/

Os comentários de cinco leitores custaram 100 mil euros a um jornal online

 

(dr) Malaysiakini

Redação do jornal online Malaysiakini.

Um tribunal malaio condenou um jornal online a pagar 100 mil euros devido a cinco comentários de utilizadores a criticarem o judiciário do país.

Tal como o ZAP, muitos outros jornais online permitem aos seus leitores comentarem as notícias no fim dos artigos. A prática é bastante comum, mas pode ter saído bem caro a um jornal online da Malásia. Um tribunal decidiu que o site era legalmente responsável pelos comentários de leitores considerados insultuosos ao judiciário malaio.

O jornal Malaysiakini foi considerado culpado por desacatos, e o tribunal condenou-o a pagar uma multa de cerca de 100 mil euros devido a cinco comentários deixados por utilizadores, escreve o The New York Times.

O editor do jornal, Steven Gan, disse que a pesada multa foi uma tentativa de levar o Malaysiakini à falência. “Isto terá um impacto terrível e assustador nas discussões de questões de interesse público e será um golpe fatal na nossa campanha contínua de combate à corrupção“, disse Gan após a audiência.

Alguns leitores e apoiantes disseram que Gan e o Malaysiakini estavam a ser punidos pela cobertura noticiosa do jornal, que tem sido critico do Governo e que serve de voz à oposição na Malásia.

Os comentários dos leitores foram feitos numa notícia sobre o sistema judicial da Malásia. Embora tenham sido posteriormente removidos, não foi suficiente para evitar as acusações legais. O painel de juízes considerou que o jornal deveria ter examinado e eliminado os comentários.

A multa imposta acaba por ser bem superior à pedida pelos procuradores, que sugeriram uma coima de cerca de 40 mil euros.

Poucas horas depois de conhecido o veredito, um grupo de doadores lançou uma angariação de fundos que reuniu mais do que dinheiro suficiente para pagar a multa de 100 mil euros, de acordo com o próprio Malaysiakini. O jornal ainda está a deliberar qual o destino dos fundos excedentes.

Agradecemos aos nossos leitores e apoiantes por nos ajudarem, mesmo quando certamente muitos estão a passar por momentos difíceis durante esta pandemia”, disse o CEO do jornal online, Premesh Chandran.

“Isto espelha tudo o que é certo e errado neste país. Que o Rakyat [partido socialista da Malásia] está disposto a dar um passo em frente e fazer a sua parte para que as suas vozes sejam ouvidas e para tornar o país melhor, e contribuir para corrigir os erros”, acrescentou.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.