“Compromisso renovado da América”. Cimeira da NATO em Bruxelas conta com a presença de Joe Biden

gageskidmore / Flickr

O Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden

Os chefes de Estado e de Governo da NATO reúnem-se esta segunda-feira em Bruxelas para renovar os votos com a defesa coletiva e reforçar o compromisso de futuro da aliança transatlântica.

Será o primeiro encontro com Joe Biden, que já estava na Europa para participar na conferência do G7. A presença do Presidente norte-americano marca uma mudança de posição dos Estados Unidos em relação à NATO.

Num artigo de opinião publicado no The Washington Post a 5 de junho, o Presidente já tinha escrito que esta viagem à Europa tem como objetivo “realizar o compromisso renovado da América” para com os seus aliados e parceiros, num momento de incerteza e pandemia, “e demonstrar a capacidade das democracias de estarem à altura dos desafios e deter as ameaças da nova era”.

Esta é uma oportunidade para deixar para trás a sombra da ameaça de Donald Trump de tirar o país da Aliança Atlântica. É também o momento de repetir o empenho norte-americano com a lógica de “um por todos e todos por um”, escreve o Expresso.

Os últimos quatro anos de NATO ficaram marcados por uma crise existencial ou uma “morte cerebral” como lhe chamou o presidente francês. Contudo, Emmanuel Macron, que esteve estes dias com Biden na Cornualha, para a Cimeira do G7, mostra-se agora otimista quanto às relações e parceria transatlânticas.

Para além da renovação de votos, os líderes dos 30 membros da Aliança Atlântica vão discutir medidas concretas para adaptar o projeto aos novos desafios de segurança e defesa, através da nova Iniciativa NATO2030, que deverá ser aprovada, tal como a criação do Fundo de Inovação NATO.

Vão ainda falar de Rússia e do que consideram ser um “padrão de comportamento agressivo” – sem esquecer o apoio à Ucrânia e Geórgia e os episódios recentes a envolver a Bielorrússia.

Nas conclusões, deverá ficar também a preocupação com a ascensão militar da China e a divergência com os valores europeus.

Na agenda estão ainda as tecnologias disruptivas e os ciberataques.

“Mensagens muito duras ao presidente russo”

Na chegada ao evento que vai reunir os 30 líderes dos membros da NATO, Boris Johnson antecipou que Joe Biden irá levar “mensagens muito duras ao presidente russo, Vladimir Putin nos próximos dias”.

Boris Johnson referiu à CNN que está “esperançoso de que as coisas vão melhorar com a Rússia, mas admito que até agora tem sido muito dececionante do ponto de vista do Reino Unido”, acrescentando que a última vez que esteve com Putin “deixou isso muito claro”.

“Disse que estamos prontos para fazer as coisas de forma diferente, estamos prontos para tentar ter relações mais estreitas, mas eles tem que mudar a maneira como se comportam”, relembrou.

NATO não está a entrar numa nova “Guerra Fria”

O secretário-geral da NATO defendeu hoje que a Aliança não está a entrar numa “nova Guerra Fria”, mas precisa de se adaptar aos desafios criados pela China, que se está a “aproximar” do espaço euro-atlântico.

“Não estamos a entrar numa nova Guerra Fria, e a China não é o nosso adversário nem inimigo. Mas temos de responder juntos, como uma Aliança, aos desafios que a ascensão da China cria para a nossa segurança”, afirmou Jens Stoltenberg.

O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO, na sigla em inglês) falava aos jornalistas à entrada para a cimeira da NATO, que decorre hoje em Bruxelas, e que irá reunir os chefes de Estado e de Governo da Aliança.

Sendo a China um dos temas que estará em cima da mesa durante a reunião entre os Aliados, Stoltenberg destacou que é “preciso falar com a China” em temas como o controlo de armas e as alterações climáticas, mas salientou também que a China “não partilha os valores” da Aliança.

