Segunda noite consecutiva de destruição e vandalismo em Lisboa

Mário Cruz / Lusa

A direção nacional da PSP contabilizou 24 ocorrências relacionadas com o incêndio de caixotes do lixo na Grande Lisboa e em Setúbal, entre a noite de terça-feira e as cerca das 02h30 desta madrugada.

Numa atualização dos registos, fonte da direção nacional indicou à Lusa que na Bela Vista, no concelho de Setúbal, houve oito ocorrências com caixotes do lixo incendiados, enquanto em Massamá e em Queluz, no concelho de Sintra, distrito de Lisboa, ocorreram seis incidentes semelhantes.

No concelho de Loures, no mesmo distrito, houve ainda uma tentativa de incendiar um automóvel, mas a resposta das autoridades impediu que os danos fossem relevantes.

Não há registo de feridos ou de outros estragos, assim como não há detidos devido aos incidentes desta noite, que se registaram a partir das 22h00 de terça-feira. Pelas 01h30, a PSP indicou que o policiamento tinha sido reforçado na Bela Vista e na área de atuação da divisão de Sintra.

Os focos de incêndio, referiu a fonte da direção nacional, foram observados “pontualmente, em ruas diferentes”, sem que houvesse “ajuntamentos, manifestações”. Em alguns casos, foi a própria PSP a apagar o fogo, noutros foi necessária a atuação dos bombeiros.

A polícia tinha já dado conta, na terça-feira, de um reforço do policiamento com elementos da Unidade Especial de Polícia na Bela Vista e em algumas zonas de Loures e Odivelas, após incidentes registados durante a noite, com o lançamento de cocktails Molotov contra uma esquadra e o incêndio de caixotes e de várias viaturas.

Em comunicado, a PSP informou que continua as investigações a estes incidentes, “nada indiciando, até ao momento, que estejam associados à manifestação” de protesto contra uma intervenção policial no bairro da Jamaica, no Seixal.

Após a manifestação em frente ao Ministério da Administração Interna na segunda-feira, em Lisboa, quatro pessoas foram detidas na sequência do apedrejamento de elementos da PSP por participantes no protesto, convocado para dizer “basta à violência policial” e “abaixo o racismo”.

Este protesto ocorreu um dia depois de incidentes em Vale de Chícharos, conhecido por bairro da Jamaica, entre a PSP e moradores, de que resultaram feridos cinco civis e um polícia, sem gravidade. O Ministério Público e a PSP abriram inquéritos aos incidentes no bairro da Jamaica.

Os quatro manifestantes detidos em Lisboa vão ser julgados sumariamente no dia 7 de fevereiro.

// Lusa

PARTILHAR

17 COMENTÁRIOS

  1. Resultado do comportamento “normal” dos chamados ciddaões exemplares que acusam a polícia de os maltratar… pois é… e els podem destruir tudo em nome da educação e do seu bem querer no país que os acolhe… Valha-nos Deus…

    • ainda hoje o jornal PUBLICO, afecto ao bloco de esquerda, está cheio de artigos a apoiarem os selvagens que querem pôr o país a ferro e fogo
      a culpa não é da Jamaica mas de quem os manobra
      o agitador profissional parece que recebe 2.500 euros mensais do BE

  2. espero bem que as meninas e meninos da extrema esquerda que têm andado a deitar gasolina para a fogueira venham a ser responsabilizados a par desta gente tão civilizada.

    • B.E. com meninas e meninos!!! Eu direi gentalha de género alterado. Mas no dia que um dos protegidos desta cambada enfiar a um deles ou delas um arraial de porrada aí direi força na canjica pois só se perdem as caiem no chão. Mas estou em crer que o mais certo é eles enfiarem-lhe uma coisa diferente .

  3. Em França [P.F. nãonfundir com os coletes amarelos!] já tem havido pior! Têm espancado polícias com ferros e incendiado carros de patrulha com agentes lá dentro!
    Aguardemos a evolução de mais este «presente» da JERICOnsa!

  4. Isto é apenas um treino de turras, possivelmente estarão a treinar para ir impor mais uma ideologia comuna nalgum país africano se é que haverá algum com falta dela, depois restar-lhes-há fugir novamente porque a situação ficará insuportável.

  5. Estou acompanhando a situação no vosso país.
    A esquerda tem o mesmo comportamento em qualquer lugar.
    Tivemos no Brasil as mesmas atuações e ainda pior, professores doutrinaram jovens que não tem interesse em buscar a verdade.
    A modia não nos conta a verdadee são os grandes produtores das intrigas. Cuidado povo português, olhos atentos ao governo com o rigor da fiscalização, se deixar passar muito tempo pode ser tarde, vide exemplo do nosso país vizinho a Venezuela.

