Cidade italiana coloca 500 casas abandonadas à venda por um euro cada

Marco Crupi / Flickr

Casa em Mussomeli, cidade a sul da Sicília (Itália)

O governo local da cidade italiana de Mussomeli, no sul da Sicília, colocou 500 casas abandonadas à venda por um euro cada. Os compradores, contudo, têm que renová-las dentro de três anos ou então devolvê-las.

De acordo com um artigo do Mail Online, divulgado na terça-feira, até ao momento foram colocadas à venda 100 imóveis, estando previsto que o mesmo aconteça com outros 400. A sinalização da venda por parte do governo local tem sido feita através de cartazes colocados nas portas das casas.

Qualquer um que compre uma casa precisa renová-la dentro de três anos ou perdem o depósito de 8 mil dólares (cerca de sete mil euros). A avaliação das casas indica que, para restaurar cada metro quadrado, são necessários de 107 dólares (95 euros). Os custos administrativos ficam entre 4.000 e 6.450 mil dólares (3.573 e 5.760 euros).

Mussomeli fica numa colina, a duas horas a sudeste de Palermo, e tem cavernas bizantinas e um castelo medieval, bem como numerosas igrejas antigas.Algumas das casas são muito pequenas mas outras compostas por vários quartos. Segundo o artigo, os imóveis oferecem igualmente vistas deslumbrantes sobre os campos italianos.

A cidade histórica, que tem inúmeras ruas em pedra, tem visto a sua população de 11 mil habitantes a diminuir ao longo dos anos. Esta mudança iniciou quando os italianos começaram a abandonar as áreas rurais, indo para as cidades.

Segundo o Mail Online, arquitetos e engenheiros locais estão à disposição para ajudar no trabalho, mas os compradores podem optar por obter ajuda externa, caso prefiram. Até serem vendidas, as casas permanecem fechadas.

Esta iniciativa não é a primeira do género. No ano passado, a localidade de Ollolai, que fica na região montanhosa de Barbagia, na ilha da Sardenha, também estava a vender 200 residências de pedra abandonadas por um euro cada.

A população da cidade caiu para a metade nas últimas três décadas, estando os 1.300 habitantes – a maioria casais sem filhos de meia-idade – a sair do local ao longo do tempo.

Com apenas um pequeno número de bebés nascidos a cada ano, o governador de Ollolai decidiu impedir que a população caísse ainda mais, lançado o projeto de venda de casas por um euro, em 2015.

Mas também em Ollolai houve um problema: os compradores tiveram que se comprometer a reformar as casas, que estavam em condições precárias, dentro de três anos, a um custo estimado de até 30 mil euros.

TP, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Identificada a evidência mais antiga já encontrada de água no Sistema Solar

Uma equipa multidisciplinar de especialistas identificou num meteorito que caiu no norte da Alemanha em 2019 evidências da primeira presença de água líquida num objeto planetário do Sistema Solar. Os especialistas do Instituto de Ciências …

Astrónomos sugerem que existem buracos negros "estupendamente grandes"

Já existem buracos negros supermassivos e ultramassivos. Mas, de acordo com um novo estudo, pode haver até uma nova categoria: buracos negros estupendamente grandes. De acordo com o site Science Alert, estes hipotéticos buracos negros – maiores …

Cientistas estão a atirar rochas vulcânicas para telhados (para provar que são perigosas)

Uma equipa de cientistas da Universidade de Canterbury está a lançar rochas vulcânicas para telhados na Nova Zelândia na esperança de ajudar os habitantes de Auckland a entender os perigos vulcânicos. "Auckland localiza-se num campo vulcânico …

A cordilheira Kong nunca existiu, mas esteve nos mapas durante um século

A cordilheira Kong nunca existiu, mas esteve durante 100 anos em muito dos principais mapas do continente africano. Acabaria por ser um militar francês, que explorou o rio Níger, a acabar com este "fantasma da …

"Continua a pairar perigosamente". Relógio do Juízo final mantém-se a 100 segundos do Apocalipse

A Humanidade nunca esteve tão perto do Apocalipse, alertam os cientistas responsáveis pelo "Relógio do Juízo Final", que decidiram mantê-lo na mesma posição do ano passado, a 100 segundos da meia-noite. O relógio, que é uma …

A primeira bateria doméstica de hidrogénio armazena três vezes mais energia do que uma da Tesla

Para usar energia solar doméstica, é preciso gerar energia quando o Sol brilha e armazená-la quando não aparece. Para isto, as pessoas usam normalmente sistemas de bateria de lítio. Porém, a empresa australiana Lavo construiu …

Um oásis LGBTQ, Budapeste é posto à prova pelo populismo e pela pandemia

Budapeste é um oásis para a comunidade LGBTQ, mas a cena drag da capital húngara vê-se ameaçada pela pandemia de covid-19 e pelas políticas conservadoras e populistas de Viktor Orbán. Durante muitos anos, Budapeste desfrutou a …

Coreia do Sul "ressuscitou" voz de uma superestrela. Chovem preocupações éticas

Pela primeira vez em 25 anos, a distinta voz da superestrela sul-coreana Kim Kwang-seok será ouvida na televisão nacional. O famoso cantor folk morreu em 1996. De acordo com a CNN, a emissora nacional da Coreia …

Maioria dos países africanos só terá vacinação em massa a partir de 2023

A maioria dos países africanos só terá imunização em massa a partir de 2023, segundo previsão da The Economist Intelligence Unit, que admite que, com o evoluir da pandemia, muitos dos países mais frágeis possam …

Mulher que "morreu" com covid-19 aparece viva 10 dias após funeral

Uma mulher de 85 anos ficou infetada com covid-19 num lar na Galiza, em Espanha. A 13 de janeiro a família de Rogelia Blanco recebeu a informação do lar de que a mulher tinha falecido. …