Cientistas estudaram psicologia dos “trolls” que insultam os McCann

Tiago Petinga / Lusa

Kate e Gerry McCann, os pais de Maddie

Kate e Gerry McCann, os pais de Maddie

Académicos britânicos que estudaram a atividade de ‘trolls’ com comentários agressivos nas redes sociais surpreenderam-se com a atividade em torno do caso do desaparecimento de Madeleine McCann e apelaram à implementação de regras para combater os insultos.

Quando decidiram estudar o comportamento destas pessoas, que escrevem mensagens ou comentários agressivos em espaços de discussão pública com o objectivo de desestabilizar, uma equipa de investigadores do departamento de Psicologia da Universidade de Huddersfield escolheu analisar o caso McCann.

“Eles foram o grupo considerado mais adequado para iniciar a nossa investigação devido à sua história, por estar activa há muitos anos, e também devido ao volume de actividade em que estão envolvidos, que era de 150 ‘tweets’ por hora“, explicou à agência Lusa o psicólogo John Synnott, um dos autores do estudo.

Madeleine McCann desapareceu poucos dias antes de fazer quatro anos, a 03 de maio de 2007, do quarto onde dormia juntamente com os dois irmãos gémeos, mais novos, num apartamento de um aldeamento turístico, na Praia da Luz, no Algarve.

Os pais e um outro britânico, Robert Murat, foram constituídos arguidos pelas autoridades judiciais portuguesas em julho de 2007, mas, a 21 de julho de 2008, a Procuradoria-Geral da República determinou o arquivamento das suspeitas.

O caso motivou uma grande cobertura mediática e surgiram numerosas teorias sobre o que terá acontecido, mas nem a polícia portuguesa nem a britânica, que continua a investigar, descobriram o que aconteceu.

Intitulado Trolling online: O caso de Madeleine McCann, o estudo analisou comportamentos e estratégias de um grupo de supostos ‘trolls’ na rede social Twitter, referidos como anti-McCann devido aos ataques contínuos aos pais, Kate e Gerry McCann, contra aqueles que os apoiam, identificados como pró-McCann.

O artigo foi publicado na edição de junho da revista ‘Computers in Human Behaviour‘, dedicada ao estudo de computadores de uma perspectiva psicológica.

Em conjunto com Andria Coulias e Maria Ioannou, John Synnott estudou uma amostra de 400 ‘tweets’ relacionados com os McCann obtidos de 37 contas e contendo um total de 7.600 palavras.

O estudo concluiu que a linguagem usada, frequentemente rude e ignorante, ajudou a construir uma identidade e coesão destes ‘trolls’, que estão relativamente organizados, alimentando páginas electrónicas e fóruns sobre o caso.

“Eles comentam sobre histórias que surgem relacionadas com o caso ou confrontam outros utilizadores, por exemplo pró-grupo McCann, que promovem uma narrativa contra a deles”, explicou.

O diretor do mestrado em Psicologia Investigacional da Universidade de Huddersfield acredita que este estudo pode contribuir para compreender o comportamento abusivo destas pessoas e contribuir para o seu combate.

Uma das medidas sugeridas é o fim do uso de pseudónimos em vez da verdadeira identidade, já que o anonimato encoraja muitas pessoas a agir desta forma.

Enquanto tal não acontecer, os McCann continuarão a ser objeto de ataques na Internet, mesmo 10 anos depois do desaparecimento da filha, acredita o académico, que prevê que “com o iminente aniversário de 10 anos do desaparecimento de Madeline, o nível de atividade online provavelmente aumentará”.

Lusa // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Mais uma vez, se nota o poder e a influência contra os quem ousa apontar o dedos aos McCann!!
    Não faço ideia do que se passa nessas redes sociais, mas parece-me perfeitamente normal que, depois de tudo o que se sabe sobre o caso, da insistência na tese de rapto (quando não há NADA que aponte nesse sentido!), e dos milhões gastos pelas autoridades britânicas (para NADA!), haja muita gente a achar que eles são culpados!!
    Ou seja, esses “ataques” aos McCann, são apenas uma constatação do o óbvio e legitimo juízo que as pessoas fazem da situação!
    O estudo da treta dessa universalidade é que é de estranhar, já que invés de se reunirem esforços para saber o que realmente aconteceu à criança, acham mais importante andar atrás dos que acusam os McCann…

