Cidade do Cabo não vai ficar sem água (para já)

Kyle Mijlof / Instagram

Nuvens lenticulares na Cidade do Cabo, África do Sul.

O dia zero da Cidade do Cabo, data que marcaria o estado das reservas de água tão críticas que a água deixaria de correr nas torneiras, estava marcado para 12 de abril, mas quase um mês depois a água continua a correr nas torneiras dos sul-africanos.

No início deste ano, os 4 milhões que habitam a Cidade do Cabo, capital da África do Sul e segunda maior área urbana do país, a seguir a Joanesburgo, acordaram com a notícia de que o dia zero, em que ficariam sem água a correr nas torneiras, estava marcado.

Na altura, a presidente da Câmara, Patricia de Lille, alertou a população que, se não alterassem os padrões de consumo, em 90 dias, a água ia acabar na cidade.

As previsões para a chegada do dia zero foram sendo alteradas, tendo a última delas sido marcada para 12 de abril. Quase um mês depois do dia que podia ter sido o início de uma catástrofe, a água ainda corre nas torneiras da Cidade do Cabo.

De acordo com o Shifter, o “dia zero” marca o dia em que as torneias domésticas deixam de jorrar água. Nesse cenário, de acordo com o plano municipal traçado, a população teria de se deslocar até um dos 200 pontos municipais de fornecimento de água, onde cada pessoa só poderia recolher um máximo de 25 litros por dia.

Esse limite seria cumprido com a ajuda de guardas armados encarregues de manter a paz, de acordo com o plano municipal.

Para contornar esta situação, a população levou a cabo grandes esforços para poupar a pouca água que ainda resta – e que já é racionada. Em hotéis, algumas torneiras foram retiradas, de forma a evitar que os hóspedes tomassem banho de imersão. As piscinas foram tapadas ou, em último caso, passaram a ser enchidas com água dessalinizada ou reciclada. Os minibares já não têm água engarrafada. E os lençóis só são mudados a cada três dias.

Helen Zille, chefe do governo provincial, emitiu, inclusive, um comunicado a proibir a população de “tomar duche mais de duas vezes por semana. Temos de poupar água como se a nossa vida dependesse disso. Até porque depende”. E foi a própria que confessou, através de um vídeo colocado na sua página na internet, que toma banho apenas de três em três dias.

Além disso, cada residente passou a ter acesso a apenas 87 litros de água diários. Para termos de comparação, em Portugal, em média, cada residente gasta cerca de 187 litros de água por dia.

O Shifter estima que, neste momento, apesar de a situação estar mais controlada, apenas 55% da população estará a cumprir o limite de água permitida, apesar de as entidades competentes terem alertado que quem excedesse o limite estaria obrigado a pagar multas e que cada utilizador deveria ter um dispositivo que fechasse a água quando o limite fosse ultrapassado.

Aurélie de Sousa, emigrante portuguesa na Cidade do Cabo, está a enfrentar esta dura realidade e refere, ilustrando a dificuldade de racionamento: “O meu banho não pode ultrapassar os 90 segundos. Esses 90 segundos contam a partir do momento em que abro a torneira”.

Passados 3 meses e graças à consciencialização da população e aos que cumpriram as normas, a Cidade do Cabo parece estar a livrar-se do perigo mais severo. O futuro, esse, ficará dependente da época de chuva e da população continuar a respeitar as medidas de conservação de água.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Espiões podem estar a usar o LinkedIn para recrutar novos contactos

O LinkedIn é uma rede social de negócios, mas espiões podem estar a usá-la para encontrar novos contactos. Os espiões estarão a usar perfis falsos, gerados por inteligências artificial. Apesar de ser uma rede social bem …

Mercado de compras online pode não ser tão lucrativo quanto se pensa (e pode estar perto do fim)

Muitas pessoas provavelmente presumem que as lojas online estão a fazer uma fortuna, mas a realidade é bem diferente. Muitas atividades de comércio eletrónico são, na verdade, não lucrativas. Se as pessoas tivessem que pagar o …

Canábis já era fumada há pelo menos 2.500 anos

Uma descoberta nos túmulos do cemitério Jirzankal, no oeste da China, mostra que os povos que viviam nessa zona montanhosa já queimavam canábis com elevados níveis de THC. Uma equipa de arqueólogos encontrou pequenos artefactos de madeira …

Estado angolano exige 25 milhões de euros ao general Dino

O Estado angolano exige ao general Leopoldino Fragoso do Nascimento, mais conhecido por Dino e um dos homens de confiança do ex-presidente José Eduardo dos Santos, o pagamento de 29 milhões de dólares (25 milhões …

Procuradora dos "Cinco de Central Park" deixa de lecionar Direito após série da Netflix

Elizabeth Lederer, a procuradora principal do caso dos "Cinco de Central Park", que resultou na condenação injusta de jovens negros e latinos por violação, disse que vai deixar de lecionar Direito na Universidade de Columbia, …

A água da torneira de uma cidade americana ficou repentinamente cor-de-rosa

Os residentes de Coal Grove, no Ohio, foram surpreendidos por água cor-de-rosa a sair das torneiras das suas casas. O problema esteve relacionado com uma avaria na bomba da estação de tratamento da água. Nenhum habitante de …

Hospital Pulido Valente sem anestesistas na escala este fim de semana

Médicos do Hospital Pulido Valente, em Lisboa, foram este sábado surpreendidos com a falta de anestesistas na escala deste fim de semana e manifestam preocupação com o impacto da decisão nos doentes internados. O coordenador da …

Na Suécia, há quem tenha "vergonha" de andar de avião

Viajar de avião ou usar outro meio de transporte? Para muitos, essa pergunta vem de um dilema ético, de pessoas preocupadas com o impacto da aviação nas mudanças climáticas. Nenhum país, contudo, levou esse dilema tão …

EUA. Governo separa famílias de imigrantes ilegais e envia as crianças para antiga base militar

O internamento de nipo-americanos durante a Segunda Guerra Mundial sempre permaneceu uma mancha terrível nos livros de história dos Estados Unidos (EUA). Cerca 120 mil pessoas foram mantidas à força em várias dessas instalações entre …

Morreu o cineasta italiano Franco Zeffirelli

O cineasta italiano Franco Zeffirelli morreu, na sua casa, em Roma, aos 96 anos, noticiou este sábado a imprensa italiana. “O desaparecimento ocorreu no final de uma longa doença. O mestre vai descansar no cemitério de …