CDS à frente do PSD seria uma “mudança brutal” do sistema

Sociais-democratas consideram ambição de Assunção Cristas “irrealista”. Carlos Jalali, politólogo, fala numa mudança “difícil, mas não impossível”.

Se o CDS conseguisse suplantar o PSD e tornar-se no principal partido de centro-direita, essa seria uma “mudança brutal” no sistema político português, acredita Carlos Jalali, especialista em sistemas políticos.

O professor da Universidade de Aveiro lembra que só nas primeiras eleições o CDS conseguiu os seus melhores resultados e o mais próximo dos sociais-democratas. Freitas do Amaral, o fundador do partido, conquistou 42 lugares – num Parlamento de 263 deputados – contra 73 do PSD de Sá Carneiro.

Segundo o Diário de Notícias, no entanto, Jalali sublinha o potencial de Assunção Cristas para fazer reforçar o peso do CDS, num momento em que o PSD parece não estar a capitalizar nas intenções de voto em relação ao PS e, no terreno simbólico, o facto de ter ficado à frente da candidata social-democrata, Teresa Leal Coelho, nas eleições autárquicas em Lisboa serve de referencial: “Nós podemos, o PSD não é imbatível.”

Por outro lado, há uma “diferença abissal das estruturas a nível nacional entre os dois partidos”.

O PSD está representado em força nas câmaras municipais, o que diz, “ajuda a mobilizar o eleitorado”. Aliás, a implantação territorial do CDS foi sempre um dos problemas do partido, que sofreu a sua maior erosão durante mais de uma década de liderança cavaquista do PSD e do país.

Durante as duas maiorias absolutas de Cavaco, o CDS encolheu de tal forma, com 4 deputados e depois cinco, que ficou conhecido como o “partido do táxi“.

Nos anos em que concorreram sozinhos para a Assembleia da República, como acontecerá em 2019, os centristas nunca conseguiram, à exceção de 1976, chegar sequer à metade dos lugares conquistados pelos sociais-democratas.

O CDS em “bicos de pés”

Depois de o CDS se afirmar como a principal força de centro-direita, o PSD reagiu e considerou a ambição da líder do partido “irrealista” e um “enorme disparate”.

Entre as hostes sociais-democratas lembra-se a Assunção Cristas que os resultados nas autárquicas não são transponíveis para o plano nacional. António Bragança Fernandes, presidente da distrital do Porto do PSD, considera que Assunção Cristas está a “pôr-se em bicos de pés”, confundindo os votos autárquicos que obteve em Lisboa, em outubro passado, com legislativas.

“São duas coisas diferentes as autárquicas não têm nada a ver com as eleições legislativas”, diz ao DN, sublinhando que a líder centrista “está a elevar muito a fasquia”. Bragança relembra que, em Lisboa, o que esteve em causa foram nomes, enquanto que nas legislativas, o que vai a jogo “é o partido em si”.

Ao CDS “pode sair o tiro pela culatra”, diz o presidente da maior distrital social-democrata – apoiante de Pedro Santana Lopes nas eleições internas – que rejeita que a estratégia de Rui Rio esteja a abrir espaço ao CDS entre o eleitorado de centro-direita. “Rui Rio está a fazer o que é do melhor interesse para o país a longo prazo, está a apostar no futuro”.

Já Carlos Peixoto, vice-presidente da bancada e líder da distrital da Guarda diz que as ambições do CDS “são legítimas”, na medida em que é “legítimo sonhar”. Mas são igualmente “irrealistas”. “Não têm nenhum tipo de adesão à realidade do comportamento eleitoral dos portugueses”, destaca o parlamentar laranja.

E se Cristas bateu o PSD em Lisboa, relegando os sociais-democratas para o lugar de terceira força política na capital, o vice-presidente do grupo parlamentar diz que “o Dr. Rui Rio não é a Dra. Teresa Leal Coelho” e que não se podem fazer comparações entre eleições autárquicas e legislativas.

Outro deputado da bancada, que não apoiou publicamente Rui Rio nem Santana Lopes, diz que “o CDS querer alargar o eleitorado infligindo golpes no PSD é um enorme disparate“.

Para este social-democrata “cada partido deve fazer o seu caminho, elegendo sempre o PS como alvo. O alargamento do eleitorado tem de ser feito para fora e não para dentro do centro-direita”.

O deputado entende que Assunção Cristas “ainda não percebeu qual o papel dela e do CDS. Ao longo dos tantos anos em que Paulo Portas presidiu ao CDS, nunca se viu entrar num congresso a ser anunciado como o próximo primeiro-ministro de Portugal. No discurso de Assunção está implícito que, como agora o PSD anda um pouco atrapalhado, vamos filá-los. É ridículo e na política o ridículo mata”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Milhares em Londres pedem um segundo referendo ao brexit

O centro de Londres encheu-se este sábado de milhares de pessoas que se manifestaram  por um segundo referendo sobre a saída do Reino Unido da União Europeia. “Queremos ter a palavra sobre o ‘brexit’”, gritou-se. Dois …

Para muitos, ir ao Rock in Rio é para "viver a experiência"

Há quem gaste 200 euros, quem não dispense um brinde e quem espere à sombra até ao concerto desejado. Para muitos dos espetadores, a ideia é viver “a experiência” do Rock in Rio Lisboa, que …

Francesa esteve detida 2 semanas por atravessar por engano fronteira EUA-Canadá

A francesa Cedella Roman, de 19 anos, passou o "maior susto da sua vida": foi detida pelo serviço de imigração norte-americano e esteve presa durante duas semanas num centro de imigrantes por ter atravessado acidentalmente …

Os buracos negros podem ser dois wormholes que colidiram

Quando dois wormholes colidem, são criadas ondulações no espaço-tempo. Esses ecos gravitacionais poderiam ser detetados por instrumentos futuros, fornecendo evidências de que essa hipotética colisão através do espaço-tempo existe mesmo. O Observatório de Ondas Gravitacionais por …

Bruno de Carvalho destituído da presidência do Sporting

O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, foi destituído do cargo, por decisão da maioria dos sócios que votaram em Assembleia Geral extraordinária, este sábado, na Altice Arena, em Lisboa. O presidente da Mesa da Assembleia …

É hoje: mulheres sauditas conquistam o direito de conduzir automóveis

A Arábia Saudita levanta este domingo, 24 de Junho, a proibição imposta às mulheres de conduzirem automóveis nas estradas do reino, decisão do príncipe herdeiro Mohammad bin Salman integrada num plano de modernização do país. "Será …

Sobrinho alvo de tentativa de agressão. Bruno foi votar

O empresário Álvaro Sobrinho, líder da Holdimo, segundo maior acionista do Sporting, foi hoje alvo de tentativa de agressão dentro do Altice Arena, em Lisboa, durante a Assembleia Geral (AG) de destituição que decide o …

Marcelo já teve alta. Causa do desmaio apurada

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, já deixou o hospital de Braga onde foi observado depois de se ter sentido mal ao final da manhã, tendo o próprio explicado aos jornalistas que teve …

Bélgica vs Tunísia | Goleada “dos diabos”

Num dos melhores jogos desta fase de grupos, a Bélgica apurou-se para os oitavos-de-final do Mundial, graças a uma goleada por 5-2 ante a Tunísia. Sete golos numa partida de futebol ofensivo, aberto, com muitas …

Este é o primeiro dia do resto da vida do Sporting

Os sócios do Sporting reúnem-se hoje para a primeira Assembleia Geral (AG) de destituição da história do clube, na qual decidirão o futuro do presidente, Bruno de Carvalho, legitimado há quatro meses por larga maioria. A …