Os carros vão mudar mais numa década do que mudaram num século

Wei-Te Wong / Flickr

Mercedes F015, apresentado no Taipei International Auto Show de 2016.

Embora a aparência dos carros tenha mudado nos últimos cem anos, a maneira como os conduzimos pouco ou nada mudou. Contudo, acredita-se que na próxima década, além da forma como se movimentam ser diferente, também não seremos nós a conduzi-los.

Alguns carros já têm funcionalidades básicas de automação, mas as experiências feitas atualmente por empresas como a Uber e a Google retratam uma proporção minúscula dos veículos nas nossas estradas. Até 2030, o carro vai passar de apenas ajudar o condutor para assumir o controlo total de todos os aspetos da condução.

Essa automação generalizada deverá transformar a indústria automóvel de uma forma significativa, afetando tudo, desde a aparência e a sensação de conduzir os carros até à maneira como passamos tempo dentro deles.

Experiência de condução muito diferente

A primeira grande diferença que poderemos notar entre os carros de hoje e os de 2030 serão os seus nomes. Assim como a Apple e a Samsung assumiram o mercado dos telemóveis que a Nokia e a Blackberry dominavam, Tesla, Apple e Google podem tornar-se nas marcas de automóveis mais reconhecidas no futuro.

Provavelmente serão também muito diferentes. Exteriormente, as entradas de ar e as grades frontais que refrigeram os motores não serão mais necessárias. Os espelhos retrovisores serão substituídos por câmeras e sensores. As janelas poderão ser maiores para permitir que os passageiros apreciem melhor a vista.

Os interiores dos veículos serão muito mais flexíveis, com alguns a permitir a personalização de cor, luz, privacidade e layout com um simples toque de um botão. O recente conceito 360c da Volvo prevê um espaço multifuncional que pode transformar-se num lounge, escritório ou até mesmo num quarto.

As viseiras de sol vão tornar-se obsoletas, com a implementação de um vidro inteligente que nos permite controlar a quantidade de luz que entra. As portas do F015, um novo conceito da Mercedes, têm telas extra que podem funcionar como janelas ou sistemas de entretenimento.

Muitos carros serão equipados com sistemas de realidade aumentada, que irão dispor imagens geradas por computador no para-brisas. Além disso, os condutores vão poder comunicar com os carros através de comandos de voz ou gesto.

Tecnologia conectiva

A internet das coisas será fundamental para a forma como os nossos carros se movimentam e comunicam com o mundo exterior. Sensores projetados para reconhecer e comunicar com sinais de trânsito, redes de câmeras, pedestres e outros veículos vão permitir uma maior eficiências dos veículos.

Quando os humanos escolhem assumir o volante, a tecnologia alerta os condutores para possíveis colisões iminentes e tenta evitá-los. É provável que as melhorias na tecnologia de sensores térmicos permitam que os carros vejam além da faixa de iluminação dos faróis.

Estas tecnologias podem, portanto, reduzir substancialmente o número de acidentes rodoviários.

Embora os condutores das zonas rurais provavelmente ainda tenham o seu carro próprio, as cidades podem-se afastar desta realidade e passar para um uso de veículos de serviços como a Uber. Em Moscovo, são feitas diariamente 9 milhões de viagens — 30 vezes mais do que no início de 2018.

Combustíveis do futuro

Vários países e cidades anunciaram proibições à venda de novos carros a gasolina e diesel (muitos deles até 2030). Veículos mais antigos ainda serão usados, portanto é improvável que os postos de gasolina desapareçam até essa altura. No entanto, as fabricante de automóveis estão já a concentrarem-se em veículos movidos a energias alternativas.

A incerteza em relação aos carros híbridos bastante populares atualmente serão incluídos na proibição de veículos pode desencorajar empresas e consumidores de investirem nesse sentido.

Os veículos totalmente elétricos representam apenas 2% do mercado global até ao momento, mas com o seu preço a baixar, a sua participação de mercado certamente aumentará.

Depende até que ponto a suficiência e o tempo de carregamento, ainda limitados, podem ser melhorados. Os cientistas estão a trabalhar com o objetivo de resolver as dificuldades de produção e armazenamento que limitam o potencial de veículos movidos a hidrogénio.

O ano de 2030 pode não parecer muito distante, mas uma década é muito tempo para a tecnologia mudar. Em 2008, o primeiro iPhone acabava de ser lançado e as alterações climáticas era uma questão quase desconhecida para os governos e para os media. Agora, a tecnologia e o discurso ambiental estão a mudar a um ritmo sem precedentes.

PARTILHAR

RESPONDER

OE2020. Novas medidas valem mais de 200 milhões de euros

As medidas do Orçamento do Estado para 2020 que o Governo já negociou à esquerda na especialidade têm um impacto estimado superior a 200 milhões de euros. Duarte Cordeiro, secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, referiu, …

Júlio Isidro recebe Medalha de Mérito Cultural

O Governo atribuiu a Medalha de Mérito Cultural ao locutor e apresentador de televisão Júlio Isidro, realçando o “inestimável trabalho de uma vida dedicada” ao audiovisual. A entrega da Medalha de Mérito Cultural foi feita, num …

EUA. Mulher é detida após tentar construir uma bomba numa loja da Walmart

Uma norte-americana foi detida numa loja da Walmart, na Florida, Estados Unidos (EUA), após tentar construir uma bomba dentro do estabelecimento comercial. A mulher, que tinha uma criança consigo, foi identificada pelo segurança quando andava sem …

Simeone reitera confiança em João Félix. "Acreditamos totalmente nele"

O técnico do Atlético de Madrid, Diego Simeone, voltou a falar de João Félix esta sexta-feira, reiterando toda a confiança no avançado de 20 anos. "A Supertaça foi mais um passo de experiência para um rapaz …

Ensino Superior com mais concursos para professores em 2019

As instituições de Ensino Superior abriram, em 2019, mais 948 concursos para a carreira docente do que em 2018, anunciou, esta quinta-feira, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. De acordo com uma nota do …

Paulo Gonçalves. Seguradoras atrasam autópsia e trasladação do corpo para Portugal

Paulo Gonçalves faleceu no domingo, aos 40 anos, na sequência de uma queda sofrida ao quilómetro 273 da sétima de 12 etapas do Rali Dakar. Exigências das seguradoras quanto a despistes toxicológicos ao corpo de Paulo …

Estivadores vão fazer greve em Setúbal e ameaçam fazer o mesmo em Lisboa

O Sindicato dos Estivadores e Atividade Logística (SEAL) revelou esta sexta-feira que vai entregar já na segunda-feira um pré-aviso de greve no Porto de Setúbal e ameaça fazer o mesmo no Porto de Lisboa. “Os trabalhadores …

Segundo maior diamante transforma-se em joias Louis Vuitton

Depois de cortado e polido, o segundo maior diamante da história será transformado numa coleção de joias da Louis Vuitton. A Lucara Diamond encontrou o diamante Sewelo, de 1.758 quilates, na sua mina do Botswana, no …

Filho do presidente da Câmara de Pedrógão Grande "sem memória" no caso da reconstrução de casas

O adjunto do presidente da Câmara de Pedrógão Grande, Telmo Alves, que também é filho do autarca, disse em Tribunal que desconhece o processo de reconstrução das casas ardidas no incêndio no concelho, em 2017, …

Joacine não está inscrita no congresso do Livre

De acordo com o semanário Expresso, a deputada única do Livre não se inscreveu na reunião magna do partido, que se realiza este fim de semana, em Lisboa. A deputada do Livre, Joacine Katar Moreira, e …