Americanos e russos juntam-se para enviar uma sonda espacial a Vénus

NASA/JPL-Caltech

Conceito artístico da sonda russa Venera-D em órbita de Vénus

Representantes da NASA e cientistas russos vão realizar uma reunião, esta semana, no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais em Moscovo, para esclarecer os problemas científicos de Venera-D, uma missão conjunta a Vénus.

“Vénus é frequentemente chamado de “planeta irmão” da Terra, mas não sabemos quase nada sobre ele, incluindo se houve vida e água líquida na sua superfície no passado”, disse Jim Green, chefe do departamento de paleontologia da NASA.

“Se compreendermos como funcionam os vários processos em Vénus e Marte, teremos uma imagem mais completa de como é que os planetas semelhantes à Terra evoluem, e iremos conseguir saber o que aconteceu e o que vai acontecer na Terra”, adiantou.

No início de novembro, a NASA e vários cientistas russos começaram a considerar a opção de implementação conjunta da missão Venera-D, que foi excluída do Programa Espacial Federal da Rússia devido a cortes no orçamento de investigação espacial.

De acordo com o especialista Lev Zeleny, diretor do Instituto de Pesquisas Espaciais, os representantes da NASA manifestaram interesse em participar na criação de uma estação de “longa duração” em Vénus, que será capaz de explorar a superfície e a atmosfera do planeta.

Em outubro do ano passado foi criado um grupo de trabalho, cujo principal objetivo foi a avaliação da possibilidade de realização da missão neste formato e a definição de áreas de responsabilidade da Rússia e dos EUA.

De acordo com os planos atuais da NASA e do Instituto de Pesquisas Espaciais, a Venera-D vai orbitar Vénus durante pelo menos três anos, devendo pousar uma sonda na sua superfície e lançar um drone de bateria solar na atmosfera superior do planeta.

“Se olharmos para o Sistema Solar em geral, a Terra e Vénus são quase indistinguíveis um do outro, tendo um tamanho e uma composição semelhantes. No âmbito desta cooperação, gostaríamos de saber como nasceu o forte efeito de estufa existente em Vénus”, afirmou David Senske, do Laboratório de Propulsão a Jato na NASA.

Na melhor das hipóteses, a Venera-D vai ser lançada para o espaço em 2025 ou 2026, mas tudo vai depender, segundo Senske, da vontade e da capacidade da Rússia, bem como da inclusão da Venera-D no Programa Espacial Federal do país.

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Para quem quiser ver, podem pesquisar por Venera soviet venus photos e ver as fotos das antigas missões russas a Venus (1961 a 1983). Coisas que só com a Internet passámos a ter acesso…

RESPONDER

Voar nunca foi tão seguro, garante a Estatística

Voar em companhias áreas comerciais nunca foi tão seguro, garante um estudo levado a cabo por um professor do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) que monitoriza o número de mortes de passageiros de todo o …

Coronavírus já provocou 56 mortes. China começa a desenvolver vacina

China começou a desenvolver uma vacina contra o novo coronavírus, que já provocou a morte a 56 pessoas e infetou 1.975 pessoas no país, informa este domingo o jornal oficial do Partido Comunista Chinês (PCC). De …

Portugueses vencem "Óscares" de animação em Los Angeles

O filme “Tio Tomás, A Contabilidade dos Dias” da realizadora portuguesa Regina Pessoa, venceu este domingo o prémio de Melhor Curta Metragem e Sérgio Martins venceu a Melhor Direção de Animação em Longa Metragem, pelo …

Juiz Neto de Moura muda nome com que assina acórdãos

O juiz Neto de Moura, envolvido em algumas decisões polémicas sobre violência doméstica, alterou o nome com que assina os acórdãos, avança o Jornal de Notícias na sua edição impressa deste domingo. De acordo com …

Violenta tempestade faz pelo menos 30 mortos em Minas Gerais

A violenta tempestade que desde quinta-feira assola o estado de Minas Gerais, sudeste do Brasil, já provocou pelo menos 30 mortos e 17 desaparecidos, anunciou este domingo a Proteção Civil. De acordo com o novo balanço, …

Descobertas quatro novas espécies de tubarões que caminham

Foram descobertas quatro novas espécies de tubarões que caminham usando as suas barbatanas. Ao todo são já conhecidas nove espécies deste tipo de tubarões. Investigadores encontraram tubarões que caminham nas águas do norte da Austrália e …

Caso suspeito de infeção por coronavírus em Portugal deu negativo

A Direção-Geral da Saúde (DGS) informou este domingo que o primeiro caso suspeita de coronavírus em Portugal, com um paciente sob observação no Hospital de Curry Cabral, em Lisboa, deu negativo após  análises. "A Direção-Geral da …

Francisco Rodrigues dos Santos é o novo líder do CDS

A moção de estratégia de Francisco Rodrigues dos Santos, sob o título "Voltar a Acreditar", foi a mais votada na madrugada domingo no 28.º congresso do CDS, em Aveiro, avançaram à agência Lusa fontes partidárias. A …

Cientistas descobrem proteína capaz de imitar os efeitos do exercício físico

A proteína, chamada de Sestrin, é capaz de proporcionar benefícios musculares muito semelhantes aos da prática de exercício físico. Um grupo de cientistas da Universidade de Medicina do Michigan, nos Estados Unidos, descobriu uma proteína …

Inscrição hebraica com 2.800 anos revela antigo nome bíblico

Uma equipa de arqueólogos encontrou um jarro com 2.8000 anos com a inscrição em hebraico "Benayo" no sítio arqueológico de Abel Beth Maacah, no norte de Israel, local várias vezes mencionado na Bíblia Hebraica.  De …