Cidades europeias terão mais secas, inundações e ondas de calor

holgerrings / Flickr

Um estudo concluiu que em todas as cidades europeias haverá um aumento das condições de seca, particularmente na região sul, de inundações, sobretudo no noroeste, e agravamento das ondas de calor.

Selma Guerreiro, especialista em hidrologia e alterações climáticas, faz parte de uma equipa de investigadores da universidade de Newcastle que analisou pela primeira vez mudanças no impacto de cheias, secas e ondas de calor em todas as cidades europeias utilizando modelos climáticos.

A capital portuguesa está no top das capitais com um aumento da frequência e magnitude de episódios de seca. Para Braga e Barcelos é estimado um acréscimo de mais de 80% no pico dos fluxos dos rios.

De acordo com o estudo, publicado recentemente na Environmental Research Letters, o impacto de cheias, secas e ondas de calor excederá no período 2050-2100 as previsões anteriores, refere a universidade britânica em comunicado divulgado no site.

Através de projeções de todos os modelos climáticos disponíveis, associadas a um aumento global da temperatura entre 2,6ºC e 4,8ºC (decorrente de altas emissões de gases com efeito de estufa), os cientistas foram capazes de estabelecer três cenários de impacto – baixo, médio e alto.

No entanto, mesmo no cenário mais otimista, o baixo impacto, todas as cidades europeias terão um aumento do número de dias de onda de calor e do valor da temperatura máxima. No período 2051-2100, cidades espanholas como Málaga e Almería terão mais do dobro dos episódios de seca registados em 1951-2000.

No cenário mais pessimista, 98% das cidades europeias terão situações de seca mais graves e cidades da região sul poderão sofrer secas 14 vezes piores.

Face aos resultados preocupantes obtidos na investigação, os cientistas realçam a necessidade urgente de projetar e adaptar as cidades europeias para as condições meteorológicas que se podem vir a verificar no futuro.

O sul da Europa terá, segundo consta no estudo, o maior aumento no número de dias de ondas de calor, enquanto as cidades da Europa central a maior subida de valores da temperatura máxima, entre 2ºC e 7ºC, para o cenário mais otimista, e entre 8ºC e 14ºC, para o cenário mais pessimista.

Ainda assim, num cenário menos pessimista, as condições de seca só se intensificam em cidades do sul da Europa, ao passo que as cheias só pioram na região noroeste.

Lisboa e Madrid figuram na lista das principais capitais europeias com um aumento estimado da frequência e magnitude dos episódios de seca, enquanto Atenas, Nicósia, Valetta e Sofia poderão ter os piores aumentos de ondas de calor e seca.

No cenário mais grave, em diversas cidades, incluindo Braga e Barcelos, haverá um aumento de mais de 80% no pico do fluxo dos rios.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Indiana Jones do mundo da arte" recupera manuscrito do poeta persa Hafez

Uma das primeiras cópias do reverenciado Divan do autor do século XIV Hafez, iluminado com ouro, será leiloado no início de abril. O famoso poeta persa do século XIV, Hafez, escreveu uma coleção de versos místicos …

O palco onde os Beatles atuaram pela primeira vez está à venda

O palco de madeira onde os Beatles atuaram pela primeira vez está à venda. Agora, alguém poderá replicar o primeiro concerto da famosa banda. A 10 de abril, em comemoração dos 50 anos da separação da …

Células estaminais podem ajudar a proteger os astronautas da radiação espacial

Assim que os astronautas deixam a proteção do campo magnético da Terra, ficam automaticamente expostos a níveis elevados de radiação cósmica. A Agência Espacial Europeia (ESA) está cada vez mais focada em investigações para reduzir …

Pandemia pode trazer nova geração de robôs capazes de realizarem tarefas perigosas

A pandemia de Covid-19 pode trazer uma nova geração de robôs capazes de realizarem tarefas perigosas como limpeza de superfícies infetadas ou vigiar pessoas em quarentena, afirmam esta quarta-feira alguns dos principais investigadores internacionais em …

Multimilionários refugiam-se da Covid-19 a bordo de iates

Vários multimilionários têm procurado refugiar-se da pandemia de Covid-19, que nasceu em dezembro passado na China, em alto mar, a bordo de iates de luxo. Em declarações ao jornal The Telegraph, Jonathan Beckett, executivo da …

Este mamífero consegue sobreviver a quase sete mil metros de altura

Cientistas pensam ter confirmado que um pequeno rato descoberto no vulcão Llullaillaco, nos Andes, é o mamífero que consegue viver à maior altitude já conhecida (6739 metros). Segundo o IFLScience, o Phyllotis xanthopygus rupestris foi descoberto, …

O glaciar Denman recuou quase cinco quilómetros nos últimos 22 anos

O glaciar Denman, na Antártica Oriental, recuou cerca de cinco quilómetros nos últimos 22 anos. Investigadores da Universidade da Califórnia, Irvine e do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA estão preocupados coma topografia exclusiva …

Gruta em Setúbal mostra que os Neandertais também eram pescadores

Cientistas encontraram restos de alimentos numa gruta, no distrito de Setúbal, que comprovam que os Neandertais também se alimentavam de espécies marinhas. De acordo com o jornal espanhol ABC, restos encontrados por uma equipa de arqueólogos …

Associação alerta para riscos da mudança da hora em tempos de confinamento

O presidente da Associação Portuguesa de Cronobiologia e Medicina do Sono advertiu hoje que os efeitos potencialmente adversos causados pela mudança da hora podem acentuar-se devido ao confinamento obrigatório das pessoas na sequência da pandemia …

Governo português legaliza estrangeiros ilegais. "A prioridade é a defesa da saúde"

O Governo português decidiu regularizar os estrangeiros com pedidos pendentes no Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, medida em vigor desde a declaração do estado de emergência, no dia 19, e que lhes garante os mesmos …