“Trabalhador atravessou faixa de rodagem”. MAI diz que carro de Cabrita não se despistou

Tiago Petinga / Lusa

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita

O Ministério da Administração Interna esclareceu que não existia sinalização para alertar os condutores dos “trabalhos de limpeza em curso” na autoestrada A6, no Alentejo, na sexta-feira, quando a viatura do ministro atropelou mortalmente um trabalhador.

Não havia qualquer sinalização que alertasse os condutores para a existência de trabalhos de limpeza em curso” na autoestrada, pode ler-se no esclarecimento enviado hoje à agência Lusa pelo Ministério da Administração Interna (MAI), tutelado por Eduardo Cabrita.

Visando prestar esclarecimentos sobre o acidente de viação que envolveu a viatura que transportava o ministro Eduardo Cabrita, na sexta-feira, na A6, o MAI disse que o veículo “não sofreu qualquer despiste” e “circulava na faixa de rodagem, de onde nunca saiu, quando o trabalhador a atravessa”.

“O trabalhador atravessou a faixa de rodagem, próxima do separador central, apesar de os trabalhos de limpeza em curso estarem a decorrer na berma da autoestrada”, adiantou ainda o ministério.

Sobre outros pormenores, o MAI lembrou que está em curso uma investigação ao acidente, por parte do Núcleo de Investigação Criminal de Acidentes de Viação (NICAV) de Évora da GNR, escusando-se a prestar mais informações.

Em comunicado divulgado na sexta-feira, o MAI anunciou que uma pessoa tinha morrido atropelada na A6, num acidente envolvendo o carro que transportava o ministro Eduardo Cabrita.

“No regresso de uma deslocação oficial a Portalegre, a viatura que transportava o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, sofreu um acidente de viação, do qual resultou a morte, por atropelamento, de um cidadão, na autoestrada A6”, referia o mesmo comunicado.

Fonte do Comando Territorial de Évora da GNR revelou à agência Lusa, igualmente na sexta-feira, que a pessoa atropelada era um trabalhador, de 43 anos, que fazia a manutenção da via.

O acidente nesta autoestrada, que liga Marateca à fronteira do Caia, em Elvas (distrito de Portalegre), ocorreu “por volta das 13:00”, ao quilómetro 77, na zona do concelho de Évora, no sentido Évora – Lisboa, disse a mesma fonte.

Já o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora disse à Lusa, na sexta-feira, que o alerta para o acidente rodoviário foi dado aos bombeiros às 13:14 de sexta-feira.

O homem, trabalhador de uma empresa que realizava trabalhos de manutenção da via, ainda “foi assistido”, mas “acabou por falecer no local”, assinalou a mesma fonte do CDOS.

As operações de socorro mobilizaram 27 operacionais, apoiados por 12 veículos, incluindo meios dos bombeiros, GNR, Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e da Brisa, concessionária da autoestrada.

ZAP // Lusa

 

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Numa autoestrada é muito fácil cometer erros de percepção e avaliação da velocidade dos veículos, por estes circulam a velocidades muito superiores ao que as pessoas estão habituadas. Quero dizer que é muito fácil uma pessoa fazer asneira e decicidir atravessar a autoestrada porque não vê nenhum carro a vir, mas em 2 ou 3 segundos um carro pode aparecer no horizonte e chegar ao local, especialmente se vier a duzentos à hora, e apanha a pessoa a meio da travessia.
    Se calhar voou-lhe o chapéu para o meio da autoestrada e o homem foi lá buscá-lo.
    O inquérito em curso nunca terá como conclusão que o carro do ministro circulava a mais de 120 km/h… mas por alguma razão desconfio que foi esse o caso.
    Um trabalhador experiente normalmente não se deixa apanhar assim.
    O inquérito também não terá como conclusão que o condutor do ministro estava a mexer no telemóvel nem estava bêbado…. mas se não estava distraído, nem bêbado e não ia em excesso de velocidade… porque não travou a tempo? Afinal os condutores dos ministros não são condutores de fim-de-semana.

    • O Zé até parece que nunca se cruzou com um carro destes na AE. Eles andam quase sempre a rondar os 200 km/h. Tanta vez que já me cruzei com eles.

