Um simples cogumelo ajudou os nazis a lutar contra a espionagem durante a 2º Guerra Mundial

 

Perante um cenário de guerra onde milhares de pessoas morreram, parece que um dos principais aliados dos alemães para combater documentos falsos acabou mesmo por ser um simples cogumelo.

Durante a Segunda Guerra Mundial, a linha entre a vida e a morte era muito ténue. Ter um documento ou um passaporte que permitisse a livre circulação pela Alemanha nazi era um luxo que não estava ao alcance de todos pois impedia a deportação para campos de concentração.

Nesta situação o papel dos falsificadores de registos de casamento, certidões de nascimento e passaportes começou a ascender. Um dos mais famosos falsificadores foi Adolfo Kaminsky, membro da resistência francesa que com o seu trabalho como ourives conseguiu salvar centenas de vidas humanas.

O que o falsificador de Paris não sabia é que a espionagem nazi contava com um aliado excecional, o Coprinus comatus. O serviço de inteligência descobriu, por acaso, que a tinta deste cogumelo poderia verificar a autenticidade de documentos alemães.

O Coprinus comatus é geralmente encontrado em campos e margens de estradas. O seu chapéu é branco e tem escamas acastanhadas no seu longo e fino pé. O seu nome significa literalmente viver de esterco – do grego kopo, esterco – pois o cogumelo vive de matéria orgânica rica em nitrogénio.

Este cogumelo não é tóxico para o homem, a menos que seja consumido com álcool porque, como outros cogumelos do mesmo gênero, produz uma substância conhecida como coprina – um derivado do aminoácido glutamina – que inibe a enzima hepática responsável pelo metabolismo álcool.

Esse efeito bioquímico leva ao aumento da concentração plasmática de acetaldeídos, responsável pelo “efeito ressaca”, além do aparecimento de palpitações, erupções cutâneas, náuseas e vómitos, diz o ABC.

Contudo, e apesar de não ser muito bom para o organismo humano, foi uma mais valia no processo de deteção de documentação falsa. O processo que as autoridades alemãs realizavam era muito simples: à tinta habitual com que avaliavam passaportes ou outros documentos, acrescentavam a tintura obtida de Coprinus comatus.

Para verificar a autenticidade bastava analisar os documentos com uma lente de microscópio. Se encontrassem vestígios de esporos a legitimidade era inquestionável, caso contrário estavam perante uma falsificação.

Desta forma, o Coprinus comatus tornou-se um aliado involuntário do Terceiro Reich.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Em Málaga, pode comer-se o pão mais caro do mundo. É feito com ouro e prata

É na padaria espanhola Pan Piña que se confeciona aquele que é, de momento, o pão mais caro de todo o mundo. Este é vendido por uma quantia que pode chegar até aos 3.700 euros …

Novas evidências apontam eventual localização dos destroços do MH370. Jornalista sugere que foi abatido

O chefe da busca fracassada pelo voo MH370 da Malaysia Airlines está a pedir um novo inquérito com base em novas evidências que podem finalmente resolver o mistério do desaparecimento da aeronave há sete anos. De …

Cidade nos EUA testou o rendimento básico universal. "Os números foram incríveis"

Além de a percentagem de pessoas que tinham um emprego a tempo inteiro ter subido, os participantes da iniciativa também relataram sentir-se menos ansiosos. De acordo com o estudo publicado esta quarta-feira, citado pela agência …

Belenenses 0-3 Benfica | Vendaval suíço após o descanso

O Benfica venceu o dérbi com a Belenenses SAD, em jogo a contar para 22ª jornada da Liga NOS, por 3-0. Uma partida que teve uma primeira parte mal jogada e com muitas dificuldades para as …

Investigador apresenta nova geração de drones minúsculos e ágeis. São inspirados em mosquitos

Os mosquitos são insetos incrivelmente acrobáticos e resistentes durante o voo, o que os ajuda a navegar entre rajadas de vento, obstáculos e incertezas. Agora, uma equipa de investigadores construiu um sistema que se aproxima …

OMS considera que a pandemia podia ter sido evitada se alguns países não tivessem sido lentos a reagir

O diretor-geral da OMS afirmou esta segunda-feira que alguns países reagiram lentamente à declaração de emergência sanitária global em janeiro de 2020, desperdiçando-se uma "janela de oportunidade" para evitar a pandemia de covid-19. "A 30 de …

Louvre recupera armadura do século XVI roubada há quase 40 anos

O peitoral e o capacete elaboradamente decorados, que estavam desaparecidos desde 1983, datam do século XVI e voltaram finalmente ao museu do Louvre, em França. Quase quatro décadas depois, um peitoral e um capacete do século …

Queixas por cibercrime disparam. Fraude com MB Way foi o crime mais denunciado

O Ministério Público (MP) da Comarca de Lisboa registou 6676 denúncias por crimes informáticos em 2020, um aumento de 15% (mais 998) face a 2019. MB Way é um dos sistemas onde estão associadas mais …

Centro Hospitalar Lisboa Norte vai alargar uso de medicamento para fibrose quística a mais cinco doentes

O diretor clínico do Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte (CHULN), Luís Pinheiro, disse hoje que a instituição já usa há cerca de um mês um novo medicamento para a fibrose quística, que poderá chegar em …

No Porto, haverá transporte para vacinação disponível para todos a partir de terça-feira

Todos os munícipes do Porto que forem convocados no âmbito do plano de vacinação contra a covid-19 vão poder usufruir de um programa de transporte em colaboração com as centrais de táxis, anunciou hoje a …