Coletes amarelos estão a aumentar por causa das fake news

Vídeos, imagens e notícias falsas têm-se disseminado mais entre “coletes amarelos” do que a informação produzida por meios franceses legítimos e isso permite ao movimento crescer em França.

Sophia Pedder, correspondente de economia e política para a revista The Economist em Paris, e Simon Kuper, jornalista do jornal Financial Times, radicado há vários anos na capital francesa, estiveram esta segunda-feira a debater o tema “Informações e fim da verdade: o que fazer face à crise de qualidade dos meios de comunicação de qualidade” a convite da delegação da Fundação Calouste Gulbenkian em Paris.

“Não digo que isto seja a única razão pela qual os coletes amarelos protestam. Eles têm razões muito válidas para se manifestar e as questões que levantam são verdadeiramente pertinentes, mas as informações falsas são um fator amplificador e que justifica este fenómeno”, explicou Sophia Pedder.

Desde “exploração francesa de países africanos através da utilização do franco” até “fotografias de um manifestante ensanguentado que são, afinal, de um protesto em Madrid“, a jornalista explicou que não sendo a primeira vez que o jornalismo lida com “propaganda” errónea, o que é inovador é a velocidade com que estas informações de propagam e quantidade de pessoas a que chegam.

A jornalista também indicou que vídeos disseminados pela Russia Today (RT) e Sputnik, meios russos presentes em França, tiveram mais visualizações do que vídeos produzidos pelos meios de comunicação franceses como o Le Monde ou o Le Figaro. Para Simon Kuper, as pessoas nunca estiveram interessadas na verdade, mas no entretenimento.

“As pessoas nunca quiseram saber a verdade. Porque havíamos de dar prioridade à verdade? A maior parte das pessoas quer ser entretida e tomar um partido. O que mudou é que há muito mais informações falsas hoje em dia. Muitos americanos acreditam que o 11 de setembro foi organizado pelo Governo, mas em 2001 não tinham como propagar essas histórias”, justificou o jornalista.

Outro problema que tem contribuído para a propagação destas notícias falsas, segundo Sophia Pedder, é o declínio do jornalismo local. “As grandes histórias do jornalismo eram contar o que realmente se passava e isso era muito bem feito pelo jornalismo local. Mas esse jornalismo tem vindo a desaparecer no Reino Unido, nos EUA e agora o jornalismo é muito mais centrado nas capitais”, indicou a jornalista.

Apesar de concordar que o jornalismo se faz nas capitais e que muitos jornalistas “querem ser estrelas e dar-se só com políticos e pessoas famosas” contando histórias dos corredores do poder, Simon Kuper considera que o jornalismo continua a ser mais credível do que a informação partilhada nas redes sociais.

“O jornalismo comete erros, mas temos procedimentos para verificar os nossos factos e, se mentirmos, vamos ser despedidos. Os jornalistas são castigados pelos seus erros e isso não acontece a quem escreve mentiras no Facebook. As pessoas não se apercebem de todas as verificações que existem no jornalismo”, indicou o jornalista.

Quanto a possíveis soluções, Sophia Pedder diz que não há uma lista a seguir. “Não temos as respostas numa lista, vamos tentando remediar as situações. A literacia dos media é interessante e é algo que os franceses estão a fazer, mas é algo geracional, portanto vai levar algum tempo. A verificação de factos também ajuda”, apontou a correspondente.

A conferência foi organizada e moderada por Ricardo Soares de Oliveira, professor na Universidade de Oxford.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Espanha pode ficar isenta de cumprir caudais do rio Tejo por causa da falta de chuva

Os caudais do Tejo podem ficar ainda mais baixos dentro de semanas. Com a falta de chuva, Espanha deverá invocar a exceção prevista na Convenção de Albufeira para não libertar os valores mínimos de água …

Haaland tem cinco namoradas e meio mundo atrás dele (mas pode seguir o caminho da Red Bull)

Apesar do interesse de grandes clubes do futebol mundial, Haaland pode seguir o trilho da Red Bull e transferir-se para do Salzburg para o Leipzig. O norueguês é uma das maiores jovens promessas da atualidade. Erling …

PSD pondera propor fim dos debates quinzenais e torná-los mensais

O PSD está a ponderar apresentar uma proposta para acabar com os debates quinzenais com o primeiro-ministro e torná-los mensais. A proposta passa também pela substituição de um desses "duelos" atuais por um debate temático …

Segunda vítima mortal nos protestos de Hong Kong. Xi Jinping condena manifestações

O quarto dia consecutivo de protestos ficou marcado pela morte de um homem de 70 anos. Esta é a segunda vítima mortal desde o início das manifestações em Hong Kong. De acordo com a imprensa internacional, …

Governo prepara dois novos escalões de IRS para a classe média

O primeiro-ministro afirmou esta quinta-feira que o objetivo do Governo no próximo Orçamento é dar “um primeiro passo” para conferir uma maior progressividade no IRS e diminuir o peso deste imposto sobre os vencimentos da …

Dois procuradores do caso Tancos vão sair do DCIAP

Os procuradores Vítor Magalhães e João Valente, da equipa que investigou o caso Tancos, vão sair do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) no âmbito do movimento de magistrados do Ministério Público (MP), …

Cerca de 40% dos hospitais têm ruturas diárias de medicamentos

Os preços "excessivamente baixos dos medicamentos genéricos" são a causa mais importante identificada pelos hospitais para as ruturas de fornecimento. Quase 40% dos hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) indicam ter diariamente ruturas no fornecimento …

Secretário de Estado: despenalizações como a que absolveu o Benfica vão terminar. "Será inapelável"

João Paulo Rebelo assegurou que a entrada em vigor da lei de combate à violência no desporto evitará situações como a que levou à recente anulação do castigo imposto ao Benfica. O secretário de Estado da …

Morales quis dialogar. Presidente interina da Bolívia mandou-o calar-se

O ex-Presidente Evo Morales ofereceu-se para regressar à Bolívia para "ajudar a pacificar o país, não para ser candidato", mas Jeanine Añez, que assumiu a presidência interina do país, respondeu que Morales não pode participar …

Cientistas reconstruiram a cara mutilada de uma guerreira Viking

Um esqueleto encontrado num cemitério Viking em Solør, na Noruega, tinha sido identificado como sendo de uma mulher há vários anos, mas os especialistas não tinham a certeza se tinha sido verdadeiramente uma guerreira. Agora, a …