  2. Dificilmente se vai saber o que aconteceu porque estamos a falar de um ministro e seu condutor! E digo isto por várias razões, porque dava má imagem, demonstrava o quão irresponsáveis são nas suas deslocações, que a vida do comum português não vale nada… mas também porque quem está a investigar o acidente é subordinado do ministro!
    Mas vamos lá ver umas coisas : o homem estava a trabalhar e o acidente ocorreu junto ao separador central!
    1 – O homem não devia estar a trabalhar sozinho, logo há testemunhas.
    2 – Se o acidente ocorreu junto ao separador central, o homem foi colhido junto do mesmo pois as marcas na lateral do guarda lamas da frente esquerdo são prova disso mesmo.
    3 – Se o condutor do ministro seguida junto ao separador central, ou seja, na faixa mais há esquerda, ou ia a efectuar uma ultrapassagem ou ia a cometer uma infração ao código da estrada.

  3. Sobre esta questão do carro do cabrito, da velocidade a que vinha, é só fazer contas: a que horas saiu o cabrito da festa da GNR e a que horas se deu o acidente? Querem um desenho? Ademais há que referir que o cabrito por estar calado é porque quer lulas!. Seja Homem e assuma. Só o dignificava! É que de outra maneira não vamos lá!….

    Já não há gente como antigamente, com eles no sítio, para o bem e para o mal!

RESPONDER

UEFA: Paços de Ferreira e Santa Clara ganham com tranquilidade

Equipas portuguesas perto de continuarem na nova Liga Conferência Europa. Pacenses conseguiram mesmo uma goleada. O play-off de acesso à fase de grupos da Liga Conferência Europa deverá ter duas equipas portuguesas. Na primeira "mão" da …

China usa drones e bananas para levar elefantes de volta para casa

Na China, uma manada de elefantes selvagens afastou-se do seu habitat há mais de um ano. Nos últimos meses, uma equipa especial está a tentar fazê-los regressar a casa. Primeiro, pede-se à população que fique em …

A primeira banda de rock de Gaza quer dar voz à dor causada pela guerra

A primeira banda de rock formada em Gaza, na Palestina, quer dar voz à dor causada pelo conflito com Israel. Um contabilista, dois advogados, um agrónomo e um funcionário humanitário suíço. Segundo a agência Reuters, são …

"Fiquei infetado mas não preciso da vacina": atleta olímpico explica a sua postura

Bryson DeChambeau iria participar nos Jogos Olímpicos mas um teste positivo à covid-19 afastou-o de Tóquio. Mesmo assim, recusa tomar a vacina e explica porquê. Bryson DeChambeau iria representar os EUA nos Jogos Olímpicos de Tóquio, …

Hologramas "teleportam" competição olímpica de badminton

Uma empresa japonesa recorreu a tecnologia holográfica para transmitir os jogos de badminton disputados nos Jogos Olímpicos. As partidas foram "teleportadas" para um espaço a 35 quilómetros de onde estavam a decorrer, em tempo real. "Esta …

Aumentam os rumores sobre o estado de saúde de Kim Jong-un

Os rumores sobre o estado de saúde de Kim Jong-un estão de volta, depois de o líder norte-coreano ter aparecido em público com uma mancha escura na parte de trás da cabeça e, posteriormente, com …

Alemão de 84 anos multado por possuir arsenal de armas da Segunda Guerra Mundial

Na terça-feira, um tribunal alemão condenou um homem de 84 anos por porte ilegal de armas. O idoso possuía um arsenal pessoal que incluía um tanque, um canhão antiaéreo e vários outros itens de equipamento …

Nicarágua. Ex-rainha de beleza detida (e libertada) após candidatar-se às eleições

As autoridades de Nicarágua detiveram na quarta-feira, libertando de seguida, a ex-rainha de beleza Berenice Quezada, dois dias após esta se ter registado como candidata nas eleições de 7 de novembro. Segundo a coligação Citizens for …

DGS autoriza competições da FPF com 33% de público

Os jogos das competições organizadas pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF) podem ter uma ocupação de 33% dos recintos desportivos, segundo um parecer técnico da Direção-Geral da Saúde (DGS) a que a agência Lusa teve …

Novas "caixas" transformam eletricidade e areia em painéis solares

A Terrabox é uma espécie "fábrica de células solares" que só necessita de areia e eletricidade. Se for um sucesso, a tecnologia vai à Lua e a Marte. A Maana Electric, uma empresa sediada no Luxemburgo, …