CDS recebeu com “alegria e entusiasmo” candidatura de Moedas a Lisboa

Paulo Novais / Lusa

O presidente do CDS-PP afirmou, esta sexta-feira, que o partido recebeu com “grande alegria e entusiasmo” a candidatura de Carlos Moedas à Câmara de Lisboa, considerando que é “um nome forte” e uma “ótima notícia” para a capital.

“O CDS congratula-se com a disponibilidade de Carlos Moedas para se candidatar à Câmara Municipal de Lisboa, é uma notícia que recebermos com grande alegria e entusiasmo“, disse aos jornalistas Francisco Rodrigues dos Santos, depois de se ter reunido com o ex- comissário europeu, na sede nacional do CDS-PP, durante cerca de uma hora e meia.

O líder do CDS salientou que “Carlos Moedas é um nome forte que reuniu um sólido consenso entre as direções do CDS e do PSD em todas as reuniões mantidas sobre a estratégia para as próximas eleições autárquicas”, sendo uma “ótima notícia para Lisboa”.

O líder centrista indicou também que constitui “o primeiro passo para que haja uma coligação ganhadora de centro-direita para a capital do país, que naturalmente irá ser aprofundada pelas direções de ambos os partidos”.

“Como líder do CDS, assumo a vontade do partido de trabalhar num projeto mobilizador da nossa área política, que seja capaz de libertar os lisboetas do socialismo e oferecer à cidade uma oferta de mudança para o futuro”, disse.

Defendendo que “o contributo do CDS em Lisboa é decisivo para a construção de uma alternativa de centro-direita em Lisboa, como de resto a história da cidade, desde o engenheiro Cruz Abecassis, sempre o demonstrou”, o presidente do CDS deixou um repto: “por isso, com Carlos Moedas, vamos a isso“.

O ex-comissário europeu foi anunciado, na quinta-feira, como candidato do PSD à Câmara Municipal de Lisboa, em vésperas da assinatura de um “acordo-chapéu” entre sociais-democratas e democratas-cristãos para coligações autárquicas.

“Era um nome que era desejado por ambos os partidos há muito tempo a esta parte, que felizmente conseguiu consumar-se”, afirmou Francisco Rodrigues dos Santos, ladeado por Carlos Moedas.

Questionado se o apoio a esta candidatura foi concertado com a concelhia e a distrital de Lisboa do CDS-PP, o presidente referiu que “o processo está a ser conduzido pelas direções nacionais de ambos os partidos”, mas tem sido “mantido um diálogo com as estruturas locais” centristas, que têm sido “informadas” das negociações.

Sobre a distribuição dos candidatos dos dois partidos nas listas, Rodrigues dos Santos defendeu que “antes da discussão de lugares” é preciso “discutir ideias, projetos para a cidade, uma ideia de mudança para Lisboa para a colocar novamente na senda do desenvolvimento social, económico e cultural” desejado, para que esta coligação “seja um projeto concorrente, ganhador, face à proposta socialista”.

Questionado sobre as eleições para a escolha do próximo líder da bancada centrista, agendadas para o início de março, Francisco Rodrigues dos Santos respondeu que “a direção do partido trabalhará com qualquer líder parlamentar que seja eleito pelos deputados”, até porque esta “não é uma escolha que compita à direção do partido tomar”.

“Cumpre aos deputados exercer essa preferência, e da minha parte estarei inteiramente disponível, com sentido institucional, com confiança e com cooperação, inteiramente comprometido a trabalhar com o grupo parlamentar”, salientou.

Apontando que “qualquer escolha” para próximo líder da bancada parlamentar será do seu agrado, Francisco Rodrigues dos Santos justificou que tem os cinco deputados do CDS-PP “na mais alta conta e consideração”. “Qualquer que seja a escolha, eu estarei certamente disponível para trabalhar com o próximo líder parlamentar”, garantiu.

O líder centrista também foi questionado sobre a reunião que teve esta quinta-feira com os deputados, a seu pedido, a primeira desde o último Conselho Nacional no qual foi aprovada uma moção de confiança à direção do partido e no qual os parlamentares defenderam a realização de um congresso antecipado.

“As relações com o grupo parlamentar estão ótimas, e estamos todos empenhados em ter uma cooperação institucional leal que permita a afirmação do partido na sede parlamentar, onde contamos ter iniciativas nesta altura de pandemia que ajudem os portugueses a levantarem-se da crise em que estão mergulhados e em que o Governo se tem mostrado absolutamente incompetente para responder aos seus anseios e aos dramas que estão a viver”, respondeu.

No entanto, de acordo com fontes centristas contactadas pela Lusa, a “reunião foi tensa” e “não foi produtiva, não adiantou nada”.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Já pode "adotar" um pedaço de Notre-Dame para ajudar na sua reconstrução

Uma organização está a dar a oportunidade de o público ajudar na reconstrução de artefactos específicos da catedral de Notre-Dame, em França, que foi parcialmente destruída por um incêndio em 2019. De acordo com a cadeia …

Proporção divina identificada na gerbera

Descobrir como se formam os padrões distintos e omnipresentes das cabeças das flores tem intrigado os cientistas há séculos. Quando se pede a alguém que desenhe um girassol, quase todas as pessoas desenham um grande círculo …

Audi apresenta o novo Q4 e-tron que traz uma autonomia até 520 km

Ainda antes do verão, a Audi vai colocar no mercado o seu primeiro SUV elétrico concebido de raiz e não adaptado a partir de uma plataforma concebida para motores a combustão. O Q4 e-tron destaca-se pela …

Vanuatu em alerta depois de um corpo com covid-19 ter dado à costa

Vanuatu proibiu viagens de e para a sua principal ilha três dias depois de ter dado à costa um corpo de um pescador filipino, que testou positivo à covid-19. De acordo com a Radio New Zealand, …

Cientistas russos querem criar a primeira vacina comestível contra a covid-19

O Instituto de Medicina Experimental de São Petersburgo, na Rússia, anunciou o seu plano de concluir dentro de um ano os testes pré-clínicos da primeira vacina comestível do mundo contra o novo coronavírus. Em entrevista à …

Em plena crise política, o país mais pobre das Américas ainda não recebeu nenhuma vacina

Numa altura em que a maior parte dos países já têm o processo de vacinação a decorrer, o governo do Haiti ainda não garantiu uma única dose da vacina contra o coronavírus. O país mais pobre …

Afinal, Leonardo da Vinci não esculpiu o busto de Flora

Está terminada a controvérsia que durou mais de cem anos após a aquisição do Busto de Flora em 1909, por Wilhelm von Bode. A datação por radiocarbono revelou, recentemente, que a obra não foi …

Crise climática "implacável" intensificou-se em 2020, diz relatório da ONU

Houve uma intensificação "implacável" da crise climática em 2020, com a queda temporária nas emissões de carbono devido ao confinamento a ter um impacto pouco significativo nas concentrações de gases de efeito de estufa, revelou …

Já se sabe o que causou a misteriosa "tempestade de asma", que vitimou dez pessoas em 2016

Em 2016, na cidade de Melbourne, aconteceu o evento de "tempestade de asma" mais grave do mundo. Os cientistas descobriram agora o culpado. No dia 21 de novembro de 2016, as urgências de um hospital em …

Carlos César reivindica papel do PS na construção da democracia e no combate à corrupção

O presidente do PS defendeu, esta segunda-feira, que se deveu ao seu partido o aprofundamento da democracia e os avanços no combate à corrupção, embora admitindo desvios", "erros" e "omissões num ou outro momento da …