A pausa no aquecimento global é ilusória (e os cientistas explicam porquê)

Um grupo de investigadores de diversos países concluiu que as alegações de uma suposta pausa no aquecimento global, cujos defensores indicam ter acontecido entre entre 2008 e 2010, “são e sempre foram enganadoras”.

De acordo com o Mashable, o grupo de cientistas publicou, na passada terça-feira, dois artigos [ 1 | 2 ] na revista Environmental Research Letters, nos quais concluíram, que não há evidências que comprovem a desaceleração do aquecimento global.

“Descobrimos que nunca houve qualquer evidência estatística disso”, disse ao Mashable Stefan Rahmstorf, chefe do departamento de Análise do Sistema Terrestre no Instituto de Potsdam de Pesquisa do Impacto Climático (PIK), um dos autores da pesquisa.

A verdade é que o planeta foi aquecendo gradualmente ao longo do último século, tendo o aquecimento passado a um ritmo mais acelerado por volta de 1980. Os defensores do hiato afirmam que este ocorreu depois de 1998, persistindo por mais de uma década.

No entanto, segundo os investigadores, o que realmente aconteceu foi que, nesse ano, a tendência de aquecimento da Terra foi fortemente impulsionada pelo El Niño, um evento climático no qual as temperaturas superficiais mais quentes do oceano podem ampliar as temperaturas globais (facto que se verificou novamente em 2016).

NASA GISS

Tendência das alterações de temperatura

Como indicam os estudos recentemente publicados, muitos dos anos da década posterior a 1998 – na qual supostamente foi verificado o hiato em causa -, não tiveram temperaturas tão elevadas como as registadas nesse ano, fazendo com que a taxa de aquecimento não tenha aumentado tanto quanto os modelos climáticos haviam previsto.

Para Stephan Lewandowsky, da Universidade de Bristol (Reino Unido), um dos responsáveis pelas pesquisas, caso se analise somente o ano de 1998 e a década seguinte, pode-se ficar convencido que a tendência do aquecimento global havia parado, residindo aí o problema.

A questão é que essa conclusão é um “erro estatístico”, que “ignora a maior tendência de aquecimento”. “Todo cientista sabe que não se pode analisar o clima baseando-se em apenas alguns anos de dados”, disse Naomi Oreskes, professora de História da Ciência na Universidade de Harvard (Estados Unidos) e uma das autoras do estudo.

Embora a taxa de aquecimento entre 1998 e 2010 tenha flutuado mais lentamente do que alguns modelos científicos previam, essas variações de subida e descida são normais na tendência geral, de longo prazo, que, para os cientistas, é a que realmente importa.

Environmental Research Letters / J S Risbey et al

A linha descontínua mostra as taxas médias globais de uma aumento normal da temperatura, face ao aquecimento global. A linha azul mostra os períodos mais lentos e a vermelha os mais rápidos

As conclusões destas duas investigações têm sido defendidas dentro da comunidade académica por diversos especialistas. É o caso de John Fasullo, que estuda a variabilidade climática no Centro Nacional de Pesquisa Atmosférica (NCAR). “O estudo questiona se o período recente foi estatisticamente incomum” e a resposta é “não”, declarou, acrescentando terem existido “outros períodos que se comportaram da mesma forma”.

A tendência continuada de aquecimento de longo prazo é cada vez mais clara, constataram os investigadores, visto que 17 dos 18 anos mais quentes já registados ocorreram desde 2001.

Em novembro, o Programa Ambiental da ONU já tinha alertado que os países estão a emitir cada vez mais gases com efeito de estufa, conseguindo, como consequência, estar ainda mais longe do objetivo de travar o aquecimento global.

O investigador Stephan Lewandowsky reitera: “se olharmos para a questão a partir da perspetiva de hoje, usando o melhor conhecimento disponível, não há evidências de uma pausa no aquecimento“.

O artigo do Mashable indica ainda que, talvez, a melhor evidência contra a suposta pausa do aquecimento global esteja nos oceanos – um lugar imune à variabilidade do clima atmosférico -, que absorvem a maior parte do calor acumulado na Terra. A expansão desse calor, combinada com a fusão das grandes camadas de gelo do planeta, resulta numa elevação consistente do nível do mar.

Apesar de os dados indicarem que o hiato não existiu, Naomi Oreskes acredita que os defensores do hiato não deixarão de argumentar. “Eles não deixam os factos entrarem no caminho do argumento”, continuou a professora, que leu mais de 200 estudos científicos onde a pausa no aquecimento global foi citada ou analisada.

