benjamin Cauchy, outra das figuras do movimento, reconheceu um “primeiro passo” nas medidas do governo. Mas “os franceses não querem migalhas, querem a varinha na íntegra”, afirmou.

Envolto na crise provocada pelo movimento dos “coletes amarelos”, o governo francês anunciou nesta terça-feira a suspensão de um aumento nas taxas de combustível para “trazer de volta o apaziguamento” ao país.

Mas as palavras do primeiro-ministro Édouard Philipp, não parecem ter tido grande efeito nos manifestantes, que prometem novas manifestações no próximo sábado. “Nenhum imposto merece pôr em perigo a unidade da nação”, disse o primeiro-ministro francês, num discurso na televisão, acrescentando que “seria necessário ser surdo” para “não ouvir a raiva” dos franceses nas ruas.

Segundo os analistas, este anúncio representa um revés para Emmanuel Macron, que, desde o início do seu mandato, fez questão de não ceder às ruas.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Isto tudo é pretexto p/ deitar abaixo o governo MAcron mais NADA… a politica é MT SUJA. A França só vai acordar p/ a realidade quando um dia a UE lhe tirar o tapete… depois podem fazer o q quiserem, como fizeram os gregos e de NADA lhes valeu. Os politicos anteriores deram tudo agora …

  2. Nos próximos anos muita coisa vai acontecer nesta Europa. A extrema direita está a avançar em todos os lados. Esta quadrilha de incompetentes tem que ser corrida antes que seja tarde.

Júlio Isidro recebe Medalha de Mérito Cultural

O Governo atribuiu a Medalha de Mérito Cultural ao locutor e apresentador de televisão Júlio Isidro, realçando o “inestimável trabalho de uma vida dedicada” ao audiovisual. A entrega da Medalha de Mérito Cultural foi feita, num …

EUA. Mulher é detida após tentar construir uma bomba numa loja da Walmart

Uma norte-americana foi detida numa loja da Walmart, na Florida, Estados Unidos (EUA), após tentar construir uma bomba dentro do estabelecimento comercial. A mulher, que tinha uma criança consigo, foi identificada pelo segurança quando andava sem …

Simeone reitera confiança em João Félix. "Acreditamos totalmente nele"

O técnico do Atlético de Madrid, Diego Simeone, voltou a falar de João Félix esta sexta-feira, reiterando toda a confiança no avançado de 20 anos. "A Supertaça foi mais um passo de experiência para um rapaz …

Ensino Superior com mais concursos para professores em 2019

As instituições de Ensino Superior abriram, em 2019, mais 948 concursos para a carreira docente do que em 2018, anunciou, esta quinta-feira, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. De acordo com uma nota do …

Paulo Gonçalves. Seguradoras atrasam autópsia e trasladação do corpo para Portugal

Paulo Gonçalves faleceu no domingo, aos 40 anos, na sequência de uma queda sofrida ao quilómetro 273 da sétima de 12 etapas do Rali Dakar. Exigências das seguradoras quanto a despistes toxicológicos ao corpo de Paulo …

Estivadores vão fazer greve em Setúbal e ameaçam fazer o mesmo em Lisboa

O Sindicato dos Estivadores e Atividade Logística (SEAL) revelou esta sexta-feira que vai entregar já na segunda-feira um pré-aviso de greve no Porto de Setúbal e ameaça fazer o mesmo no Porto de Lisboa. “Os trabalhadores …

Segundo maior diamante transforma-se em joias Louis Vuitton

Depois de cortado e polido, o segundo maior diamante da história será transformado numa coleção de joias da Louis Vuitton. A Lucara Diamond encontrou o diamante Sewelo, de 1.758 quilates, na sua mina do Botswana, no …

Filho do presidente da Câmara de Pedrógão Grande "sem memória" no caso da reconstrução de casas

O adjunto do presidente da Câmara de Pedrógão Grande, Telmo Alves, que também é filho do autarca, disse em Tribunal que desconhece o processo de reconstrução das casas ardidas no incêndio no concelho, em 2017, …

Joacine não está inscrita no congresso do Livre

De acordo com o semanário Expresso, a deputada única do Livre não se inscreveu na reunião magna do partido, que se realiza este fim de semana, em Lisboa. A deputada do Livre, Joacine Katar Moreira, e …

"Há condições para avançar" com o alargamento da ADSE

"Há condições para avançar" com o alargamento da ADSE aos contratos individuais do Estado e aos precários regularizados no PREVPAP, disse Alexandra Leitão, esta sexta-feira, no Parlamento. A ministra da Modernização do Estado e da Administração …