“Vemos como têm reprimido manifestações democráticas em Hong Kong, como perseguem minorias no seu próprio país, como utilizam a tecnologia moderna, as redes sociais e o reconhecimento facial para monitorizar e vigiar a sua população de uma maneira que nunca tínhamos visto”, frisou o secretário-geral.

Acrescentando ainda que Pequim “tem investido fortemente em novas capacidades militares, incluindo capacidades nucleares” e “sistemas de armamento mais avançados”, Stoltenberg sublinhou que isso “importa” para a Aliança porque “nenhum país nem nenhum continente” consegue lidar com estes desafios “sozinho”.

Precisamos de responder juntos, enquanto Aliança (…) e tem muito a ver com o que fazemos aqui, porque a China está a aproximar-se de nós: vemo-los no ciberespaço, em África, no Ártico, mas a China também está a investir massivamente na nossa própria infraestrutura crítica e a tentar controlá-la”, referiu o secretário-geral.

  Ana Isabel Moura, ZAP // Lusa

 

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas estão a plantar mesas de xadrez de corais para restaurar recifes - e contam com a ajuda de garrafas de Coca-Cola

Nas últimas três décadas, os recifes de coral têm sofrido uma grande tensão e consequente destruição, devido ao impacto das alterações climáticas. Agora, os cientistas querem minimizar os danos e já encontraram uma solução. O objetivo …

Belenenses 0-4 Sporting | Melhor o resultado que a lesão

O Sporting, da I Liga, venceu hoje o Belenenses, do Campeonato de Portugal, por 4-0, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal de futebol, garantindo o apuramento para a próxima fase da competição. No …

Sintrense 0-5 FC Porto | Dragões goleiam e seguem em frente na Taça

O FC Porto, da I Liga, venceu hoje o Sintrense, do Campeonato de Portugal, por 5-0, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal de futebol, e segue em frente na competição. A jogar em …

Nova tecnologia usa calor dos estacionamentos subterrâneos para aquecer apartamentos

A startup Enerdrape, que funciona dentro da Escola Politécnica de Lausanne (EPFL), na Suíça, desenvolveu uma tecnologia que aproveita o calor emanado pelo solo no aquecimento de apartamentos. Quase 60% do aquecimento utilizado nos edifícios residenciais …

Pela primeira vez, um drone transportou os pulmões de um dador em segurança. Voo demorou seis minutos

Pela primeira vez na história da medicina, um drone aéreo transportou os pulmões de um dador com rapidez e segurança entre dois hospitais. O voo, que durou apenas seis minutos, ocorreu no passado dia 25 de …

Grupo de hackers clonou a voz de empresário para roubar 35 milhões de dólares do banco

Um grupo de hackers clonou a voz do diretor de uma empresa, conseguindo assim roubar mais de 35 milhões de dólares de um banco nos Emirados Árabes Unidos. No início do ano passado, o gerente de …

Portugueses comem duas vezes mais do que o recomendando

Os portugueses consumiram, em média, duas vezes mais calorias do que o recomendando para um adulto entre 2016 e 2020, ano em que a pandemia provocou uma redução do consumo de alimentos diário, mas ainda …

Aos 95 anos, a rainha Isabel II terá de abdicar da sua bebida favorita

A monarca foi aconselhada pelos médicos a abdicar do seu habitual martini de fim de dia, em antecipação a uma fase de agenda especialmente preenchida. Com 95 anos, a rainha Isabel II tem tido uma semana …

Médicos vão avaliar estado mental do atacante da Noruega

A investigação ao ataque com arco e flecha que na quarta-feira fez cinco mortos na Noruega reforçou, até agora, a tese de um ato devido a doença, anunciou hoje a polícia norueguesa. “A hipótese que foi …

Há mais de 100 anos, o Hawai teve uma monarquia - mas a força da princesa Ka'iulani não chegou para a preservar

Antes de morrer, com apenas 23 anos, a princesa Victoria Ka'iulani foi a última herdeira da coroa havaiana. A jovem era uma das últimas esperanças em manter a monarquia viva, mas nem a sua determinação …