Cientistas descobrem ave que inventou ferramenta para alcançar presas

É a primeira vez que os cientistas testemunham uma inovação tecnológica no reino animal. E a espécie que alcançou esse extraordinário avanço não é um primata, mas um pássaro.

Os corvos-da-nova-caledónia (Corvus moneduloides), uma espécie que só existe no território ultramarino francês, na Oceânia, recolhem espontaneamente material de plantas para criar os seus próprios “ganchos”, que usam para capturar aranhas e insetos.

São os únicos animais que foram observados a desenvolver ferramentas em forma de gancho. Isso permite que alcancem e retirem a sua presa de esconderijos até dez vezes mais rápido, se comparado com uma ferramenta alternativa mais comum, como um galho ou ramo.

No caso dos seres humanos, os primeiros ganchos para a pesca datam de há aproximadamente 23 mil anos e são considerados um marco nos primeiros desenvolvimentos tecnológicos.

Os arqueólogos japoneses que encontraram esses ganchos esculpidos em conchas na ilha de Okinawa, no Japão, disseram que essa foi a primeira mostra de “tecnologia marítima” e permitiu a sobrevivência humana nas ilhas.

O estudo foi publicado a semana passada na revista “Nature Ecology and Evolution”.

Christian Rutz, um dos autores do estudo sobre os corvos, disse à BBC que “a invenção dos ganchos para capturar insetos é “incrivelmente recente. Ocorreu há apenas mil gerações, o que, em termos evolutivos, é um piscar de olhos”.

“Quando se pensa que em apenas mil gerações passamos da criação dos primeiros ganchos para pesca à construção de sondas espaciais, é totalmente surpreendente”, acrescenta Rutz, investigador do Centro de Diversidade Biológica da Universidade de St. Andrews, na Escócia.

Para Rutz, o processo que levou os corvos a criarem novas ferramentas pode ajudar a compreender as origens da inovação tecnológica em seres humanos. “Quando vejo esses corvos a fazer ganchos, vislumbro os fundamentos de uma tecnologia que está em evolução”.

Humildade

Juan Lapuente, ecologista da Universidade de Wurzburg, na Alemanha, estuda o uso de ferramentas por primatas e disse que o comportamento dos corvos é “extraordinário”.

“A grande inteligência e criatividade demonstrada pelos corvos-da-nova-caledónia na fabricação e uso habilidoso de uma ampla variedade de ferramentas demonstra que a evolução do cérebro animal produziu por múltiplas vezes uma consciência avançada de forma independente”, disse Lapuente à BBC.

(dr) BBC

Os primeiros ganchos criados por seres humanos datam de 23 mil anos atrás e são considerados um marco no desenvolvimento tecnológico

“É necessária uma grande compreensão da realidade e das propriedades físicas dos objetos para usá-los como matéria-prima para fabricar as ferramentas. É necessária uma compreensão sofisticada dos problemas e uma grande criatividade para desenvolver as surpreendentes soluções usadas por esses pássaros”.

Para Lapuente, o comportamento dos corvos deve nos tornar mais humildes.

“Como seres humanos que somos, é mais fácil ver os animais que se parecem connosco, os primatas, como seres mais inteligentes e capazes inclusive de produzir as mesmas ferramentas”, explicou.

“No entanto, se retirarmos a venda antropocêntrica dos olhos, veremos que muitos outros animais que sempre consideramos simples ou pouco inteligentes dão mostras de uma grande inteligência e capacidade criativa para resolver problemas”, prossegue.

“Na verdade, os cérebros das aves contêm uma enorme densidade de conexões neurais que lhes permitem ter comportamentos altamente sofisticados. E os corvos não são os únicos: os cães e alguns insetos também podem fazer e usar ferramentas“, acrescentou o especialista.

“Devemos ser humildes e aceitar que não são apenas os animais que se parecem connosco que podem ser inteligentes. A evolução tem produzido surpreendentes máquinas de pensar com diferentes estruturas, no interior de corpos às vezes minúsculos, mas com a incrível capacidade de interpretar o mundo de forma criativa”.

