Coletes amarelos estão a aumentar por causa das fake news

Vídeos, imagens e notícias falsas têm-se disseminado mais entre “coletes amarelos” do que a informação produzida por meios franceses legítimos e isso permite ao movimento crescer em França.

Sophia Pedder, correspondente de economia e política para a revista The Economist em Paris, e Simon Kuper, jornalista do jornal Financial Times, radicado há vários anos na capital francesa, estiveram esta segunda-feira a debater o tema “Informações e fim da verdade: o que fazer face à crise de qualidade dos meios de comunicação de qualidade” a convite da delegação da Fundação Calouste Gulbenkian em Paris.

“Não digo que isto seja a única razão pela qual os coletes amarelos protestam. Eles têm razões muito válidas para se manifestar e as questões que levantam são verdadeiramente pertinentes, mas as informações falsas são um fator amplificador e que justifica este fenómeno”, explicou Sophia Pedder.

Desde “exploração francesa de países africanos através da utilização do franco” até “fotografias de um manifestante ensanguentado que são, afinal, de um protesto em Madrid“, a jornalista explicou que não sendo a primeira vez que o jornalismo lida com “propaganda” errónea, o que é inovador é a velocidade com que estas informações de propagam e quantidade de pessoas a que chegam.

A jornalista também indicou que vídeos disseminados pela Russia Today (RT) e Sputnik, meios russos presentes em França, tiveram mais visualizações do que vídeos produzidos pelos meios de comunicação franceses como o Le Monde ou o Le Figaro. Para Simon Kuper, as pessoas nunca estiveram interessadas na verdade, mas no entretenimento.

“As pessoas nunca quiseram saber a verdade. Porque havíamos de dar prioridade à verdade? A maior parte das pessoas quer ser entretida e tomar um partido. O que mudou é que há muito mais informações falsas hoje em dia. Muitos americanos acreditam que o 11 de setembro foi organizado pelo Governo, mas em 2001 não tinham como propagar essas histórias”, justificou o jornalista.

Outro problema que tem contribuído para a propagação destas notícias falsas, segundo Sophia Pedder, é o declínio do jornalismo local. “As grandes histórias do jornalismo eram contar o que realmente se passava e isso era muito bem feito pelo jornalismo local. Mas esse jornalismo tem vindo a desaparecer no Reino Unido, nos EUA e agora o jornalismo é muito mais centrado nas capitais”, indicou a jornalista.

Apesar de concordar que o jornalismo se faz nas capitais e que muitos jornalistas “querem ser estrelas e dar-se só com políticos e pessoas famosas” contando histórias dos corredores do poder, Simon Kuper considera que o jornalismo continua a ser mais credível do que a informação partilhada nas redes sociais.

“O jornalismo comete erros, mas temos procedimentos para verificar os nossos factos e, se mentirmos, vamos ser despedidos. Os jornalistas são castigados pelos seus erros e isso não acontece a quem escreve mentiras no Facebook. As pessoas não se apercebem de todas as verificações que existem no jornalismo”, indicou o jornalista.

Quanto a possíveis soluções, Sophia Pedder diz que não há uma lista a seguir. “Não temos as respostas numa lista, vamos tentando remediar as situações. A literacia dos media é interessante e é algo que os franceses estão a fazer, mas é algo geracional, portanto vai levar algum tempo. A verificação de factos também ajuda”, apontou a correspondente.

A conferência foi organizada e moderada por Ricardo Soares de Oliveira, professor na Universidade de Oxford.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Aeronave autónoma é uma alternativa acessível aos satélites (e já fez o seu primeiro voo)

A empresa Swift Engineering, em parceria com o Ames Research Center, da NASA, desenvolveu uma alternativa acessível aos satélites: uma aeronave autónoma de alta altitude e longa resistência. Já nasceu a alternativa acessível aos satélites: chama-se …

Reservas naturais chinesas salvaram os pandas da extinção (mas "esqueceram-se" dos leopardos)

Uma nova investigação revela que os esforços da China para salvar os pandas gigantes foram bem sucedidos, mas os mesmos falharam na proteção de outros animais que partilham o mesmo habitat, como é o caso …

Comunidade científica critica Trump por dizer que NASA estava "morta"

Na quarta-feira, o Presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, afirmou no Twitter que "a NASA estava fechada e morta" até que o próprio fez com que voltasse a funcionar, afirmação que gerou consternação na …

É "bastante provável" que chegue à Europa uma Cybertruck de menores dimensões

É "bastante provável" que uma Cybertruck de menores dimensões venha a ser produzida e chegue depois ao mercado europeu, revelou Elon Musk, CEO da Tesla, empresa que produz estas pickups elétricas. Questionado na rede social …

Mais seis mortos e 131 novos casos em Portugal nas últimas 24 horas

Portugal regista hoje mais seis mortos e 131 novos casos de infeção por covid-19 em relação a sábado, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde. O número de pessoas internadas é de 366, mais nove …

"Erro" do Instagram favoreceu conteúdo de Trump face ao de Biden

Um "erro" da rede social Instagram favoreceu durante dois meses o conteúdo gerado pela campanha de reeleição do atual Presidente norte-americano, Donald Trump, quando comparado com as publicações de Joe Biden, candidato democrata que está …

Fotografia partilhada nas redes sociais levou à suspensão de alunos nos Estados Unidos

Pelo menos dois alunos da North Paulding High School, no estado da Georgia, dizem ter sido suspensos depois de terem partilhado nas redes sociais uma fotografia na qual é possível ver um corredor da escola repleto …

Estado de Nova Iorque com mais mortes por Covid-19 do que França ou Espanha

Os Estados Unidos registaram 1.252 mortos e 63.913 infetados com o novo coronavírus nas últimas 24 horas, segundo uma contagem independente da Universidade Johns Hopkins. Os últimos números de casos e óbitos registados devido a Covid-19 …

Turistas voltam a viajar, mas optam pelo low-cost

Mesmo num contexto de pandemia mundial o desejo de ir de férias continua vivo. Os turistas voltaram a procurar voos, contudo as opções recaem em percursos de curta distância e mais económicos. Ao longo dos últimos …

Ventura anuncia recandidatura ao Chega e só sai do parlamento quando “metade daquela esquerda" sair

André Ventura anunciou esta noite a recandidatura à liderança do Chega, numa cerimónia em Leiria em que disse que só vai sair do parlamento “quando metade daquela esquerda sair”. “Estamos a fazer uma revolução democrática e …