Governo cancelou barragens em 2016 que podiam abastecer o interior

A barragem do Alvito, no rio Ocreza, e Girabolhos, no Mondego, canceladas pelo Governo em 2016, podiam armazenar um total de 764 milhões de metros cúbicos de água.

As barragens do Alvito e Girabolhos, que o Governo cancelou há dois anos, garantiam, em conjunto, o abastecimento de “quase um Castelo de Bode” à população de sete concelhos do interior centro, comparou Rui Godinho, presidente da Associação Portuguesa de Distribuição e Drenagem de Águas, citado pelo Público.

Ambas as barragens faziam parte do conjunto de 10 novas barragens do Programa Nacional de Barragens de Elevado Potencial Hidroelétrico (PNBEPH), lançado pelo Governo de José Sócrates. Em 2016, passaram formalmente a sete, quando o atual executivo cancelou ambas e adiou a de Fridão, por três anos.

“O interior pode ter tudo, até o IRC zero que agora o Governo propõe, mas sem água ninguém vai. A gestão da água é seguramente um dos mais delicados problemas políticos que vamos ter em Portugal, na Península Ibérica e na Europa, nas próximas décadas”, denunciou Rui Godinho.

A barragem do Alvito, de acordo com os cenários de exploração mais favoráveis, poderia chegar a um nível pleno de albufeira de 560 milhões de metros cúbicos e a de Girabolhos aos 204 milhões de metros cúbicos de água.

Em conjunto, seriam 764 milhões de metros cúbicos para populações que sofrem grande escassez de água e com perspetivas de secas cada vez piores.

Alvito (concessionada à EDP) abrangia Castelo Branco e Vila Velha de Ródão, enquanto que Girabolhos (concessionada à Endesa) abasteceria os concelhos de Saia, Gouveia, Fornos de Algodres, Mangualde e Nelas.

De acordo com o jornal, os documentos oficiais do processo refletem a prioridade estratégica do Governo de usar os novos empreendimentos para produção de energia elétrica – daí a sigla PNBEPH -, não sendo vistos como albufeiras de água com interesse estratégico para as populações abrangidas.

No entanto, o estudo inicial avaliou também o potencial de abastecimento de água, chegando a dar nota positiva aos dois locais, com base em vários cenários. Mas esse não era o interesse político e empresarial da altura, pelo que o assunto não passou daí.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. O problema deve ser falta de dinheiro, para barragens que tanta falta fazem (não esquecemos o que se passou em 2017), não ha dinheiro, se fosse um qualquer banco que estivesse aos “berros” por culpa de má gestão, aí, o governo ía a correr injectar dinheiro, mas para infraestruturas nuito necessárias, não há…

  2. Fazer mais barragens não baixaria o custo da eletricidade. Nestes tempos chove em Junho, Maio é Abril e Março é Fevereiro. O futuro meteorológico é incerto. Talvez venham tempestades de água para Portugal, como acontece em outros países que encaram o mar. São muitos milhões para gastar com base em incertezas. Compreendo que existam outras opiniões.

RESPONDER

Adesão ao IVAucher quase duplicou no último mês - mas restauração quer mais medidas

No último mês, quase duplicou o número de contribuintes que se inscreveu no programa que permitirá rebater os descontos acumulados no âmbito da iniciativa IVAucher. De acordo com o Jornal de Notícias, a 23 de agosto, …

Tribunal Europeu dos Direitos Humanos culpa Rússia pelo assassinato de Alexander Litvinenko

Decisão remonta ao incidente de novembro de 2006, que ocorreu num hotel londrino, seis anos após o dissidente político se ter mudado para o Reino Unido, precisamente para fugir às ameaças do regime de Vladimir …

"Tratam-nos assim por causa da cor da nossa pele". Polícias nos EUA filmados a chicotear migrantes

Fotos e vídeos mostram polícias na fronteira a carregar contra migrantes e a usar objectos semelhantes a chicotes. A Casa Branca já condenou a situação e promete que vai investigar o sucedido. Pareciam imagens do tempo …

Benfica: a principal ameaça na Liga dos Campeões será Darwin

Pelo menos é a visão catalã. Benfica é o próximo adversário do Barcelona. Mais um jogo, mais uma vitória. O Benfica só sabe ganhar no campeonato português, para já, e na noite passada venceu em casa …

Estado vai financiar formação de funcionários públicos em universidades e politécnicos

Verbas destinadas ao projeto provêm do Orçamento do Estado e do Plano de Recuperação e Resiliência — cerca de 600 milhões. O Estado vai financiar, inteira ou parcialmente, as formações profissionais dos profissionais públicos, através do …

Sevilha rescinde com jogador por má forma física

O Sevilha anunciou a rescisão de contrato com o defesa-central Joris Gnagnon por falta de profissionalismo relativamente à sua forma física. De acordo com o jornal A Bola, o Sevilha rescindiu contrato com o defesa-central francês …

"O nosso Governo está pronto". Trudeau volta a ganhar as eleições - mas sem maioria absoluta

O líder do Partido Liberal do Canadá (LP) Justin Trudeau disse hoje, depois de ganhar as eleições gerais do país, que os eleitores canadianos escolheram "um plano progressivo" e que está pronto para formar um …

Travar margens nos combustíveis pode acabar por prejudicar os consumidores (e até fechar bombas)

A proposta de lei do Governo aprovada, na semana passada, para a limitação das margens das petrolíferas nos preços dos combustíveis pode acabar por travar a concorrência e até levar ao encerramento de bombas de …

"Nunca se pode tirar Messi" (mas há um gesto que pode explicar a sua substituição)

A substituição de Messi, e a forma como reagiu, no jogo entre o Paris Saint-Germain e o Lyon da Liga francesa, continua a dar que falar. E agora avança-se a possibilidade de o craque argentino …

Médicos querem que norma de isolamento tenha em conta a atual taxa de vacinação

Com o regresso às aulas, médicos de saúde pública defendem a revisão da norma referente ao isolamento de contactos de risco, para que esta tenha em consideração a elevada taxa de vacinação. O ano letivo arrancou …