  2. coitadinhos dos Mcainn, querem desgraçar uma vida de um inestigador português só porque o homem têm a opinião dele em como suspeita deles, em primeiro eu e a minha mulher nunca deixava os meus filhos sózinhos (menores) espeçialmente nos anos de um deles, num pais estrangeiro, deviamos tirar-lhes os outros dois filhos para adopção como eles fazem lá nos england, com os nossos portugueses, culpados ou não , já o são só por neglegênçia

  3. “anti-McCann”? “pró-McCann”? Que tal anti Madeleine McCann? Este grupo é constituido por apenas duas pessoas, um do sexo masculino e outro do sexo feminino. Como diria o Octávio Machado: “Vocês sabem do que eu estou a falar!…”
    Há muito pessoal (no Mundo) que não tem nada que fazer nas Universidades, por isso perde tempo com coisas irrelevantes. E a imprensa vai atrás… E, por acréscimo, nós também.

RESPONDER

PRR tem 36 milhões para apoiar contratação de 350 “cientistas”

O Governo tem 186 milhões de euros no Plano de Recuperação e Resiliência para reforçar e capacitar o Sistema Científico e Tecnológico nacional e fomentar a sua articulação com a indústria. Segundo avança o ECO, uma …

Comissão de revisão constitucional proposta pelo Chega deverá acabar rapidamente

A comissão de revisão constitucional proposta pelo Chega vai tomar posse na próxima quinta-feira, mas deverá acabar depressa, uma vez que apenas a Iniciativa Liberal apresentou projeto. A presidência da comissão cabe ao PS, a primeira …

Candidatura ibérica ao Europeu de andebol. Lisboa é a única cidade portuguesa

O campeonato da Europa da modalidade, em 2028, pode ser realizado em diversas cidades espanholas. E na capital portuguesa. A Federação de Andebol de Portugal e Real Federação Espanhola de Andebol confirmaram nesta terça-feira que submeteram …

Uber usou 50 empresas de fachada holandesas para evitar impostos, revela relatório

A Uber recorreu a cerca de 50 empresas de fachada holandesas para reduzir a sua carga fiscal global, revelou a mais recente investigação do australiano Center for International Corporate Tax Accountability and Research. Segundo avançou o …

Task force traça nova meta e prevê 70% da população vacinada até ao início de agosto

O processo de vacinação em Portugal vai contar, a partir deste segundo trimestre, com uma maior quantidade de vacinas disponíveis, principalmente a partir do final deste mês. Esta quarta-feira, no Parlamento, o vice-almirante Henrique Gouveia e …

Mais quatro mortes e 485 casos em Portugal. R(t) sobe ligeiramente

Esta quarta-feira, Portugal regista mais quatro óbitos e 485 novos casos de infeção, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da Direção-Geral da Saúde, o país …

Coroa de diamantes e safiras da rainha Maria II vai hoje a leilão em Genebra

A leilão vai também, esta quarta-feira, um conjunto de adornos, igualmente em safiras e diamantes, da coleção de Estefânia de Beauharnais, filha adotiva de Napoleão I Várias joias que pertenceram a casas reais europeias, entre as …

40 mortos em manifestações contra Governo na Colômbia. Presidente anuncia investigação a abusos policiais

Mais de 40 pessoas morreram nas manifestações contra o governo da Colômbia que começaram há duas semanas, segundo a organização não-governamental (ONG) Temblores. Em relatório divulgado na terça-feira, a ONG colombiana contabiliza pelo menos 40 mortes …

Netanyahu avisa: Hamas "vai receber ataques que não espera"

A escalada de violência continua em Israel e nos territórios palestinianos ocupados e já há vítimas mortais dos dois lados. O Conselho de Segurança das Nações Unidas volta a reunir-se de emergência esta quarta-feira. As forças …

Pela primeira vez, Governo admite que aplicação Stayway Covid não funcionou

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, um dos primeiros governantes a ver o protótipo da aplicação de rastreio de casos de covid-19, admitiu que a StayAway Covid não funcionou. Segundo Manuel Heitor, …