Praga de caracóis impede entrada de carros da Mercedes-Benz na Austrália

AfroBrazilian / wikimedia

Caracóis da espécie Xerolenta obvia.

Uma praga de caracóis no interior de carros da marca Mercedes-Benz impediu a entrada dos veículos na Austrália. As 900 unidades foram devolvidas à Europa num caso insólito que representa um prejuízo de 45 milhões de euros para a marca alemã.

Alguns dos 900 carros da marca Mercedes-Benz, incluindo desportivos e limusinas, chegaram à Austrália com caracóis no seu interior. A praga foi detectada por profissionais de bio-segurança em “inspecções de rotina”, como avança o jornal australiano Illawarra Mercury.

O Ministério da Agricultura da Austrália foi imediatamente alertado para a presença do molusco conhecido cientificamente como Xerolenta obvia.

Estes caracóis terrestres encontram-se, habitualmente, no sudeste europeu, em países como Itália, República Checa, Polónia, Eslováquia e Ucrânia, e são considerados pelo Governo australiano “uma praga de importância agrícola e ambiental” que pode afectar a flora e a fauna locais.

Deste modo, os carros ficaram retidos em quarentena, e a sua importação para a Austrália foi suspensa. Foram devolvidos ao porto de origem em Zeebrugge, Bruxelas, na Bélgica, dentro de contentores específicos e após fumigação, para evitar que contaminem outras mercadorias.

A situação representa um prejuízo da ordem dos 45 milhões de euros para a Mercedes-Benz que já anunciou que está a investigar como é que os caracóis se instalaram nos veículos.

Os carros chegaram a diferentes portos australianos, designadamente em Port Kembla, Fremantle, Melbourne e Brisbane, tendo sido transportados por navios diferentes.

Esta espécie de caracol “é conhecida por se alimentar de uma extensa variedade de culturas”, incluindo “alfafa, tremoço, trevo, trigo, cevada e árvores frutíferas”, explica o Departamento da Agricultura da Austrália.

“O seu estabelecimento na Austrália representa um risco de contaminação das culturas por infestações de caracóis e a transmissão de patogénicos vegetais que podem prejudicar o sector agrícola”, refere ainda a entidade.

A espécie pode também estar infectada por “parasitas que não estão presentes na Austrália”, nomeadamente larvas que podem contaminar cabras e ovelhas, representando assim um risco para o gado, como destaca o mesmo Departamento.

Não é a primeira vez que uma espécie animal acarreta problemas para marcas de carros. As marcas Mazda e Toyota já tiveram problemas com aranhas.

Em 2014 e em 2011, a Mazda teve que recolher mais de 90 mil carros devido à presença de aranhas no circuito de alimentação de vários carros. As suas teias podiam provocar fugas de gás.

Em 2013, também a Toyota recolheu 800 mil veículos devido à presença de aranhas nos motores.

  SV, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.