Cientistas garantem que a gorila Koko quer mesmo falar

The Gorilla Foundation

Robin Williams com Koko em 2001

Koko, a gorila que se tornou famosa em todo o mundo por usar uma linguagem de sinais para tentar comunicar, pode estar a tentar fazer o impossível: falar.

De acordo com o canal História, o estudo desenvolvido por investigadores da Universidade de Wisconsin-Madison, levou a que chegassem a esta conclusão depois de uma análise aos seus sinais de discurso.

Através de 71 horas de filmagens, durante as quais a gorila toca um instrumento ou finge falar ao telefone, Koko revela 9 tipos de comportamento que exigem “controlo sobre a sua vocalização e a sua respiração”, um fenómeno que não é muito normal nestes animais.

Koko é uma gorila-ocidental-das-terras-baixas, com 44 anos de idade, e até já foi apelidada como “a gorila mais inteligente do mundo”.

A fêmea usa mais de 1000 sinais da linguagem gestual americana para tentar comunicar com os seus tratadores e aprendeu, depois de muitos anos de treino, a perceber a língua inglesa.

O estudo, publicado na revista Animal Cognition, sugere que os macacos podem estar mais perto da comunicação verbal do que aquilo que se pensava.

“Tradicionalmente, muitos cientistas achavam que os macacos tinham capacidades vocais extremamente limitadas”, explica Marcus Perlman, o autor da pesquisa, ao Huffington Post. Porém, depois da análise exaustiva a Koko, os investigadores consideram que nem só os humanos tem a capacidade de falar.

O comportamento da gorila foi voluntário e pode ser explicado por viver com humanos toda a vida, no jardim zoológico de San Francisco, nos Estados Unidos.

O investigador defende que não quer dizer que todos os outros animais da sua espécie não o consigam fazer, simplesmente o ambiente nunca os motivou para este tipo de aprendizagem.

“Provavelmente, ela é mais dotada do que os outros gorilas. A diferença está nas circunstâncias do seu ambiente. Obviamente não se veem coisas destas em populações selvagens”, declara Perlman.

O ano passado, Koko teve outra atitude que surpreendeu tudo e todos. Depois de saber que Robin Williams tinha falecido, conta o Mirror, a gorila chorou e ficou “quieta” e “pensativa” o resto do dia. O consagrado ator, vencedor de um Óscar, era presidente honorário da The Gorilla Foundation e descrevia Koko como uma gorila “inesquecível”.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Com a convivência por perto com os humanos estes animais poderão estar mais perto de um dia virem a atingir essa perfeição, certamente que os humanos passaram por fases idênticas.

    • Então e porque não se vê os macaquinhos e até mesmo os gorilas de hoje em dia a “evoluirem” como nós, já que evoluímos dos macacos?! Será que havia nessa altura outros seres humanos com quem pudessem aprender a falar e daí evoluímos nós?!
      E olhe, que eu acredito na evolução das espécies! Só não acredito na história muito mal contada do SER HUMANO. Aliás, toda a nossa história mundial está mal contada, um dia saber-se-á a verdade.

Retificação ao diploma do lay-off simplificado trava despedimentos

Uma retificação ao diploma inicial do ‘lay-off’ simplificado, hoje publicada, vem acautelar que nenhum trabalhador de empresas que recorra a este apoio pode ser alvo de despedimento coletivo ou extinção de posto de trabalho. O decreto-lei …

Rocha desafia teoria da escassez de oxigénio na Terra primitiva

Uma rocha sedimentar única rica em carbono, depositada há dois mil milhões de anos, deu aos cientistas novas pistas sobre as concentrações de oxigénio na superfície da Terra nessa época. De acordo com a agência Europa Press, …

As bactérias formam comunidades na nossa língua (e uma imagem revela como)

Cientistas norte-americanos descobriram que as bactérias que vivem na nossa língua têm uma organização complexa e altamente estruturada. Os micro-organismos estão em toda a parte - até no interior da nossa boca. Um novo estudo revela …

Como sobreviver ao isolamento? Astronautas explicam

Em todo o mundo, cidades e até países inteiros estão em quarentena como forma de travar a propagação do novo coronavírus, Covid-19. Alguns astronautas deixaram conselhos sobre como sobreviver ao isolamento. Para alguns, o auto isolamento …

"Indiana Jones do mundo da arte" recupera manuscrito do poeta persa Hafez

Uma das primeiras cópias do reverenciado Divan do autor do século XIV Hafez, iluminado com ouro, será leiloado no início de abril. O famoso poeta persa do século XIV, Hafez, escreveu uma coleção de versos místicos …

O palco onde os Beatles atuaram pela primeira vez está à venda

O palco de madeira onde os Beatles atuaram pela primeira vez está à venda. Agora, alguém poderá replicar o primeiro concerto da famosa banda. A 10 de abril, em comemoração dos 50 anos da separação da …

Células estaminais podem ajudar a proteger os astronautas da radiação espacial

Assim que os astronautas deixam a proteção do campo magnético da Terra, ficam automaticamente expostos a níveis elevados de radiação cósmica. A Agência Espacial Europeia (ESA) está cada vez mais focada em investigações para reduzir …

Pandemia pode trazer nova geração de robôs capazes de realizarem tarefas perigosas

A pandemia de Covid-19 pode trazer uma nova geração de robôs capazes de realizarem tarefas perigosas como limpeza de superfícies infetadas ou vigiar pessoas em quarentena, afirmam esta quarta-feira alguns dos principais investigadores internacionais em …

Multimilionários refugiam-se da Covid-19 a bordo de iates

Vários multimilionários têm procurado refugiar-se da pandemia de Covid-19, que nasceu em dezembro passado na China, em alto mar, a bordo de iates de luxo. Em declarações ao jornal The Telegraph, Jonathan Beckett, executivo da …

Este mamífero consegue sobreviver a quase sete mil metros de altura

Cientistas pensam ter confirmado que um pequeno rato descoberto no vulcão Llullaillaco, nos Andes, é o mamífero que consegue viver à maior altitude já conhecida (6739 metros). Segundo o IFLScience, o Phyllotis xanthopygus rupestris foi descoberto, …