Cientistas descobrem ave que inventou ferramenta para alcançar presas

É a primeira vez que os cientistas testemunham uma inovação tecnológica no reino animal. E a espécie que alcançou esse extraordinário avanço não é um primata, mas um pássaro.

Os corvos-da-nova-caledónia (Corvus moneduloides), uma espécie que só existe no território ultramarino francês, na Oceânia, recolhem espontaneamente material de plantas para criar os seus próprios “ganchos”, que usam para capturar aranhas e insetos.

São os únicos animais que foram observados a desenvolver ferramentas em forma de gancho. Isso permite que alcancem e retirem a sua presa de esconderijos até dez vezes mais rápido, se comparado com uma ferramenta alternativa mais comum, como um galho ou ramo.

No caso dos seres humanos, os primeiros ganchos para a pesca datam de há aproximadamente 23 mil anos e são considerados um marco nos primeiros desenvolvimentos tecnológicos.

Os arqueólogos japoneses que encontraram esses ganchos esculpidos em conchas na ilha de Okinawa, no Japão, disseram que essa foi a primeira mostra de “tecnologia marítima” e permitiu a sobrevivência humana nas ilhas.

O estudo foi publicado a semana passada na revista “Nature Ecology and Evolution”.

Christian Rutz, um dos autores do estudo sobre os corvos, disse à BBC que “a invenção dos ganchos para capturar insetos é “incrivelmente recente. Ocorreu há apenas mil gerações, o que, em termos evolutivos, é um piscar de olhos”.

“Quando se pensa que em apenas mil gerações passamos da criação dos primeiros ganchos para pesca à construção de sondas espaciais, é totalmente surpreendente”, acrescenta Rutz, investigador do Centro de Diversidade Biológica da Universidade de St. Andrews, na Escócia.

Para Rutz, o processo que levou os corvos a criarem novas ferramentas pode ajudar a compreender as origens da inovação tecnológica em seres humanos. “Quando vejo esses corvos a fazer ganchos, vislumbro os fundamentos de uma tecnologia que está em evolução”.

Humildade

Juan Lapuente, ecologista da Universidade de Wurzburg, na Alemanha, estuda o uso de ferramentas por primatas e disse que o comportamento dos corvos é “extraordinário”.

“A grande inteligência e criatividade demonstrada pelos corvos-da-nova-caledónia na fabricação e uso habilidoso de uma ampla variedade de ferramentas demonstra que a evolução do cérebro animal produziu por múltiplas vezes uma consciência avançada de forma independente”, disse Lapuente à BBC.

(dr) BBC

Os primeiros ganchos criados por seres humanos datam de 23 mil anos atrás e são considerados um marco no desenvolvimento tecnológico

“É necessária uma grande compreensão da realidade e das propriedades físicas dos objetos para usá-los como matéria-prima para fabricar as ferramentas. É necessária uma compreensão sofisticada dos problemas e uma grande criatividade para desenvolver as surpreendentes soluções usadas por esses pássaros”.

Para Lapuente, o comportamento dos corvos deve nos tornar mais humildes.

“Como seres humanos que somos, é mais fácil ver os animais que se parecem connosco, os primatas, como seres mais inteligentes e capazes inclusive de produzir as mesmas ferramentas”, explicou.

“No entanto, se retirarmos a venda antropocêntrica dos olhos, veremos que muitos outros animais que sempre consideramos simples ou pouco inteligentes dão mostras de uma grande inteligência e capacidade criativa para resolver problemas”, prossegue.

“Na verdade, os cérebros das aves contêm uma enorme densidade de conexões neurais que lhes permitem ter comportamentos altamente sofisticados. E os corvos não são os únicos: os cães e alguns insetos também podem fazer e usar ferramentas“, acrescentou o especialista.

