Aberto inquérito-crime ao atropelamento mortal com carro de Cabrita. Não há câmaras no local do acidente

Tiago Petinga / Lusa

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita

A GNR já está a investigar as circunstâncias do atropelamento mortal com um carro onde seguia o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita. Mas o inquérito-crime não poderá contar com imagens das câmaras de video-vigilância no local do acidente, pois a auto-estrada A6 não tem trânsito suficiente para isso.

Nuno Santos, um trabalhador de 43 anos, morreu na sexta-feira depois de ter sido atropelado pelo carro onde seguia Eduardo Cabrita. O BMW conduzido pelo motorista do Ministério da Administração Interna (MAI) atingiu o operário de uma empresa de manutenção que fazia obras na auto-estrada A6 que é gerida pela Brisa.

O Núcleo de Investigação Criminal de Acidentes de Viação da GNR de Évora está agora a investigar o acidente, como é habitual sempre que há vítimas mortais.



A Brisa também abriu um processo interno, segundo o Correio da Manhã (CM), para averiguar o que aconteceu.

A auto-estrada onde ocorreu o acidente não tem câmaras de video-vigilância, uma vez que não terá o “volume de tráfego” suficiente para as instalar, de acordo com os critérios da Brisa, ainda segundo o mesmo jornal.

Assim, a GNR terá que analisar as circunstâncias do acidente com base nos testemunhos de quem o presenciou e nas pistas encontradas no local.

Vítima de 43 anos deixa duas filhas menores

O acidente ocorreu ao quilómetro 77,6 da A6, no sentido Alentejo-Lisboa, por volta da uma da tarde de sexta-feira.

O ministro regressava a Lisboa depois de ter participado na cerimónia de compromisso de honra dos novos militares da GNR no Centro de Formação de Portalegre.

O CM apurou que a vítima se afastou “momentaneamente” do grupo onde estava com outros trabalhadores no separador central e que “atravessou a faixa de rodagem”. Nessa altura, “o motorista de Cabrita foi surpreendido pela presença do homem na via e não conseguiu evitar o atropelamento”, destaca o jornal.

“O trabalhador foi projectado para a vala”, explica ao CM o comandante dos Bombeiros de Estremoz, Carlos Machado.

“No local estiveram 27 operacionais e 12 viaturas. Nós e a VMER do Hospital de Évora prestámos assistência, mas não foi possível reverter a paragem cardiorrespiratória“, acrescenta aquele responsável.

O Ministério da Administração Interna (MAI) já lamentou “profundamente o sucedido”, apresentando “condolências à família da vítima”. O trabalhador deixa duas filhas menores, de 13 e 16 anos.

Mas nem Cabrita, nem o seu gabinete, apresentaram quaisquer explicações públicas sobre o acidente, o que está a ser considerado estranho por algumas pessoas, nomeadamente pelo escritor Rui Zink.

“O ministro Cabrita, um carro oficial, um despiste, uma vítima mortal. A esta hora não devíamos já saber o que aconteceu ao certo?”, questiona Rui Zink numa publicação no Twitter.

ZAP //

PARTILHAR

11 COMENTÁRIOS

  1. E será que alguma vez vamos saber???
    Espero que o trabalhador não venha a ser o culpado ,como uma juiza , a mim , depois de atropelado , afirmou em tribunal, que sabia que eu é que era o culpado .
    Fui atingido por condutor em viatura da
    Caixa agrícola.
    Cuidem-se

      • Coitaaado do aldrabão do Cabrita, despista-se atropela, deixa roubar armas e reage mal, só reage ao fim de 9 meses na morte do Ucraniano, mentiu na AR recentemente… esperem para ver que ainda vai fazer pior, é somente mais um XUXALISTA de um governo minoritário.

    • Tudo te acontece… e, claro que a culpa é sempre dos outros!…
      Mas, já pensaste na probabilidade do trabalhador que atravessou a autoestrada ser culpado da própria morte?

  2. Tendo em conta a velocidade e respectivas infracções permitidas a estes “Deuses políticos” e seus acólitos, o desfecho será uma provável indemnização paga a família com o dinheiro dos contribuintes e tudo continuará na mesma até surgir novo acidente. a vida de um ser humano pouco interessa na urgência de os nossos deuses políticos se deslocarem de um invento a outro ou simplesmente regressar a casa.