Rutz também acredita que os ganchos não são “o fim da história” para os corvos, e que podemos ver mais inovações. “Eu acho que essa espécie chegará a fabricar ferramentas ainda mais sofisticadas”, disse o cientista da Universidade de St. Andrews.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Aqui nesta terrinha, as gaivotas vão ao leito da ribeira, apanham almeijões (anodontas) com o bico, sobem e depois deixam-nas cair para lhes quebrar a casca. Tentam tantas vezes quantas as necessárias.

    • Sim, também são inteligentes mas os corvos são dos mais inteligentes do reino animal. Chega a ser assustador (no bom sentido!) o que eles conseguem fazer!

Responder a Ju Cancelar resposta

Friends: regresso da série está em negociações

De acordo com o The Hollywood Reporter, encontram-se a decorrer negociações que podem levar a uma reunião da série intemporal Friends. Este retorno seria um trunfo exclusivo da plataforma HBO Max, que ainda não foi …

NASA rebatiza Ultima Thule. Antigo nome foi associado ao nazismo

O nome do Ultima Thule deu polémica e a NASA decidiu mudá-lo. A controvérsia surgiu pelo nome dado inicialmente ao mundo gelado do Cinturão de Kuiper estar vinculado à ideologia nazi. O anúncio foi feito esta …

Vídeo mostra orcas a perseguirem tubarões-brancos na África do Sul

O tubarão-branco é visto como o maior predador dos oceanos. Mas um novo vídeo mostra que nem este animal está assim tão seguro, sendo na verdade uma presa para outras espécies. De acordo com o Science …

Descoberta a primeira vespa polinizadora da época dos dinossauros

Uma equipa de cientistas encontrou a primeira vespa polinizadora (prosphex anthophilos), que conviveu com dinossauros há cerca de 100 milhões de anos. O animal foi encontrado num fragmento de resina fossilizada em Mianmar, na Birmânia, segundo …

China está a vender drones assassinos ao Médio Oriente

A China está a vender drones capazes de matar automaticamente, sem necessidade de controlo humano. Os seus principais clientes serão a Arábia Saudita e o Paquistão. Segundo o site Defense One, uma empresa chamada Ziyan está …

Aumento da temperatura pode vir a matar 1,5 milhões de indianos por ano

Se as emissões globais de gases de efeito de estufa não forem interrompidas, cerca de 1,5 milhões de indianos podem vir a morrer anualmente até 2100 devido ao aumento das temperaturas. Os números contam de …

O vencedor do Tour de France, Egan Bernal, pode ter beneficiado de uma vantagem genética

O ponto de viragem da Tour de France deste verão ocorreu no alto de uma montanha nos Alpes franceses. Foi o resultado de anos de treinamento e, de acordo com um estudo divulgado na segunda-feira, …

Mina Chang utilizou uma capa falsa da Time no CV e conseguiu chegar ao Governo de Trump

Mina Chang, vice-secretária adjunta do Gabinete de Operações de Conflitos e Estabilização do Departamento de Estado dos Estados Unidos, mentiu no seu currículo para conseguir alcançar um lugar no Governo de Donald Trump. De acordo com …

Jovem norueguesa controla 450 perfis no Instagram para tentar evitar suicídios

Uma norueguesa de 22 controla 450 perfis privados no Instagram para tentar evitar suicídios, conta a emissora britânica BBC, revelando ainda que a jovem recebeu já o apelido de "salva-vidas" devido ao trabalho que leva …

Espanha vai tentar exumar 31 corpos que se encontram no Vale dos Caídos

As autoridades espanholas vão tentar exumar 31 dos milhares de corpos de pessoas enterradas no Vale dos Caídos, um grande mausoléu onde esteve enterrado o ditador Francisco Franco até ao mês passado. Segundo a agência Associated …