/

“Um asiático a menos para aturar.” Família recebe carta de ódio escrita à mão após morte do pai

3

Byong Choi, de 83 anos, morreu vítima de uma rara infeção na medula óssea a 24 de fevereiro. No dia do funeral, a família recebeu uma carta de ódio, escrita à mão, onde se lia: “É um asiático a menos que temos que aturar”.

Segundo o Independent, a polícia de Seal Beach, na Califórnia, já está a investigar a carta de ódio recebida pela família Choi.

“Agora que Byong morreu, é um asiático a menos que temos que aturar no Leisure World… Malditos asiáticos que estão a dominar a nossa comunidade americana! Não é uma situação aceitável para quem vive aqui – afirmação verdadeira!!”, lia-se na carta. “Cuidado! Faça as malas e volte para o seu país de origem.”

Claudia Choi, filha da vítima, acredita que a missiva foi enviada por um morador da comunidade de reformados da qual os seus pais faziam parte, a Leisure World. No entanto, até Byong ter falecido, o casal nunca teve problemas com racismo.

Os asiáticos representam cerca de 11% da população de Seal Beach City. De acordo com a filha de Choi, a mudança nas atitudes das pessoas em relação aos ásio-americanos ocorreu, principalmente, durante a pandemia de covid-19, graças à disseminação de frases como “vírus da China” e “Kung Flu”.

Claudia Choi culpa também o ex-Presidente Donald Trump. Citada pelo Independent, salientou que os pais tinham também vizinhos pró-Trump no Leisure World.

Os investigadores estão a examinar as evidências de ADN na carta, impressões digitais e caligrafia para prender a pessoa envolvida neste crime de ódio. Os detetives também vão analisar os vídeos das câmaras de vigilância e questionar os membros da comunidade.

  Liliana Malainho, ZAP //

3 Comments

  1. Lindo era que o iluminado que escreveu carta não fosse um nativo americano mas sim um descendente daqueles ingleses delinquentes que foram enviados para as Américas!..

  2. Estes racistas, são na verdade uns infelizes que procuram desesperadamente alguém, ou um grupo que os faça sentir não estarem na camada inferior da “cadeia alimentar”, sejam chineses, árabes, indios, pretos, ou extra terrestres.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.