Cientistas descobrem ave que inventou ferramenta para alcançar presas

É a primeira vez que os cientistas testemunham uma inovação tecnológica no reino animal. E a espécie que alcançou esse extraordinário avanço não é um primata, mas um pássaro.

Os corvos-da-nova-caledónia (Corvus moneduloides), uma espécie que só existe no território ultramarino francês, na Oceânia, recolhem espontaneamente material de plantas para criar os seus próprios “ganchos”, que usam para capturar aranhas e insetos.

São os únicos animais que foram observados a desenvolver ferramentas em forma de gancho. Isso permite que alcancem e retirem a sua presa de esconderijos até dez vezes mais rápido, se comparado com uma ferramenta alternativa mais comum, como um galho ou ramo.

No caso dos seres humanos, os primeiros ganchos para a pesca datam de há aproximadamente 23 mil anos e são considerados um marco nos primeiros desenvolvimentos tecnológicos.

Os arqueólogos japoneses que encontraram esses ganchos esculpidos em conchas na ilha de Okinawa, no Japão, disseram que essa foi a primeira mostra de “tecnologia marítima” e permitiu a sobrevivência humana nas ilhas.

O estudo foi publicado a semana passada na revista “Nature Ecology and Evolution”.

Christian Rutz, um dos autores do estudo sobre os corvos, disse à BBC que “a invenção dos ganchos para capturar insetos é “incrivelmente recente. Ocorreu há apenas mil gerações, o que, em termos evolutivos, é um piscar de olhos”.

“Quando se pensa que em apenas mil gerações passamos da criação dos primeiros ganchos para pesca à construção de sondas espaciais, é totalmente surpreendente”, acrescenta Rutz, investigador do Centro de Diversidade Biológica da Universidade de St. Andrews, na Escócia.

Para Rutz, o processo que levou os corvos a criarem novas ferramentas pode ajudar a compreender as origens da inovação tecnológica em seres humanos. “Quando vejo esses corvos a fazer ganchos, vislumbro os fundamentos de uma tecnologia que está em evolução”.

Humildade

Juan Lapuente, ecologista da Universidade de Wurzburg, na Alemanha, estuda o uso de ferramentas por primatas e disse que o comportamento dos corvos é “extraordinário”.

“A grande inteligência e criatividade demonstrada pelos corvos-da-nova-caledónia na fabricação e uso habilidoso de uma ampla variedade de ferramentas demonstra que a evolução do cérebro animal produziu por múltiplas vezes uma consciência avançada de forma independente”, disse Lapuente à BBC.

(dr) BBC

Os primeiros ganchos criados por seres humanos datam de 23 mil anos atrás e são considerados um marco no desenvolvimento tecnológico

“É necessária uma grande compreensão da realidade e das propriedades físicas dos objetos para usá-los como matéria-prima para fabricar as ferramentas. É necessária uma compreensão sofisticada dos problemas e uma grande criatividade para desenvolver as surpreendentes soluções usadas por esses pássaros”.

Para Lapuente, o comportamento dos corvos deve nos tornar mais humildes.

“Como seres humanos que somos, é mais fácil ver os animais que se parecem connosco, os primatas, como seres mais inteligentes e capazes inclusive de produzir as mesmas ferramentas”, explicou.

“No entanto, se retirarmos a venda antropocêntrica dos olhos, veremos que muitos outros animais que sempre consideramos simples ou pouco inteligentes dão mostras de uma grande inteligência e capacidade criativa para resolver problemas”, prossegue.

“Na verdade, os cérebros das aves contêm uma enorme densidade de conexões neurais que lhes permitem ter comportamentos altamente sofisticados. E os corvos não são os únicos: os cães e alguns insetos também podem fazer e usar ferramentas“, acrescentou o especialista.

“Devemos ser humildes e aceitar que não são apenas os animais que se parecem connosco que podem ser inteligentes. A evolução tem produzido surpreendentes máquinas de pensar com diferentes estruturas, no interior de corpos às vezes minúsculos, mas com a incrível capacidade de interpretar o mundo de forma criativa”.

