Cientistas ainda estudam consequências do icebergue gigante na Antártida

No início da semana passada, um icebergue com 1 bilião de toneladas separou-se da gigantesca plataforma de gelo Larsen C, na Antártida, segundo um comunicado divulgado pelo Projeto Midas, formado por um grupo de cientistas britânicos que monitorizam a plataforma Larsen C através de satélites.

A separação ocorreu entre segunda-feira e quarta-feira, dia 12, resultando num icebergue com 5.800 quilómetros quadrados – um bloco de gelo do tamanho do Algarve.

O fenómeno era esperado pelos investigadores que vigiavam a fenda na plataforma desde 2010, e que previam esta separação, mas as consequências do evento ainda estão a ser estudadas.

Em nota de imprensa, o professor Adrian Luckman, da Universidade de Swansea, principal investigador do projeto Midas, revelou que o impacto da ruptura da plataforma Larsen C está a ser acompanhado, assim como o destino do enorme bloco de gelo.

O bloco de gelo, baptizado de icebergue A68, é um dos dez maiores vigiados por satélite. “É um dos maiores já registado, e seu progresso é difícil de prever. Pode permanecer numa só peça, mas é mais provável que se divida em fragmentos“, diz Luckman.

“Um pouco do gelo pode permanecer na região durante décadas, enquanto partes do icebergue podem dirigir-se para o norte, para águas mais quentes”, avalia o cientista.

O enorme bloco de gelo à deriva não deve alterar o nível do mar de imediato. Segundo os cientistas, como a plataforma de gelo Larsen C já estava a flutuar, a sua separação não deslocou qualquer água extra.

Larsen C tem uma espessura de 200 a 600 metros e flutua no oceano junto à Antártida, impedindo o fluxo das calotes polares que a alimentam. Com a separação, a área de Larsen C foi reduzida em mais de 12%.

Os investigadores britânicos alertam que caso a Larsen C continue a perder blocos de gelo, isso pode resultar na deriva de mais blocos de gelo rumo ao oceano, o que poderia levar a uma elevação de até 10 centímetros no nível do mar.

A avaliação dos cientistas é que a nova configuração da Larsen deverá ser menos estável que antes da fenda, aumentando o risco de que se desintegre.

MIDAS/ESA/USGS

Imagem de satélite mostra a região da plataforma Larsen C que se separou da Antártida

“Embora haja um debate abundante sobre isso, a nossa pesquisa mostra que a plataforma de gelo restante pode ser menos estável e, eventualmente, seguir o exemplo do vizinho do norte, Larsen B. Outros cientistas esperam que a plataforma de gelo se reconstitua, mas só o tempo irá dizer”, informou o Projeto Midas em nota à imprensa.

Em relação ao impacto da ruptura na biodiversidade, os cientistas garantem que o pinguim, ave símbolo da região, não será prejudicado, uma vez que não havia exemplares da ave a viver no bloco que se soltou.

Os pinguins vivem onde possam chegar a peixes no mar. A plataforma de gelo tem uma espessura de cerca de 200 metros na sua borda externa. Uma vez que nove décimos de qualquer icebergue estão debaixo d’água, o bloco tinha pelo menos 20 metros de altura. Os pinguins podem saltar, mas não tanto”.

Também não há provas que liguem o episódio ao aquecimento global, segundo esclarecem os investigadores do projecto Midas.

“Não temos evidências que possam ligar este evento às mudanças climáticas. Embora o progresso geral do lado esquerdo da plataforma Larsen C de gelo para baixo da Península Antártida tenha sido associada ao aquecimento do clima, essa fenda parece ter-se desenvolvido durante muitas décadas e o resultado é provavelmente natural”.

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Biólogo cria flor de vidro para desvendar segredo da língua do beija-flor

O biólogo Alejandro Rico-Guevara quis pôr à prova a teoria de que os beija-flor se alimentam através da "ação capilar". Os beija-flores são considerados os pássaros mais rápidos do mundo. Um estudo publicado em 2009 revelou …

Pais da Casa dos Horrores acusados de mais três crimes

O casal Turpin foi acusado de mais três crimes de abuso de menores e a mãe foi ainda acusada de um crime adicional de agressão. Foi marcada uma nova audiência preliminar para dia 14 de …

Altice diz que 99,5% dos clientes tiveram serviços repostos após fogos

A Altice esclareceu que 99,5% dos clientes afetados pelos incêndios tiveram os serviços repostos, depois de ser noticiada a morte de uma mulher na Sertã, cuja casa estava sem telecomunicações desde os fogos de outubro. De …

Com 80 anos, Miguel Castillo foi fazer Erasmus para Itália

Um espanhol, de 80 anos, decidiu que um ataque cardíaco não era motivo para parar de viver. Após reiniciar os estudos na Universidade de Valência, Miguel mudou-se agora para Verona, Itália, onde está a participar …

Governo dá mais um ano para prospeção de petróleo no Alentejo

O Governo prorrogou a licença de prospeção de petróleo por considerar que o atraso na operação não é da responsabilidade do consórcio que integra a Galp. O Governo deu luz verde à prorrogação, por um ano, …

Governo admite empréstimo adicional ao Novo Banco em 2018

O secretário de Estado adjunto e das Finanças sabe que o Novo Banco deverá ter prejuízos em 2017 e que, caso venha a ser necessária a intervenção do Estado, "não deverá haver nenhum impacto adicional" na dívida …

INEM altera sistema para responder mais rápido a reclamações

Depois de dois anos com dificuldades crescentes em responder, no prazo de 15 dias, a todas as queixas que lhe chegaram, o INEM prepara-se agora para mudar de sistema e, assim, recuperar o tempo de …

Noite sangrenta no Afeganistão com mais de 20 mortos em ataques suicidas

O Estado Islâmico e os Taliban reclamaram, este sábado, a autoria de uma vaga de ataques suicidas que varreu durante a noite o Afeganistão, provocando mais de 20 mortos em diversos pontos do país, segundo …

PSP e GNR identificam 70 discotecas e bares de risco

A PSP e a GNR identificaram 70 bares e discotecas em Lisboa, Porto e Albufeira, que representam risco para a segurança pública, no âmbito de uma avaliação pedida pelo Ministério da Administração Interna, em dezembro. Este …

Clima de tensão leva Rio a negociar com Costa fora do Parlamento

A primeira semana de Rui Rio não foi um mar de rosas. O novo líder prepara-se para enfrentar o partido e negociar com o Governo directamente sem passar pelo grupo parlamentar do PSD, caso a …