TP , ZAP // Mashable

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Os dados do IPCC são adulterados procurem por climategate. Há registos das temperaturas que estão a ser adulterados para parecer que a temperatura esta a subir. Em Portugal podem consultar que a temperatura mais alta registada foi em 1912, e nos estados unidos foi em 1936. É um grande negócio as taxas de carbono nomeadamente sobre-taxas sobre combustíveis

  2. Aquecimento global não existe. O que pode acontecer e os estudos apontam (temperatura média dos oceanos) é um resfriamento global. O gás da vida é o gás carbônico, pois seres humanos não são seres autótrofos e é justamente com o gás carbônico é que as plantas produzem os nossos alimentos. Parece que ninguém percebe as estratégias de dominação Mundial estabelecidas pela ONU e instituições globalistas. A estratégia principal é de diminuição da população mundial para ficar mais fácil o controle social. Por exemplo: agendas como aborto, gayzismo, feminismo, aquecimento global listado no intem 8. Portanto, essas são algumas das principais pautas para diminuir a população e consequentemente se tornar mais fácil a sua dominação pelos poderosos globalistas. Por fim, pessoas que acreditam no aquecimento global não pararam para pensar no quão insignificante os seres humanos são perante o planeta Terra. Toda população mundial ficaria confortavelmente no espaço comparável ao menor estado do Brasil, ou seja toda população mundial cabe no menor estado brasileiro. No fundo é muita arrogância pensar que nós seres humanos temos influência planeta. Quem manda no clima é o sol e os oceanos.

  3. Por nim está ótimo, adoro calor. Só detesto que me obriguem a pagar taxas de caborno. Quando descobrirem que exalamos CO2 também vamos pagar para respirar?

RESPONDER

"Grande erro" da Europa é não usar máscaras, considera especialista chinês

George Gao, diretor dos Centros de Controlo e Proteção de Doenças da China (CDC), considera que o "grande erro" da Europa no combate à pandemia de covid-19 é o facto de as pessoas não usarem …

Obama critica de Trump. "Cada um de nós deve exigir mais dos nossos líderes"

O ex-Presidente norte-americano, Barack Obama, considerou esta terça-feira que o seu sucessor, Donald Trump, ignorou os avisos sobre os riscos de uma pandemia do novo coronavírus, e recordou o mesmo comportamento quanto às alterações climáticas, …

Covid-19. Hotel cinco estrelas na Austrália vai acolher sem-abrigo

A Austrália vai levar a cabo um projeto piloto que visa retirar das ruas alguns sem-abrigo e transferi-los para hotéis de luxo, protegendo-os assim do novo coronavírus oriundo da China (Covid-19).  O projeto, Hotels With Heart, …

Red Bull equacionou infeção voluntária dos seus pilotos

Um responsável da Red Bull admitiu que propôs aos pilotos da marca austríaca, que participa no Mundial de Fórmula 1, uma estratégia de infeção voluntária de covid-19, visando ficarem imunes no início da temporada. Helmut Marko …

TAP avança com lay-off para 90% dos trabalhadores (e reduz atividade para cinco voos semanais)

Numa mensagem enviada aos seus funcionários, a TAP revelou que vai mesmo avançar com um processo de 'lay-off' para 90% dos trabalhadores e com a redução do período normal de trabalho em 20% para os …

Estado vai devolver 3 mil milhões em reembolsos do IRS

O Estado vai devolver 3 mil milhões de euros aos contribuintes em reembolsos do IRS, cuja entrega arranca esta quarta-feira e se estende até 30 de junho. A informação foi avançada pelo ministro de Estado, …

Há quatro infetados no sistema prisional. Estão todos em isolamento domiciliário

O Ministério da Justiça revelou esta terça-feira que aumentou para quatro o número de infetados com covid-19 no sistema prisional e que estão todos em isolamento domiciliário segundo indicação da saúde pública. Em comunicado, o Ministério …

Sousa Cintra diz que Rafael Leão "não ficou no Sporting porque foi apertado"

Sousa Cintra, ex-líder da SAD do Sporting no tempo da Comissão de Gestão, lamenta a rescisão do jogador Rafael Leão, considerando que "ele não continuou porque foi apertado". O jovem jogador foi, recentemente, condenado a …

Portugal tem há cinco dias os mesmos 43 recuperados. DGS e especialistas explicam porquê

Portugal regista, desde o passado dia 27 de abril, os mesmos 43 recuperados da Covid-19, segundo os boletins epidemiológicos diários da Direção-Geral da Saúde. Questionado pela agência Lusa sobre a estagnação no número de altas hospitalares …

Morreu o coronel Andrade de Moura, um dos capitães de Abril

A Câmara Municipal de Estremoz, no distrito de Évora, prestou esta terça-feira homenagem ao coronel Andrade de Moura, um dos capitães de Abril de 1974, que morreu no passado dia 23 de março aos 86 …