  6. Em Angola a comunidade portuguesa é duas vezes maior que a a comunidade angolana em Portugal… em Angola os “abençoados” têm o do melhor, já o contrário não é verdadeiro…. enfim!

    • Mas se calhar, os portugueses em Angola, estão lá a trabalhar (e a viver civilizadamente), já boa parte dos angolanos em Portugal é o que se sabe…

    • Em vez de se queixar, que o Estado Angolano eduque os angolanos para fazer o trabalho que os portugueses estão a fazer em Angola, e assim já não precisavam dos portugueses para nada … só com o dinheiro que a família Dos Santos gastou em relógios e outras coisas, dava para isso e para muito mais.

      E por muito má que seja a vida dos angolanos em Portugal, ainda é muito melhor do que estivessem em Angola, por isso é que eles não se vão embora … e em Angola não se podem queixar de racismo.

  7. Os portugueses estão REVOLTADOS com tanta CORRUPÇÃO IMPUNE. Uns roubam Milhares de Milhões a PORTUGAL e não lhes acontece nada. Os outros – o povo português humilde – pagam, sem escolha, mesmo os que ganham 600€ por mês. Isto vai ter um fim meus caros.

Responder a rahul Cancelar resposta

Retificação ao diploma do lay-off simplificado trava despedimentos

Uma retificação ao diploma inicial do ‘lay-off’ simplificado, hoje publicada, vem acautelar que nenhum trabalhador de empresas que recorra a este apoio pode ser alvo de despedimento coletivo ou extinção de posto de trabalho. O decreto-lei …

Rocha desafia teoria da escassez de oxigénio na Terra primitiva

Uma rocha sedimentar única rica em carbono, depositada há dois mil milhões de anos, deu aos cientistas novas pistas sobre as concentrações de oxigénio na superfície da Terra nessa época. De acordo com a agência Europa Press, …

As bactérias formam comunidades na nossa língua (e uma imagem revela como)

Cientistas norte-americanos descobriram que as bactérias que vivem na nossa língua têm uma organização complexa e altamente estruturada. Os micro-organismos estão em toda a parte - até no interior da nossa boca. Um novo estudo revela …

Como sobreviver ao isolamento? Astronautas explicam

Em todo o mundo, cidades e até países inteiros estão em quarentena como forma de travar a propagação do novo coronavírus, Covid-19. Alguns astronautas deixaram conselhos sobre como sobreviver ao isolamento. Para alguns, o auto isolamento …

"Indiana Jones do mundo da arte" recupera manuscrito do poeta persa Hafez

Uma das primeiras cópias do reverenciado Divan do autor do século XIV Hafez, iluminado com ouro, será leiloado no início de abril. O famoso poeta persa do século XIV, Hafez, escreveu uma coleção de versos místicos …

O palco onde os Beatles atuaram pela primeira vez está à venda

O palco de madeira onde os Beatles atuaram pela primeira vez está à venda. Agora, alguém poderá replicar o primeiro concerto da famosa banda. A 10 de abril, em comemoração dos 50 anos da separação da …

Células estaminais podem ajudar a proteger os astronautas da radiação espacial

Assim que os astronautas deixam a proteção do campo magnético da Terra, ficam automaticamente expostos a níveis elevados de radiação cósmica. A Agência Espacial Europeia (ESA) está cada vez mais focada em investigações para reduzir …

Pandemia pode trazer nova geração de robôs capazes de realizarem tarefas perigosas

A pandemia de Covid-19 pode trazer uma nova geração de robôs capazes de realizarem tarefas perigosas como limpeza de superfícies infetadas ou vigiar pessoas em quarentena, afirmam esta quarta-feira alguns dos principais investigadores internacionais em …

Multimilionários refugiam-se da Covid-19 a bordo de iates

Vários multimilionários têm procurado refugiar-se da pandemia de Covid-19, que nasceu em dezembro passado na China, em alto mar, a bordo de iates de luxo. Em declarações ao jornal The Telegraph, Jonathan Beckett, executivo da …

Este mamífero consegue sobreviver a quase sete mil metros de altura

Cientistas pensam ter confirmado que um pequeno rato descoberto no vulcão Llullaillaco, nos Andes, é o mamífero que consegue viver à maior altitude já conhecida (6739 metros). Segundo o IFLScience, o Phyllotis xanthopygus rupestris foi descoberto, …