Cientistas descobrem ave que inventou ferramenta para alcançar presas

É a primeira vez que os cientistas testemunham uma inovação tecnológica no reino animal. E a espécie que alcançou esse extraordinário avanço não é um primata, mas um pássaro.

Os corvos-da-nova-caledónia (Corvus moneduloides), uma espécie que só existe no território ultramarino francês, na Oceânia, recolhem espontaneamente material de plantas para criar os seus próprios “ganchos”, que usam para capturar aranhas e insetos.

São os únicos animais que foram observados a desenvolver ferramentas em forma de gancho. Isso permite que alcancem e retirem a sua presa de esconderijos até dez vezes mais rápido, se comparado com uma ferramenta alternativa mais comum, como um galho ou ramo.

No caso dos seres humanos, os primeiros ganchos para a pesca datam de há aproximadamente 23 mil anos e são considerados um marco nos primeiros desenvolvimentos tecnológicos.

Os arqueólogos japoneses que encontraram esses ganchos esculpidos em conchas na ilha de Okinawa, no Japão, disseram que essa foi a primeira mostra de “tecnologia marítima” e permitiu a sobrevivência humana nas ilhas.

O estudo foi publicado a semana passada na revista “Nature Ecology and Evolution”.

Christian Rutz, um dos autores do estudo sobre os corvos, disse à BBC que “a invenção dos ganchos para capturar insetos é “incrivelmente recente. Ocorreu há apenas mil gerações, o que, em termos evolutivos, é um piscar de olhos”.

“Quando se pensa que em apenas mil gerações passamos da criação dos primeiros ganchos para pesca à construção de sondas espaciais, é totalmente surpreendente”, acrescenta Rutz, investigador do Centro de Diversidade Biológica da Universidade de St. Andrews, na Escócia.

Para Rutz, o processo que levou os corvos a criarem novas ferramentas pode ajudar a compreender as origens da inovação tecnológica em seres humanos. “Quando vejo esses corvos a fazer ganchos, vislumbro os fundamentos de uma tecnologia que está em evolução”.

Humildade

Juan Lapuente, ecologista da Universidade de Wurzburg, na Alemanha, estuda o uso de ferramentas por primatas e disse que o comportamento dos corvos é “extraordinário”.

“A grande inteligência e criatividade demonstrada pelos corvos-da-nova-caledónia na fabricação e uso habilidoso de uma ampla variedade de ferramentas demonstra que a evolução do cérebro animal produziu por múltiplas vezes uma consciência avançada de forma independente”, disse Lapuente à BBC.

(dr) BBC

Os primeiros ganchos criados por seres humanos datam de 23 mil anos atrás e são considerados um marco no desenvolvimento tecnológico

“É necessária uma grande compreensão da realidade e das propriedades físicas dos objetos para usá-los como matéria-prima para fabricar as ferramentas. É necessária uma compreensão sofisticada dos problemas e uma grande criatividade para desenvolver as surpreendentes soluções usadas por esses pássaros”.

Para Lapuente, o comportamento dos corvos deve nos tornar mais humildes.

“Como seres humanos que somos, é mais fácil ver os animais que se parecem connosco, os primatas, como seres mais inteligentes e capazes inclusive de produzir as mesmas ferramentas”, explicou.

“No entanto, se retirarmos a venda antropocêntrica dos olhos, veremos que muitos outros animais que sempre consideramos simples ou pouco inteligentes dão mostras de uma grande inteligência e capacidade criativa para resolver problemas”, prossegue.

“Na verdade, os cérebros das aves contêm uma enorme densidade de conexões neurais que lhes permitem ter comportamentos altamente sofisticados. E os corvos não são os únicos: os cães e alguns insetos também podem fazer e usar ferramentas“, acrescentou o especialista.