“Devemos ser humildes e aceitar que não são apenas os animais que se parecem connosco que podem ser inteligentes. A evolução tem produzido surpreendentes máquinas de pensar com diferentes estruturas, no interior de corpos às vezes minúsculos, mas com a incrível capacidade de interpretar o mundo de forma criativa”.

Rutz também acredita que os ganchos não são “o fim da história” para os corvos, e que podemos ver mais inovações. “Eu acho que essa espécie chegará a fabricar ferramentas ainda mais sofisticadas”, disse o cientista da Universidade de St. Andrews.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Aqui nesta terrinha, as gaivotas vão ao leito da ribeira, apanham almeijões (anodontas) com o bico, sobem e depois deixam-nas cair para lhes quebrar a casca. Tentam tantas vezes quantas as necessárias.

    • Sim, também são inteligentes mas os corvos são dos mais inteligentes do reino animal. Chega a ser assustador (no bom sentido!) o que eles conseguem fazer!

RESPONDER

Chumbados projetos de lei para proteger vítimas de violência doméstica

Reconhecimento das crianças em contexto de violência doméstica, declarações para memória futura das vítimas e criação de subsídio para quem é obrigado a abandonar o lar foram os temas em discussão. Os projetos de lei do …

Ferro repreende Ventura no Parlamento. Deputado pede audiência urgente a Marcelo

O presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, fez esta quinta-feira uma advertência ao deputado do Chega por utilizar com “demasiada facilidade” as palavras “vergonha” e “vergonhoso” nas suas intervenções no parlamento. André Ventura intervinha no …

Consumo moderado de álcool pode estar associado a um maior risco de cancro

Um novo estudo sugere que até mesmo o consumo leve ou moderado de álcool pode estar associado a um maior risco de cancro. No entanto, as conclusões não são consensuais na comunidade científica. Nem só o …

Fim da guerra comercial à vista. Estados Unidos e China chegam a acordo

Falta apenas a assinatura do presidente dos Estados Unidos para que o entendimento possa pôr um ponto final na guerra comercial entre os Estados Unidos e a China. De acordo com a Bloomberg, os negociadores …

Recuperados seis dos oito corpos das vítimas de erupção de vulcão na Nova Zelândia

Uma equipa militar neozelandesa recuperou esta sexta-feira seis dos oito corpos dos turistas que permaneciam desaparecidos após a erupção, na segunda-feira, do vulcão Whakaari, numa ilha desabitada da Nova Zelândia. A operação, que envolveu oito membros …

Plantas também "gritam" quando estão sob stress

À semelhança do que acontece com o Homem, algumas plantas também podem "gritar" quando enfrentam situações de stress, como a falta de água ou o corte do seu caule, concluíram cientistas da Universidade de Tel …

ESA declara guerra ao lixo espacial com um robô de quatro braços

https://vimeo.com/379011028 A Agência Espacial Europeia (ESA) acaba de assinar um contrato com a startup suíça ClearSpace para levar a cabo tarefas de limpeza de lixo orbital. Em comunicado, a agência espacial aponta que a empresa vai …

O "Asteróide do Apocalipse" está a cuspir rochas para o Espaço

A sonda OSIRIS-REx da NASA chegou ao Bennu, o "Asteróide do Apocalipse", em dezembro de 2018 e, apenas uma semana depois, descobriu algo incomum: o asteróide estava a lançar partículas para o Espaço. A câmara de …

Projeções dão vitória esmagadora de Boris Johnson

O partido Conservador venceu as eleições legislativas no Reino Unido com uma maioria absoluta de 368 deputados, segundo uma sondagem comum divulgada hoje pelas três estações televisivas britânicas BBC, ITV e Sky, segundo a qual …

Encontrada a obra de arte mais antiga da Humanidade

Um grupo de arqueólogos da universidade australiana de Griffith descobriu numa caverna na Indonésia a pintura rupestre de caça mais antiga do mundo, com cerca de 44 mil anos. A investigação, publicada na revista Nature, descreve …