“Challenge accepted” é um alerta para a violência contra mulheres na Turquia

(dr) Instagram

Pınar Gültekin, a jovem turca alegadamente assassinada pelo ex-namorado

Popular nos últimos tempos, o desafio de partilhar uma fotografia a preto e branco nas redes sociais pretende, na verdade, chamar a atenção para a violência contra as mulheres na Turquia.

De acordo com o jornal The Guardian, o desafio de partilhar uma fotografia a preto e branco nas redes sociais começou, originalmente, em 2016 para aumentar a consciencialização sobre o cancro.

Mas, nos últimos tempos, o desafio voltou aos feeds das redes sociais porque a ideia foi reaproveitada por ativistas turcas para chamar a atenção do mundo para as altas taxas de violência de género no país.

A ideia é que as utilizadoras partilhem uma fotografia a preto e branco, colocando hashtags como #challengeaccepted e #İstanbulSözleşmesiYaşatır, (“Vamos fazer cumprir a Convenção de Istambul”), referindo-se ao tratado europeu para prevenção e combate à violência contra as mulheres.

Porém, conta o jornal britânico, à medida que o desafio foi começando a chegar a vários pontos do globo e as hashtags foram traduzidas para outras línguas (sendo até feito por várias celebridades), o objetivo original perdeu-se e transformou-se apenas numa espécie de “demonstração de solidariedade feminina”.

“O desafio não começou na Turquia, mas as mulheres turcas reavivaram-no porque estão preocupadas com a possibilidade de sair da Convenção de Istambul. Todos os dias, e depois da morte de uma das nossas irmãs, partilhamos fotografias a preto e branco para manter a sua memória viva”, explicou Fidan Ataselim, secretária-geral do grupo We Will Stop Femicide, citada pelo diário inglês.

A responsável referia-se a Pınar Gültekin, uma estudante turca, de 27 anos, que foi alegadamente assassinada pelo ex-namorado, na semana passada, que a terá estrangulado e que depois tentou queimar o seu corpo.

As mulheres turcas também estão preocupadas com os recentes esforços do Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP), ao qual pertence o Presidente Recep Tayyip Erdoğan, para revogar a Convenção de Istambul.

“A Convenção de Istambul mantém as mulheres turcas vivas. Apelamos às mulheres de todo o mundo para que espalhem esta mensagem e fiquem do nosso lado contra a desigualdade”, diz ainda Ataselim.

Segundo o The Guardian, Gültekin é uma das 120 mulheres que já morreram na Turquia este ano. Em 2019, o país registou um total de 474 vítimas, o número mais alto numa década.

Para além da Turquia, recorde-se que a Polónia também já mostrou intenções de abandonar a Convenção de Istambul. A decisão foi anunciada pelo ministro da Justiça mas, face à pressão das instituições europeias, o partido no poder, Partido Lei e Justiça (PiS), recuou e garantiu que ainda não foi tomada nenhuma decisão.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Identificar, agir e respirar fundo. Na Coreia do Sul, as equipas de rastreio de elite mostraram como combater a covid-19

A Coreia do Sul tem uma das taxas mais baixas de infeções com origem desconhecida - cerca de 8%, um número que contrasta com a taxa de mais de 50% noutros países com novos surtos …

Hackers desenvolvem tecnologia para combater a violência doméstica

Em Israel, um grupo de hackers juntou-se para criar uma tecnologia de aplicações móveis que permitem ajudar pessoas em contexto de violência doméstica, mesmo antes desta acontecer. Em outubro de 2019, o assassinato de Michal Sela …

ALMA captura "fábrica agitada" de planetas

Os ambientes de formação planetária podem ser muito mais complexos e caóticos do que o que se pensava. Isto é evidenciado por uma nova imagem da estrela RU Lup, feita com o ALMA (Atacama Large …

A Lua pintou-se de vermelho na Argentina (e a causa não é propriamente boa)

Uma estranha lua com tons avermelhados pintou o céu da Argentina. O fenómeno misterioso encheu as redes sociais de fotografias e teorias. Em diferentes regiões da Argentina, várias pessoas puderam apreciar, nas últimas noites, a Lua …

Aeronave autónoma é uma alternativa acessível aos satélites (e já fez o seu primeiro voo)

A empresa Swift Engineering, em parceria com o Ames Research Center, da NASA, desenvolveu uma alternativa acessível aos satélites: uma aeronave autónoma de alta altitude e longa resistência. Já nasceu a alternativa acessível aos satélites: chama-se …

Reservas naturais chinesas salvaram os pandas da extinção (mas "esqueceram-se" dos leopardos)

Uma nova investigação revela que os esforços da China para salvar os pandas gigantes foram bem sucedidos, mas os mesmos falharam na proteção de outros animais que partilham o mesmo habitat, como é o caso …

Comunidade científica critica Trump por dizer que NASA estava "morta"

Na quarta-feira, o Presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, afirmou no Twitter que "a NASA estava fechada e morta" até que o próprio fez com que voltasse a funcionar, afirmação que gerou consternação na …

É "bastante provável" que chegue à Europa uma Cybertruck de menores dimensões

É "bastante provável" que uma Cybertruck de menores dimensões venha a ser produzida e chegue depois ao mercado europeu, revelou Elon Musk, CEO da Tesla, empresa que produz estas pickups elétricas. Questionado na rede social …

Mais seis mortos e 131 novos casos em Portugal nas últimas 24 horas

Portugal regista hoje mais seis mortos e 131 novos casos de infeção por covid-19 em relação a sábado, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde. O número de pessoas internadas é de 366, mais nove …

"Erro" do Instagram favoreceu conteúdo de Trump face ao de Biden

Um "erro" da rede social Instagram favoreceu durante dois meses o conteúdo gerado pela campanha de reeleição do atual Presidente norte-americano, Donald Trump, quando comparado com as publicações de Joe Biden, candidato democrata que está …