Carta aberta pede fim de iniciativas que viram população contra profissionais de saúde

Rodrigo Antunes / Lusa

A carta, assinada por mais de 120 pessoas, apela ao reconhecimento dos direitos dos enfermeiros e defende uma discussão centrada no Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Mais de 120 pessoas assinaram uma carta aberta que pede o reconhecimento dos direitos dos enfermeiros e defende uma discussão centrada no Serviço Nacional de Saúde (SNS), e não em iniciativas que viram a população contra os profissionais de saúde.

Na carta, a que a Lusa teve acesso e que é assinada por personalidades como a ex-ministra da Saúde Ana Jorge, o ex-diretor-geral da Saúde Constantino Sakellarides e o antigo presidente do Instituto Português do Sangue Álvaro Beleza, os subscritores defendem um Serviço Nacional de Saúde forte e soberano.

“O Serviço Nacional de Saúde é o garante do direito fundamental da proteção da saúde a todas as pessoas, sem exceção. O SNS deve ser forte e soberano, não funcionando em SOS, atirando para o privado os que têm capacidade de pagar, e do privado para o público quem deixa de ter essa capacidade”, escrevem.

Na missiva, que partiu de um grupo de profissionais, mas já foi assinada por mais de 120 pessoas, lembram que o SNS “existe para os cidadãos” e não conseguiria manter-se sem os seus profissionais, que o têm defendido “em todos os períodos difíceis que o país atravessou”.

“As profissões que suportam o SNS foram bastante fustigadas durante os anos da troika com a perda de rendimentos, com uma consequente debandada de profissionais para o estrangeiro e com uma excessiva carga de trabalho por falta de recursos”, recordam.

A carta aberta surge no dia em que deveria começar uma nova greve convocada pelo Sindicato Democrático dos Enfermeiros (Sindepor) – que foi suspensa até dia 4 — e defende que é preciso garantir a adequada valorização das competências destes profissionais, a carreira e as progressões, o tratamento igual entre profissionais com diferentes vínculos e a contratação de mais enfermeiros.

“Consideramos ser urgente encontrar soluções que garantam a correção de injustiças relativas e a prevenção de novas injustiças”, referem os subscritores.

Além disso, afirmam ser igualmente “imperativo ir ao encontro das necessidades dos cidadãos e do SNS”, recentrando a discussão, sem permitir que se perca em “questões estéreis” que “acentuam a clivagem entre profissões” ou em “iniciativas que viram a população contra os profissionais de saúde”.

Os signatários da carta – com o título “Construir mais SNS. Com todos e para todos” e que é subscrita também por personalidades da área da Cultura – dizem ainda que são defensores de “um SNS mais forte e com mais qualidade” e que veem com preocupação a instalação de “um clima que em nada beneficia o SNS, os profissionais ou os utentes”.

Na passada quinta-feira, o Governo aprovou em Conselho de Ministros a nova carreira de enfermagem, cuja negociação já levou à realização de duas greves prolongadas e centradas nos blocos operatórios. No mesmo dia, o Sindepor anunciou a suspensão dos primeiros dias da greve, que deveria ter começado hoje, por ter sido marcada nova reunião de negociação com a tutela para dia 4.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Alverca 2-0 Sporting | Leões desinspirados afastados da Taça pelo Alverca

O Alverca surpreendeu hoje o Sporting com uma vitória por 2-0, na terceira eliminatória da Taça de Portugal, tornando-se no primeiro grande «tomba-gigantes» da competição ao afastar o atual detentor do troféu. Alex Apolinário, aos 10 …

A Barbie também arrenda casa no Airbnb

A boneca mais famosa do mundo celebra 60 anos. Agora, a empresa que produz a Barbie, a Matel, tornou a boneca uma anfitriã no Airbnb e vai arrendar uma mansão à beira-mar em Malibu, na …

Os primeiros bebés podem nascer no Espaço daqui a 12 anos

A empresa SpaceBorn United pretende realizar missões espaciais entre 24 e 36 horas para que algumas mulheres dêem à luz em órbita dentro de 12 anos. A notícia é avançada pelo fundador e CEO da empresa, …

Japão importou cinco vírus mortais, incluindo Ebola, por causa de Tóquio 2020

Com os Jogos Olímpicos à porta, um laboratório japonês decidiu importar cinco vírus mortais, nomeadamente Ebola, para fazer frente a um eventual surto durante a competição que vai levar ao país mais de 600 mil …

Empresa anónima quer os direitos do seu rosto para construir robôs (e paga 115 mil euros)

Uma empresa privada anónima está a oferecer 115 mil euros pelos direitos de usar o seu rosto numa nova linha de robôs humanóides. A empresa quer usar a imagem para dar uma cara a um robô …

Empresa está a vender vinho (com flocos de ouro) para celebrar o Brexit

Quando o Reino Unido abandonar a União Europeia, uma saída programada para 31 de outubro, é provável que as pessoas celebrem com um vinho especial com flocos de ouro. Para aqueles que querem celebrar a saída …

Neandertais ocuparam ilhas do Mediterrâneo dezenas de milhares de anos antes do que se pensava

Cientistas descobriram provas de que a ilha de Naxos, na Grécia, já era habitada por neandertais há 200.000 anos, dezenas de milhares de anos antes do que se pensava até agora. Um estudo publicado esta quinta-feira …

Testes "bárbaros" em macacos levam ativistas a pedir encerramento de laboratório alemão

Durante meses, um ativista pelos direitos dos animais trabalhou no Laboratório de Farmacologia e Toxicologia (LPT, na sigla inglesa), em Hamburgo, na Alemanha, onde testemunhou situações de violência contra os animais utilizados em testes e …

Próxima cimeira do G7 vai ser num resort de Donald Trump

A próxima cimeira do G7 será realizada num dos clubes de golfe do Presidente norte-americano, Donald Trump, na Florida, e o clima não constará da agenda de trabalhos, disse esta quinta-feira o chefe de gabinete …

Russos e ucranianos estão em guerra por causa de sopa

A sopa de beterraba é russa ou ucraniana? Um tweet do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Federação Russa veio falar em prato nacional e a reação na Ucrânia não tardou a chegar. O tweet é de …