“Challenge accepted” é um alerta para a violência contra mulheres na Turquia

(dr) Instagram

Pınar Gültekin, a jovem turca alegadamente assassinada pelo ex-namorado

Popular nos últimos tempos, o desafio de partilhar uma fotografia a preto e branco nas redes sociais pretende, na verdade, chamar a atenção para a violência contra as mulheres na Turquia.

De acordo com o jornal The Guardian, o desafio de partilhar uma fotografia a preto e branco nas redes sociais começou, originalmente, em 2016 para aumentar a consciencialização sobre o cancro.

Mas, nos últimos tempos, o desafio voltou aos feeds das redes sociais porque a ideia foi reaproveitada por ativistas turcas para chamar a atenção do mundo para as altas taxas de violência de género no país.

A ideia é que as utilizadoras partilhem uma fotografia a preto e branco, colocando hashtags como #challengeaccepted e #İstanbulSözleşmesiYaşatır, (“Vamos fazer cumprir a Convenção de Istambul”), referindo-se ao tratado europeu para prevenção e combate à violência contra as mulheres.

Porém, conta o jornal britânico, à medida que o desafio foi começando a chegar a vários pontos do globo e as hashtags foram traduzidas para outras línguas (sendo até feito por várias celebridades), o objetivo original perdeu-se e transformou-se apenas numa espécie de “demonstração de solidariedade feminina”.

“O desafio não começou na Turquia, mas as mulheres turcas reavivaram-no porque estão preocupadas com a possibilidade de sair da Convenção de Istambul. Todos os dias, e depois da morte de uma das nossas irmãs, partilhamos fotografias a preto e branco para manter a sua memória viva”, explicou Fidan Ataselim, secretária-geral do grupo We Will Stop Femicide, citada pelo diário inglês.

A responsável referia-se a Pınar Gültekin, uma estudante turca, de 27 anos, que foi alegadamente assassinada pelo ex-namorado, na semana passada, que a terá estrangulado e que depois tentou queimar o seu corpo.

As mulheres turcas também estão preocupadas com os recentes esforços do Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP), ao qual pertence o Presidente Recep Tayyip Erdoğan, para revogar a Convenção de Istambul.

“A Convenção de Istambul mantém as mulheres turcas vivas. Apelamos às mulheres de todo o mundo para que espalhem esta mensagem e fiquem do nosso lado contra a desigualdade”, diz ainda Ataselim.

Segundo o The Guardian, Gültekin é uma das 120 mulheres que já morreram na Turquia este ano. Em 2019, o país registou um total de 474 vítimas, o número mais alto numa década.

Para além da Turquia, recorde-se que a Polónia também já mostrou intenções de abandonar a Convenção de Istambul. A decisão foi anunciada pelo ministro da Justiça mas, face à pressão das instituições europeias, o partido no poder, Partido Lei e Justiça (PiS), recuou e garantiu que ainda não foi tomada nenhuma decisão.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

José Seguro acusa líderes europeus de "matar lentamente" a Europa

O antigo líder socialista António José Seguro defendeu no domingo que a ambiguidade dos líderes políticos e a morosidade dos processos de decisão nas instituições da União Europeia (UE) estão "a matar, lentamente, a Europa". O …

Marcelo não se pronuncia sobre pedidos de demissão de Cabrita

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, recusou pronunciar-se sobre os pedidos de demissão de Eduardo Cabrita. Marcelo Rebelo de Sousa entende que os pedidos de demissão de ministros são "típicos da luta político-partidária" e …

TAP vai pedir a insolvência da Groundforce

Pedro Nuno Santos, ministro das Infraestruturas, disse esta segunda-feira aos representantes dos trabalhadores que a TAP vai avançar com um pedido de insolvência da Groundforce. A TAP anunciou esta segunda-feira que vai avançar, ainda hoje, com …

Ida de Luís Filipe Vieira para o Benfica "foi um pedido de várias instituições financeiras"

Luís Filipe Vieira diz que os bancos quiseram, no início dos anos 2000, que fosse para o SL Benfica devido à sua situação financeira, pois estavam interessados na sua viabilização. Aos deputados, o presidente das …

Alemanha autoriza vacina da Johnson & Johnson a menores de 60 anos

A Alemanha recomenda a vacina da Johnson & Johnson (Janssen) contra o novo coronavírus a partir dos 60 anos, mas permitirá o seu uso em pessoas abaixo desta idade após consulta médica e decisão pessoal. O …

Livatino é o primeiro juiz a ser beatificado. Foi morto pela máfia italiana

A Igreja Católica beatificou este domingo o juiz italiano Rosario Livatino, assassinado em 1990 pela máfia em Agrigento, na Sicília, Itália. Rosario Livatino, que hoje teria 69 anos, foi assassinado em 21 de setembro de 1990 …

Castelo do Drácula oferece vacinas contra a covid-19 aos visitantes

O castelo do Drácula, na Roménia, está a oferecer vacinas contra a covid-19 a todos os que o visitem. Nas ilhas Baleares, os turistas vão poder contar com um seguro de repatriamento. Segundo conta a BBC, …

Trabalho ilegal. Bloco propõe alteração à lei para criminalizar "toda a cadeia"

Catarina Martins anunciou, esta segunda-feira, que o Bloco de Esquerda quer alterar a lei de 2016 para garantir uma melhor fiscalização e condenação dos responsáveis pela exploração de trabalhadores em Portugal. Em Odemira, a coordenadora do …

Laos regista primeira morte por covid-19 desde o início da pandemia

Uma mulher de 53 anos - que tinha diabetes e outros problemas de saúde - foi a primeira vítima mortal por covid-19 em Laos, em mais de um ano de pandemia. Segundo noticiou a agência …

Arábia Saudita vai impor vacinação aos funcionários que queiram voltar ao local de trabalho

A Arábia Saudita quer alcançar a imunidade de grupo o quanto antes. Para aumentar os esforços de vacinação, foram abertos mais de 580 locais de vacinação no país. Além disso, os residentes já podem reservar …