A Terra teve um campo magnético primitivo (e é mais forte do que se pensava)

Uma equipa de cientistas da Universidade de Rochester, nos Estados Unidos, encontrou evidências que sugerem que o campo magnético primitivo que se formou à volta da Terra é mais forte do que os especialistas pensavam.

A nova análise, cujos resultados foram esta semana publicados na revista científica PNAS, sugere que a Terra possuía um campo magnético há 4,2 mil milhões de anos, sendo este especialmente forte entre 4,1 e 4 mil milhões de anos.

Nesta altura, sustentam os cientistas, o “escudo magnético” da Terra era gerado por reações químicas no interior do planeta, que acabaram por arrefecer após a sua formação.

O processo que alimentava o campo magnético primitivo é diferente do de agora: atualmente, o campo magnético é gerado pelo movimento no núcleo de ferro líquido da Terra; este campo é invisível, mas crucial para a vida na Terra, uma vez que protege o nosso planeta de partículas perigosas oriundas do Sol.

“Acreditamos que o campo magnético preservou a habitabilidade planetária em dois momentos-chave da história da Terra: o Hadeano e o mais recente Ediacarano, há cerca de 565 milhões de anos, quando o campo magnético entrou em colapso quase completo antes do início do crescimento do núcleo interno”, explicou John Tarduno, o cientista que liderou o estudo, citado pelo portal Newsweek.

“A nossa hipótese sustenta que o campo era inicialmente forte, mas, ao longo de mil milhões de anos, tornou-se gradualmente mais fraco à medida que o dínamo se tornou menos eficiente. Depois, o núcleo interno começou a crescer e o campo voltou a ganhar força. Atualmente, estamos a recolher dados de fontes em tudo o mundo para rastrear esta história”, revelou o especialista.

De olhos postos na habitabilidade de outros mundos

A investigação, além de trazer novas informações sobre o “escudo” magnético da Terra, pode ajudar a comunidade científica a perceber se existem outros planetas no Sistema Solar com condições para abrigar vida. “Esta investigação diz-nos algo sobre a formação de uma planeta habitável“, diz Tarduno, citado pelo portal Phys.org.

O especialista recorda a teoria que defende que Marte, tal como a Terra, já teve um campo magnético no início da sua história planetária. No entanto, o campo do Planeta Vermelho entrou em colapso total, não sendo capaz de gerar um novo.

“Assim que Marte perdeu a sua ‘blindagem magnética’, perdeu a sua água (…) Mas ainda não sabemos porque é que o campo entrou em colapso. A ‘blindagem magnética’ inicial é realmente importante, mas também estamos interessados na sustentabilidade de um campo magnético. Este estudo fornece-nos mais dados para descobrir o conjunto de processos que mantêm o escudo magnético da Terra”, rematou.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Crónica ZAP - Nota Artística por Nuno Miguel Teixeira

Nota artística: pouco Festival no FC Porto-Sporting

https://soundcloud.com/nuno-teixeira-264830877/fc-porto-0-0-sporting-o-musical Está bem: Futebol Clube do Porto contra Sporting Clube de Portugal. Segundo classificado recebe o líder. Jogo que pode praticamente definir o novo campeão nacional de futebol. O encontro é naquele estádio junto ao centro …

Índia e Paquistão comprometem-se a respeitar cessar-fogo em Caxemira

Na quinta-feira, o Paquistão e a Índia alcançaram um acordo para fazer cumprir o cessar-fogo na região de Caxemira, reivindicada pelos dois países. A fronteira entre ambos é palco frequente de ataques que deixam soldados …

Governo quer rever norma da dádiva de sangue que exclui homossexuais

O Governo determinou, esta segunda-feira, a constituição de um grupo de trabalho para rever a norma que exclui dadores "por comportamento sexual". De acordo com o SAPO24, o Ministério da Saúde determinou a constituição de um …

Governador de Nova Iorque volta a ser acusado de assédio sexual

O governador de Nova Iorque, Andrew Cuomo, foi acusado por outra ex-assessora de assédio sexual, que foi sua assistente executiva e conselheira de políticas de saúde até novembro do ano passado. Segundo noticiou no sábado o New …

Francisco Assis alerta Governo para riscos das raspadinhas

O presidente do Conselho Económico e Social (CES), Francisco Assis, vai promover um estudo sobre o impacto social do vício da raspadinha e informar o Governo, na esperança de que este repondere o lançamento da …

Mais de 75% dos refugiados sírios podem sofrer de stress pós-traumático

Mais de três quartos dos refugiados sírios podem estar a sofrer de distúrbios mentais, como transtorno de stress pós-traumático (TEPT), dez anos após o início da guerra civil no país. De acordo com um artigo do …

AVC foi a principal causa das 112.334 mortes em 2019

As doenças circulatórias foram as principais causas das 112.334 mortes verificadas em Portugal em 2019, divulgou esta segunda-feira o Instituto Nacional de Estatística, assinalando que a mais mortífera foi o acidente vascular cerebral (AVC). Em 2019, …

Iémen irá enfrentar a pior fome já vista nas últimas décadas. Guterres implora por generosidade

De acordo com a ONU, a situação humanitária no Iémen é muito grave e o país irá enfrentar a pior fome à qual o mundo já assistiu. Esta situação pode ser revertida se os seus …

"Um erro histórico". Tratado assinado em Portugal incentiva aquecimento global

Um tratado assinado em Lisboa concede um grande poder às empresas de energia para processar os Estados caso se sintam prejudicadas por políticas climáticas. O Tratado da Carta da Energia (TCE) é um acordo internacional assinado …

Jornalistas estrangeiros denunciam "declínio da liberdade" na China

A China utilizou as medidas para controlar o coronavírus, a intimidação e restrições de visto para limitar a cobertura jornalística estrangeira em 2020, dando início a um "rápido declínio da liberdade na media", denunciou o …