/

Carlos César e filho investigados por alegadas irregularidades em negócios entre o Governo dos Açores e empresas privadas

Manuel de Almeida / Lusa

O presidente do PS, Carlos César

O presidente do PS e deputado socialista, Carlos César, e o filho Francisco César, deputado do PS nos Açores, estarão a ser investigados pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Ponta Delgada.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

De acordo com o Correio da Manhã, que avança a notícia esta quinta-feira, em causa estarão suspeitas relacionadas com irregularidades em negócios que terão envolvido o Governo Regional dos Açores e empresas privadas e a atribuição de subsídios públicos a privados, na altura em que Carlos César foi presidente do Executivo regional.

“Confirma-se a existência do inquérito com o NUIPC 2390/17.7T9PDL, o qual se encontra em investigação, sem arguidos constituídos e sujeito a segredo de justiça”, confirmou o Ministério Público na Comarca dos Açores ao CM.

Segundo o matutino, estarão a ser investigadas suspeitas da prática de crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, abuso de poder e branqueamento de capitais.

O processo envolverá também a investigação de vários empresários açorianos devido eventuais a negócios que terão envolvido apoios do Governo Regional dos Açores. Entre os negócios sob suspeita, estarão investimentos realizados na área da hotelaria.

O inquérito terá sido aberto pelo DIAP de Ponta Delgada em julho de 2017 e já terão sido ouvidas várias testemunhas.

Carlos César foi presidente do Governo Regional do PS entre 1996 e 2012. O filho Francisco é deputado do PS na Assembleia Regional dos Açores desde 2008, tendo sido líder do grupo parlamentar.

Atualmente, Carlos César é presidente do PS desde 2014 e um dos braços direitos do primeiro-ministro António Costa.

  ZAP //

 

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.