Câmaras de Inteligência Artificial podem ser a solução para evitar tiroteios

Câmaras de videovigilância com Inteligência Artificial podem ser a solução para pôr um fim aos tiroteios. Esta tecnologia é capaz de detetar armas de fogo e avisar logo de seguida as autoridades.

Com as dificuldades em encontrar um consenso político em relação ao controlo de armas de fogo nos Estados Unidos, uma nova solução é requerida. A Inteligência Artificial, entre as suas muitas utilidades, pode também desempenhar um papel crítico para travar os tiroteios em massa que têm assombrado, principalmente, os norte-americanos.

Empresas como a Athena Security e a Aegis AI são criadoras de tecnologias capazes de identificar armas de fogo e, imediatamente, alertar a polícia. Além disso, esta tecnologia de Inteligência Artificial não é somente aplicada para evitar tiroteios, mas também para ajudar a acabar com a violência com armas em geral.

A Athena Security usa um sistema de deteção de movimento de objetos para saber quando um criminoso puxa de uma arma de fogo. Em apenas uma questão de segundos, as autoridades ou a empresa de segurança privada é alertada. A tecnologia da Athena pode ser aplicada em qualquer CCTV, não sendo por isso necessário equipamento especializado.

(dr) Athena Security

“Enviamos um alerta eletrónico para o 112 e eles têm um link e veem exatamente o que está a acontecer durante o crime”, explica Lisa Falzone, co-fundadora da empresa. “Muitas forças policiais testaram a tecnologia. Criamos um algoritmo realmente preciso para alcançar mais de 99% de precisão“.

Entre as várias entidades que já usam esta tecnologia, está uma bem familiar: a mesquita de Al-Noor, em Christchurch, na Nova Zelândia. Em março, pelo menos 49 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas após uma ataque a duas mesquitas na Nova Zelândia, sendo uma delas a de Christchurch. Algumas escolas também já adotaram o sistema.

Para Falzone, todos os segundos contam e a forma como a polícia recebe as informações, hoje em dia, é através de muito pânico. “As pessoas ligam para o 112, e ficam a pensar que são várias lojas e não têm ideia de onde está o atirador e demoram muito tempo a encontrá-lo”, explicou.

“Dar à polícia informações precisas é tão crítico para o tempo de resposta. Cada segundo conta. Se você conseguir que a polícia chegue 30 segundos mais rápido, vidas serão salvas”, disse, citada pelo Fast Company.

David Chipman, da Giffords Law Center to Prevent Gun Violence, uma firma de advocacia que apela ao controlo de armas de fogo, partilha a mesma opinião e visiona uma câmara de deteção de armas, a que chama de “detetor de metais 3.0”. Escolas, empresas, estádios, centros comerciais e muitos outros poderiam beneficiar desta tecnologia.

“Temos que ter tecnologias que ajudem a policia a prevenir crimes em vez de responder depois de acontecerem”. No entanto, reconhece que há problemas com esta tecnologia. Algumas pessoas de estados norte-americanos que permitem o porte oculto de armas de fogo poderiam alegar que estes sistemas de deteção são uma invasão à sua privacidade.

Outro dos problemas poderá ser a nível financeiro. Enquanto cidades como Nova Iorque têm um orçamento capaz de instalar esta tecnologia em vários espaços, outras cidades não conseguiriam cobrir esse investimento. “Alguém vai ter de passar este cheque”, atirou Chipman.

Por enquanto, apesar de algumas empresas e outros espaços já adotarem esta tecnologia, conseguir a sua implementação mais globalizada é ainda um desafio, até mesmo dentro dos Estados Unidos.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Estivadores do Porto de Lisboa iniciam greve de três semanas

Os estivadores do Porto de Lisboa iniciam, esta quarta-feira, uma greve de três semanas em protesto contra os salários em atraso e incumprimento dos acordos celebrados por parte da Associação de Empresas de Trabalho Portuário …

Michael Vang. Passou despercebido por Portugal, mas carrega os sonhos de toda uma etnia

Michael Vang é dos pouquíssimos jogadores de origem Hmong a jogar futebol profissionalmente. Agora nos Estados Unidos, o jovem teve uma passagem apagada por Portugal. Os Hmong são um grupo étnico asiático originário das regiões montanhosas …

Há pessoas sem a parte olfativa do cérebro que conseguem cheirar (e cientistas não sabem porquê)

Cientistas encontraram casos em que as pessoas não tinham bulbo olfativo, a parte do cérebro responsável pelo olfato, mas mesmo assim conseguiam cheirar. Anosmia consiste na perda total ou parcial do olfato e esta é uma …

Cientistas detetam estranhos movimentos de gás na Via Láctea (em redor de algo "invisível")

Os astrónomos detetaram movimentos de nuvens de gás incomuns perto do centro da Via Láctea, que podem sugerir a presença de um desconhecido buraco negro de classe intermediária. Os investigadores que rastrearam os gases no centro …

Hackers podem facilmente piratear satélites (e transformá-los em armas)

Piratear satélites pode não ser assim tão complicado quanto pensamos. Os hackers podem simplesmente desligá-los ou até mesmo usá-los como armas. No mês passado, a SpaceX tornou-se a operadora da maior constelação de satélites ativos do …

Gelo a cair num buraco faz barulhos estranhos (e parece uma batalha de lasers)

Alguma vez pensou o que se ouve quando deixamos cair gelo num buraco gelado profundo? Já não precisamos de pensar mais - e já podemos ouvir. O vídeo do pedaço de gelo a cair num buraco …

Tribunal recusa exumar corpo. Rosa Grilo conhece sentença a 3 de março

A leitura do acórdão no processo do homicídio do triatleta ficou agendada, esta terça-feira, para o dia 3 de março. De acordo com o Diário de Notícias, a defesa de Rosa Grilo pediu a exumação do …

Revelados documentos que provam a investigação de OVNIs por parte do Pentágono

Documentos recentemente divulgados mostram que o Departamento de Defesa dos Estados Unidos (EUA) financiou estudos sobre Objetos Voadores Não Identificados (OVNI's), contradizendo declarações recentes do Pentágono. Em 2017, o New York Times revelou a existência de …

"Nem sei onde é Alcochete". Pinto da Costa ouvido como testemunha de Bruno de Carvalho

O presidente do FC Porto foi ouvido, esta terça-feira, como uma das testemunhas do ex-dirigente leonino no julgamento da invasão à academia do Sporting, em Alcochete, que está a decorrer no tribunal de Monsanto, em …

A nova obra de Banksy só durou dois dias

A nova obra do artista britânico Banksy, que apareceu na véspera do Dia dos Namorados em Bristol, foi coberta por um grafite cor-de-rosa dois dias depois. A imagem de uma menina a atirar flores vermelhas com uma …