Rutz também acredita que os ganchos não são “o fim da história” para os corvos, e que podemos ver mais inovações. “Eu acho que essa espécie chegará a fabricar ferramentas ainda mais sofisticadas”, disse o cientista da Universidade de St. Andrews.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Aqui nesta terrinha, as gaivotas vão ao leito da ribeira, apanham almeijões (anodontas) com o bico, sobem e depois deixam-nas cair para lhes quebrar a casca. Tentam tantas vezes quantas as necessárias.

    • Sim, também são inteligentes mas os corvos são dos mais inteligentes do reino animal. Chega a ser assustador (no bom sentido!) o que eles conseguem fazer!

Responder a Ju Cancelar resposta

Onda de bebés nascidos com mãos deformadas abre investigação na Alemanha

As autoridades de saúde lançaram uma investigação depois de três bebés nasceram com deformações raras das mãos nos últimos quatro meses num hospital alemão. "Entre junho de 2019 e o início de setembro de 2019, um …

Explosão causou incêndio nas instalações onde a Rússia armazena a varíola e a ébola

Esta segunda-feira, uma explosão causou um incêndio no Centro Estatal de Investigação de Virologia e Biotecnologia, na Rússia. Estas instalações são dos poucos sítios onde a varíola e a ébola estão armazenadas. Uma explosão num tanque …

Ikea vs Kitea: batalha judicial entre suecos e marroquinos em Portugal

A marca sueca de imobiliário Ikea está a contestar nos tribunais portugueses o registo da marca marroquina Kitea. A semelhança entre os dois nomes não é uma mera coincidência, já que ambas vendem o mesmo …

EUA vão processar Edward Snowden por causa da sua autobiografia

O governo dos EUA vai processar Edward Snowden a propósito da autobiografia que chegou esta terça-feira a mais de 20 países. O processo judicial argumenta que autor violou acordos de confidencialidade. A autobiografia de Edward Snowden, …

27 anos depois, o maestro do trânsito regressa a Castelo Branco

A figura do polícia sinaleiro regressou a Castelo Branco 27 anos depois para coordenar o trânsito, numa iniciativa que surpreendeu os jovens condutores e peões, e que levou os mais velhos a aplaudiram e a …

Descoberto em Ílhavo primeiro sítio pré-histórico subaquático português

Uma equipa de arqueólogos descobriu vestígios de uma mancha de ocupação ou possível acampamento do neolítico a cerca de dois metros de profundidade na Ria de Aveiro, em Ílhavo. "Temos estado a apanhar algumas surpresas valentes. …

Rei de Espanha não propôs nenhum nome para investidura. País enfrenta novas eleições a 10 de novembro

A Espanha vai realizar novas eleições. Os dirigentes do Cidadãos, Albert Rivera, e do Partido Popular, Pablo Casado, disseram "não" à investidura de Pedro Sánchez como presidente do Governo espanhol e o rei Felipe VI …

Os dinamarqueses vão plantar um milhão de árvores sem saírem do sofá

No último sábado, a emissora dinamarquesa TV2 transmitiu um programa em direto para convidar os espectadores a doarem dinheiro para plantar árvores. O objetivo, de acordo com o jornal britânico The Guardian o produtor Martin Sundstrøm, …

A melhor escola da Europa para estudar ciência fica em Santarém

É em Alcanena, no distrito de Santarém, que se localiza o agrupamento de escolas com o selo de qualidade do STEM School Proeficient, atribuído pela União Europeia. O estabelecimento de ensino recebeu a melhor classificação …

Câmara da Moita dá parecer negativo ao Estudo de Impacte Ambiental do novo aeroporto do Montijo

A Câmara da Moita, no distrito de Setúbal, aprovou uma posição em que dá parecer negativo ao Estudo de Impacte Ambiental (EIA) do novo aeroporto do Montijo, devido ao “conjunto de impactes negativos”. O município da …