Catarina Martins pede às famílias para planearem o Natal antecipadamente

Bloco de Esquerda / Flickr

A coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins

A coordenadora do Bloco de Esquerda afirmou hoje compreender a necessidade de encontros familiares no Natal, mas advertiu que o novo coronavírus continua na comunidade e as famílias devem tomar já as melhores decisões para se protegerem.

Esta posição foi transmitida por Catarina Martins no final de uma ação de recolha de assinaturas para a formalização da candidatura presidencial de Marisa Matias, no parque central da Amadora, distrito de Lisboa.

Questionada sobre o alívio de restrições projetado pelo Governo para o período do Natal, a coordenadora do Bloco de Esquerda considerou que “o mais importante é que cada pessoa e cada família tome as melhores decisões para se proteger”.

“A pandemia está cá, em muitos locais o vírus está na comunidade e, portanto, as pessoas têm de saber proteger-se e proteger os seus. Com todo o respeito pela necessidade de as pessoas se encontrarem no Natal, o que todos compreendemos, também cabe a cada família fazer as melhores escolhas e as melhores opções para ter um Natal em segurança – e essas opções devem começar desde já”, advertiu.

Catarina Martins deixou ainda um conselho aos cidadãos que pretendem estar com mais pessoas no Natal.

“Seguramente, têm de começar desde já a evitar toda a exposição e todos os contactos de risco que consigam evitar. O Natal é seguramente muito importante, mas então que as famílias conversem entre elas, tomem as melhores decisões e protejam-se”, insistiu.

Em relação às medidas em concreto anunciadas no sábado por António Costa, a coordenadora do Bloco de Esquerda considerou que “é necessária muita explicação sobre os riscos que se correm em cada momento”.

“É importante que haja um grande esforço pedagógico e de explicação dos riscos para as pessoas tomarem as melhores decisões possíveis. Também temos dito que, para que as pessoas tomem as melhores decisões, é preciso que existam apoios económicos e sociais que compensem as restrições de atividade necessárias para a contenção do vírus”, acrescentou.

// Lusa

PARTILHAR

17 COMENTÁRIOS

  1. É para isto que o Covid serve, é sobretudo para isto.
    Por aqui se vê como um vírus esconde na sua génese objectivos económicos.
    Pra mim o assunto Covid deixou de ter qualquer tipo de credibilidade a partir do momento em que a vacina não é obrigatória.
    Uma calamidade pública como lhe chamam altamente contagiosa e que impõe as medidas que impõe não pode ter uma vacina de toma facultativa. Passou a morrer muito mais gente de outras doenças do que de Covid e afinal de contas a vacina é facultativa. Tal só prova que estamos perante um grande embuste comercial com os governos de vários países nas mãos desse grande lobby internacional chamado Covid-19 ! Se o Covid fosse realmente grave para todos a vacinação obviamente era obrigatória. Grande negócio

  2. Catarina Martins pede para as famílias pensarem no Natal antecipadamente.

    Catarina Martins está com medo daquilo que possa suceder daqui em diante.
    Catarina Martins…
    STOP…!

    Disse o quê?

  3. Eu punha uma moratória no Natal (à semelhança das rendas, empréstimos…) e passagem de ano e festejava-se tudo em grande dia 24 / 25 de junho e 30 junho para 1 de julho. Ia ser o primeiro Natal e Passagem de Ano em Portugal com Sol. Espetáculo… como diria o obeso do preço certo.

RESPONDER

Supertaça. Sporting e Sp. Braga defrontam-se 39 anos depois (e adeptos regressam aos estádios)

Sporting e Sp. Braga lutam este sábado pelo primeiro título da época (e os adeptos já vão estar na bancada). O encontro da 43.ª edição da supertaça Cândido de Oliveira está marcado para este sábado, …

Vacinação de crianças divide peritos. Mas sem a inoculação dos mais novos a imunidade pode não chegar

Na sexta-feira, a Direção-Geral de Saúde anunciou que recomenda que a vacinação contra a covid-19 de jovens dos 12 aos 15 anos com comorbilidades. No entanto, o tema está a gerar controvérsia e divide opiniões …

Governo com margem política para abdicar de 15% do Novo Banco

Em 2022, o Governo tem margem política para abdicar do direito de entrar como acionista no Novo Banco (NB), inicial­mente com uma participação de mais de 2%, mas que pode subir a 15%. Para já, nem …

Tóquio2020. Biles renuncia também às finais de salto e barras assimétricas

A ginasta norte-americana Simone Biles, que renunciou à final do concurso geral individual dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, também não vai participar das finais de domingo de salto e barras assimétricas, informou esta sexta-feira a Federação …

Governo não pediu parecer à CNPD sobre as "bodycams" em polícias. Método vai "aumentar a transparência"

A proposta da nova lei da videovigilância, que vai permitir que os polícias passem a usar câmaras nos uniformes, já foi aprovada em Conselho de Ministros, mas ainda não chegou ao Parlamento. Também não foi …

Marcelo reuniu com Lula, mas não revela o teor da conversa. Presidente diz que visita é apenas de cariz cultural

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse sexta-feira à chegada a São Paulo que a cultura tem um "papel fundamental" na convergência entre Portugal e o Brasil, rejeitando que a agenda alargada de …

PSP abre processos disciplinares por uso indevido de farda em manifestação

A PSP abriu processos disciplinares, por uso indevido e incorreto do uniforme, a agentes que participaram em 21 de junho, em Lisboa, numa manifestação organizada pelo Movimento Zero, confirmou esta sexta-feira à Lusa o porta-voz, …

Por onde passou o caminho bíblico da Judeia a Edom? Cientistas encontram respostas

Por onde passava o caminho bíblico que ligava o reino de Judeia à nação vizinha de Edom? Um novo estudo dá novas pistas sobre o possível percurso da estrada. Os investigadores israelitas sugerem que havia, pelo …

PCP diz que acusação a grupos hospitalares privados por acordo anticoncorrencial evidencia "cartelização"

O PCP considerou esta sexta-feira que a acusação da Autoridade da Concorrência a cinco grupos hospitalares privados por acordo anticoncorrencial, confirma a “prática parasitária e de cartelização” destes grupos, que fazem “da doença um negócio”. O …

Ensino Superior. Vagas voltam a aumentar com Porto, Lisboa e Aveiro na frente

O concurso nacional de acesso ao ensino superior volta a registar um aumento do número de vagas, segundo dados divulgados este sábado, que mostram Lisboa, Porto e Aveiro com o maior crescimento. Depois de, no ano …