“Devemos ser humildes e aceitar que não são apenas os animais que se parecem connosco que podem ser inteligentes. A evolução tem produzido surpreendentes máquinas de pensar com diferentes estruturas, no interior de corpos às vezes minúsculos, mas com a incrível capacidade de interpretar o mundo de forma criativa”.

Rutz também acredita que os ganchos não são “o fim da história” para os corvos, e que podemos ver mais inovações. “Eu acho que essa espécie chegará a fabricar ferramentas ainda mais sofisticadas”, disse o cientista da Universidade de St. Andrews.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Aqui nesta terrinha, as gaivotas vão ao leito da ribeira, apanham almeijões (anodontas) com o bico, sobem e depois deixam-nas cair para lhes quebrar a casca. Tentam tantas vezes quantas as necessárias.

    • Sim, também são inteligentes mas os corvos são dos mais inteligentes do reino animal. Chega a ser assustador (no bom sentido!) o que eles conseguem fazer!

RESPONDER

Criada tecnologia que traduz pensamentos diretamente em texto

Uma equipa de investigadores diz ter criado um sistema capaz de traduzir sinais cerebrais diretamente em texto escrito. Este é um passo promissor para que no futuro seja possível escrever num computador apenas com o …

Desaparecimentos, mistérios e lendas. O Triângulo do Alasca pode ser mais perigoso do que o das Bermudas

Milhares de pessoas desaparecem todos os anos no estado norte-americano do Alasca, fazendo lembrar as histórias do Triângulo das Bermudas, onde aviões e navios desapareceram sem deixar rastro. De acordo com a revista The Atlantic, três …

Descobertas sete novas aranhas-pavão. E uma parece um quadro de Van Gogh

Foram encontradas sete novas espécies de aranha do género Maratus. E há uma que se destaca por se parecer com "A Noite Estrelada", famoso quadro de Vincent Van Gogh. Nos últimos anos, as aranhas-pavão (do género Maratus) …

Estado de emergência no México suspende produção de cerveja Corona

Nem toda a publicidade é boa publicidade. Que o diga a cerveja mexicana Corona que, em tempos de pandemia, partilha o nome com o vírus de que já ninguém quer ouvir falar. Segundo o jornal The …

Gás natural pode transformar Moçambique no "Qatar de África" (se os jihadistas deixarem)

A descoberta de gás natural em Moçambique é vista como uma grande esperança para o país que, à boleia dos avultados investimentos que está a receber de grandes multinacionais, sonha tornar-se no "Qatar de África". …

Afinal, os 1.000 ventiladores doados por Elon Musk podem não ser completamente inúteis

Elon Musk, CEO da Tesla, doou mil ventiladores do tipo errado a hospitais da Califórnia, que enfrentam um número esmagador de casos de coronavírus. Agora, afinal, os ventiladores vão poder ser usados em casos de …

Cientistas preveem quatro grandes furacões no Atlântico em 2020

Cientistas da Universidade Estadual do Colorado, nos Estados Unidos, preveem que se formem quatro grandes furacões no Oceano Atlântico em 2020. De acordo com os especialistas, estes quatro furacões serão de categoria 3 a 5 na …

Neymar doa 870 mil euros para luta contra a pandemia no Brasil

O futebolista internacional brasileiro Neymar doou cerca de 870 mil euros para a luta contra a pandemia covid-19 no seu país, revelou esta sexta-feira o canal SBT. Segundo a estação de televisão brasileira, o contributo de …

França confiscou quatro milhões de máscaras destinadas a Espanha e Itália

As autoridades francesas apreenderam quatro milhão de máscaras que uma empresa sueca transportava da China para a Espanha e Itália no início do mês. A disputa diplomática foi revelada na quarta-feira pela revista francês L'Express. Segundo …

Sobe para 52 o número de elementos da PSP infetados

Subiu esta sexta-feira para 52 o número de elementos da PSP infetados com covid-19, revelou esta força de segurança, dando conta que está a ser assegurado apoio psicológico a todos os polícias com 30 profissionais. Em …