Nem todos os clubes estão a afundar – alguns estão a prosperar durante a pandemia

Oli Scarff / EPA

Nem todos os clubes estão a sofrer às mãos desta pandemia de covid-19. Alguns deles têm conseguido bons resultados financeiros apesar da crise.

A covid-19 provou ser um adversário devastador para o desporto profissional em todo o mundo. Grandes eventos foram cancelados ou adiados, e a segurança financeira de muitos atletas e equipas permanece sombria.

No futebol, por exemplo, há temores de que mesmo os principais clubes da Europa possam perder 4 mil milhões de euros nos próximos dois anos. Enquanto isso, os clubes de ligas inferiores estão a enfrentar uma ameaça existencial.

As perspetivas permanecem preocupantemente incertas. Quando é que os adeptos vão regressar às bancadas e encher os estádios novamente? Até que ponto o investimento vital de empresas de media e patrocinadores corporativos – eles próprios a enfrentar perdas relacionadas com a pandemia – será reduzido?

Para começar, os clubes estarão concentrados em administrar as preocupações financeiras a curto prazo, talvez visando reduzir gastos com transferências de jogadores e salários. Mas também há uma necessidade urgente de pensar sobre as implicações a longo prazo para a sobrevivência económica.

Um novo estudo publicado recentemente na revista científica Sport, Business and Management indica que uma estratégia que os clubes de futebol devem considerar é a diversificação.

A ideia por trás da diversificação é simples. Em vez de colocar todos os ovos na mesma cesta, distribui-se o risco entre diferentes setores económicos.

Atualmente, o destino da maioria dos clubes de futebol depende quase inteiramente do seu desempenho desportivo. Se a equipa maioritariamente ganha, a situação financeira melhora, e se ela maioritariamente perde, a situação piora. Jogos podem ser economicamente devastadores se significarem perder a qualificação para um torneio lucrativo ou despromoção para uma divisão inferior.

A diversificação de risco pode pelo menos mitigar esses efeitos às vezes dramáticos expandindo para novos produtos ou regiões geográficas.

Alguns clubes já começaram a explorar esta estratégia. O Arsenal e o Barcelona criaram “centros de inovação”, que colaboram com startups de tecnologia, por exemplo, para explorar novas experiências digitais para os adeptos usando Inteligência Artificial e Realidade Aumentada.

Outros diversificaram criando um portfólio em diferentes desportos. O Fenway Sports Group, por exemplo, proprietário do Liverpool e da equipa de basebol Boston Red Sox, também está envolvido em golfe e desportos motorizados. Rumores recentes sugerem que a Fenway pode aumentar ainda mais as suas atividades de diversificação.

Também houve amplo investimento em equipas de eSports, que devem transformar-se num mercado de 1,5 mil milhões de dólares até 2023. Numa frente mais tradicional, alguns clubes, incluindo Bolton Wanderers e Chelsea, investiram em ativos físicos como propriedade de hotéis.

Então, como é que todas estas atividades de diversificação contribuem para o desempenho financeiro de um clube? Para descobrir, os investigadores analisaram um conjunto de dados de 15 anos da Premier League e descobriram que a mudança para áreas de negócios relacionadas melhora as receitas e a lucratividade.

Um excelente exemplo é o Manchester United. De 2007 a 2013, o clube esteve no auge desportivo, vencendo cinco dos sete possíveis campeonatos da Premier League e um título da Liga dos Campeões. Com o sucesso em campo, houve um aumento na receita de cerca de 110 milhões de euros no mesmo período.

Após Alex Ferguson ter deixado o cargo de treinador em 2013, o desempenho da equipa deteriorou-se significativamente. No entanto, as receitas continuaram a aumentar e são hoje quase 70% maiores do que quando Ferguson saiu. O interesse pelo clube e pelos seus produtos não diminuiu, apesar dos resultados dececionantes em campo.

Visto que o conjunto de dados dos investigadores termina antes do surto de covid-19, devemos observar que a pandemia pode ter alterado os efeitos da diversificação. Um clube que investe em serviços de viagens pode ter sofrido financeiramente, enquanto um que investe em eSports pode ter-se saído bem.

No geral, porém, as evidências mostram que a diversificação bem planeada e bem executada pode ser um mecanismo de seguro eficaz e pode ajudar a garantir a sobrevivência dos clubes em crises económicas futuras. Infelizmente, não existe uma regra de ouro que funcione para todas as equipas.

PARTILHAR

RESPONDER

"Eu não quero dizer adeus." Mosteiro torna-se símbolo da tensão em Nagorno-Karabakh

O mosteiro de Dadivank, na vila de Karvachar, está a tornar-se um símbolo da tensão que existe entre arménios e azeris na disputa por Nagorno-Karabakh. O mosteiro de Dadivank foi fundado no I Século por um …

ARS do Norte atribui origem do surto de legionella às torres da Longa Vida

Desde que as torres da fábrica Longa Vida, em Matosinhos, foram suspensas, verificou-se uma "diminuição acentuada de casos de legionella". A Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte atribuiu a origem do surto de legionella na …

Exército norte-americano está a desenvolver uma tecnologia que lê a mente dos soldados

A tecnologia ao serviço da Defesa dos Estados Unidos da América. O Exército norte-americano está a investir em pesquisas neurocientíficas, numa tentativa de descodificar o significado por trás de diferentes sinais cerebrais. O Exército dos Estados …

Jerónimo de Sousa reeleito secretário-geral do PCP

Este sábado à noite, o novo Comité Central comunista escolheu Jerónimo de Sousa para continuar enquanto secretário-geral. João Ferreira, candidato presidencial do partido, entra para a Comissão Política do Comité Central. Jerónimo de Sousa foi eleito …

Popularidade de Marcelo e Costa aumenta (e o principal rosto da oposição é Rui Rio)

Rui Rio é apontado como principal figura da oposição na sondagem TSF/JN. O primeiro-ministro, o Governo, a oposição e o Presidente da República sobem a nota. De acordo com o barómetro de novembro da Aximage para …

Morreu David Prowse, o Darth Vader de "Star Wars"

Conhecido por interpretar Darth Vader na saga Star Wars – Guerra das Estrelas, o ator David Prowse morreu este sábado aos 85 anos. Morreu David Prowse, o ator atrás da máscara de Darth Vader na trilogia …

PJ detém hacker que atacou tribunal eleitoral brasileiro

Este sábado, a Polícia Judiciária (PJ) deteve um hacker português, de 19 anos, suspeito de ter feito ataques ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) do Brasil registados este mês durante a primeira volta das eleições autárquicas. …

Caso Novo Banco não é inconstitucional, mas é um "número de circo", avisa jurista

Para Rogério Fernandes Ferreira, ex-secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, anular a transferência de 476 milhões de euros para o Novo Banco não é inconstitucional, mas gerará responsabilidade civil. A anulação da transferência de 476 milhões …

Canibalismo é observado pela primeira vez em espécie de macacos

Uma equipa de investigadores observou um caso de canibalismo em macacos-prego selvagens de cara branca. No estudo, os especialistas descrevem um incidente no qual membros desta espécie consumiram restos mortais de uma cria de 10 …

"Ponte" biodegradável pode curar lesões nervosas do sistema nervoso periférico

Investigadores da Universidade de Pittsburgh descobriram recentemente uma "ponte" biodegradável que poderá ajudar no tratamento de lesões nos nervos e a recuperar cerca de 80% da função nervosa. As lesões superficiais que ocorrem no sistema nervoso …