Cidadão Marcelo à espera que Moçambique rejeite Acordo Ortográfico

João Relvas / Lusa

O Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, em visita oficial a Moçambique

O Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, em visita oficial a Moçambique

O Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, considera que, se países como Moçambique e Angola decidirem não ratificar o Acordo Ortográfico, isso será uma oportunidade para repensar a matéria.

O chefe de Estado português assumiu esta posição em declarações à RTP África, durante a sua visita de Estado a Moçambique, revelando que, enquanto cidadão, não seguia o novo Acordo Ortográfico.

“Nós estamos à espera que Moçambique decida sim ou não ao Acordo Ortográfico. Se decidir que não, mais Angola, é uma oportunidade para repensar essa matéria”, disse.

O chefe de Estado referiu que “o Presidente da República, nos documentos oficiais, tem de seguir o Acordo Ortográfico”.

“Mas o cidadão Marcelo Rebelo de Sousa escrevia tal como escrevem os moçambicanos, que não é de acordo com o Acordo Ortográfico”, acrescentou.

O Presidente da República de Portugal iniciou na terça-feira uma visita de quatro dias a Moçambique.

O programa desta visita de Estado termina na sexta-feira e Marcelo Rebelo de Sousa viaja para Lisboa no sábado de manhã.

O Acordo Ortográfico de 1990 tem sido adoptado em ritmos diferentes nos Estados que integram a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, estando à frente desse processo Portugal e Brasil.

O acordo já foi ratificado pelos parlamentos nacionais do Brasil, Portugal, Timor-Leste, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe e Cabo Verde, num total de 215 milhões de falantes de português a usar a nova grafia.

Em Moçambique, a norma aguarda ratificação pelo parlamento e em Angola não foi regulamentado a nível governamental.

O acordo já tem o processo de adopção finalizado em Portugal, onde entrou em vigor a 13 de maio de 2015, apesar da oposição de alguns grupos da sociedade civil.

Santos Silva rejeita serenamente repensar o assunto

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, afirmou que Portugal “aguarda serenamente” a conclusão da ratificação do acordo ortográfico pelos membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa que ainda não o fizeram.

“Portugal aguarda serenamente a conclusão do processo de ratificação do acordo por parte dos países que o adoptaram e ainda não ratificaram”, disse hoje o chefe da diplomacia portuguesa, quando questionado sobre a possibilidade de se reabrir o debate sobre o acordo ortográfico.

Augusto Santos Silva lembrou que o acordo ortográfico “é uma convenção internacional adotapda pelos países da CPLP”, que “já foi ratificada e encontra-se em vigor em Portugal e em mais três países”.

“Como ministro dos Negócios Estrangeiros, não preciso de acrescentar mais nada nem devo”, disse apenas.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Descobertas filmagens inéditas de um centro de espionagem da II Guerra Mundial

Foi descoberta uma rara filmagem da instalação militar secreta Bletchley Park, no Reino Unido. Este centro de espionagem atuou durante a II Guerra Mundial e foi responsável por decifrar códigos alemães durante o período nazi. O …

Montezemolo revelou o sonho que Ayrton Senna não cumpriu

O antigo presidente da equipa da Ferrari, Luca di Montezemolo, revelou que o seu maior arrependimento foi não ter conseguido levar Ayrto Senna para a equipa. Em 1994, Ayrton Senna morreu de forma trágica quando perdeu o …

Friends: atores já terminaram as gravações do episódio especial

Ainda antes de os talk shows serem suspensos devido à COVID-19, Matt LeBlanc foi um dos convidados do The Kelly Clarkson Show, onde confirmou que as gravações do episódio especial de FRIENDS estavam concluídas. O programa …

YouTube remove vídeos com teoria da conspiração que liga covid-19 ao 5G

A onda de teorias falsas que ligam a pandemia da COVID-19 ao 5G levou a uma série de incidentes, incluindo ameaças a funcionários de operadoras e ataques a antenas de telecomunicações. Agora, o YouTube está …

Engenheiros construiram um ventilador caseiro. Pode servir como "último recurso"

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Vanderbilt, nos Estados Unidos, construiu um ventilador caseiro que pode ser usado como último recurso. A pandemia de covid-19 continua a desafiar as comunidades médicas e uma das ameaças …

Sepultura de genocídio encontrada no Ruanda pode conter 30 mil corpos

No Ruanda, foi encontrada uma sepultura que pode conter 30 mil vítimas do genocídio no país em 1994. Cerca de 800 mil tutsis e hutus moderados foram assassinados. Mais de 25 anos depois de um genocídio …

Belenenses SAD entra parcialmente em lay-off

"A indústria do futebol está entre as mais atingidas pelos efeitos da pandemia", que provocou a suspensão de praticamente todas as provas futebolísticas, destaca o Belenenses SAD. O Belenenses SAD, da I Liga de futebol, entrou …

Dois milhões de máscaras furtadas em Espanha podem ter sido vendidas em Portugal

O equipamento médico e sanitário furtado está avaliado em cinco milhões de euros e terá sido adquirido por uma empresa portuguesa que conhecia a proveniência do material. Um empresário de Santiago de Compostela foi detido por, …

Facebook terá tentado comprar um software de espionagem em 2017

O Facebook tem estado envolvido em vários escândalos e o mais recente está relacionado com a alegada compra da ferramenta Pegasus, usada para hackear iPhones. A empresa de segurança informática NSO Group, responsável pela Pegasus, alega …

Primeiro-ministro espanhol diz que coronavírus desafia o futuro da UE. E fá-lo em sete idiomas

O primeiro-ministro espanhol Pedro Sánchez publicou no domingo um artigo em sete idiomas europeus, argumentando que o coronavírus pode ser a ruína da União europeia (UE) caso não sejam tomadas medidas mais drásticas para lidar …