  3. Estou a imaginar uma Revolução em que elementos abjectos como Cabrito e KostaVirus são largados em auto estradas impedidos de sair de lá até serem atropelados … Uppps isso era um Circo Romano … mas que bela solução: atirar os Xuxalistas às feras!

  4. Já agora a velocidade do carro, imagino pelo abuso que tenho observado quando estes transportam cabritos desta classe parece que a estrada é toda deles!

  5. Vamos a factos…
    A culpa da morte deve ser do trabalhador, porque deve evitar, para não dizer que não o deve fazer, de atravessar a autoestrada com veículos na mesma, porque o acidente podia ter acontecido com outra pessoa.
    Agora o que deve ser posto em questão é a velocidade em que o mesmo ia, coisa que isso me parece que ia bem acima do que a lei permite.

    Mas no fim, culpa da vítima ou destes cabritas que fazem o que querem sem levar consequências, as vítimas são sempre quem morreu e a família que cá ficou.
    Condolências a família quem em nada tem culpa disto

  6. Penso que este infortunado trabalhador da BRISA, não estava a trabalhar sozinho, não existe câmaras de vigilância no local mas de certeza existem colegas para testemunharem !…..

RESPONDER

Novo método permite eliminar a bioincrustação marinha eficazmente

Um projeto inovador demonstrou como os revestimentos de superfície eletricamente carregados podem eliminar a bioincrustação marinha ou o crescimento de organismos marinhos, melhorando a operação e manutenção de embarcações navais. A bioincrustação marinha é um fenómeno …

Aglomerado de safiras estrela encontrado no Sri Lanka pode ser o maior do mundo

Um aglomerado de safiras estrela do mundo foi encontrado num quintal no Sri Lanka. A pedra é azul, pesa 510 quilos e estima-se que valha cerca de 84 milhões de euros. A pedra foi encontrada …

Médico sírio acusado na Alemanha de crimes contra a humanidade

Um médico sírio foi acusado na Alemanha de crimes contra a humanidade por supostamente torturar e matar pessoas em hospitais militares no seu país de origem, informaram os promotores na quarta-feira. O Ministério Público Federal de …

Justiça climática. Vamos todos sofrer com as alterações climáticas, mas não de forma igual

A recente onda de calor na América do Norte é mais um exemplo de que apesar de ser um problema global, as alterações climáticas não vão afectar todos igualmente e podem exacerbar injustiças sociais e …

Os exemplos que Portugal deve seguir (e evitar) nas últimas etapas da pandemia

No plano apresentado pela equipa de Raquel Duarte comparam-se as estratégias opostas adotadas por Israel e Reino Unido, com a segunda a merecer nota negativa por parte dos investigadores. Os dados foram lançados na reunião que …

Jogos da Taça da Liga de sábado adiados para domingo para poderem ter público

O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) anunciou, esta quinta-feira, que os jogos da Taça da Liga agendados para sábado vão ser adiados para domingo, para que possam ter público nas bancadas. "A Liga, …

Dinamarca enfrenta acção legal por querer repatriar refugiados sírios

O governo dinamarquês quer repatriar sírios naturais de Damasco depois de um relatório mostrar que há zonas da Síria onde a segurança melhorou. A decisão está a ser criticada por activistas e o caso pode …

Pela primeira vez, foi observada luz por detrás de um buraco negro

Um estudo divulgado esta quarta-feira revelou a primeira observação direta da luz por detrás de um buraco negro, através da deteção de pequenos sinais luminosos de raios-X, confirmando a Teoria da Relatividade Geral, de Einstein. Segundo …

Cheias atingem campos no Bangladesh. Pelo menos seis refugiados Rohingya mortos

Pelo menos seis refugiados Rohingya morreram após as cheias inundarem os campos de refugiados em Bangladesh nos últimos dias, destruindo os abrigos de bambu e plástico e deixando pelo menos 5.000 desabrigados, informou o Alto-comissariado …

Defesa de Salgado alega diagnóstico preliminar de Alzheimer do ex-banqueiro

A defesa do antigo presidente do BES, que está a ser julgado por três crimes de abuso de confiança no âmbito da Operação Marquês, pediu ao tribunal uma perícia médica devido ao seu diagnóstico preliminar …