/

Jornal avança que Julen foi encontrado. Governo desmente

EPA / Malaga Fire brigades

O pequeno Yulen, de 2 anos, caiu por este poço em Totalán, Málaga.

O corpo do pequeno Julen, de 2 anos, que caiu num poço em Málaga, terá sido encontrado a 73 metros de profundidade, segundo avança o jornal El Español. Mas o Governo espanhol não confirma.

De acordo com o El Español, “encontraram o corpo do menor no tampão de terra a 73 metros de profundidade” durante as escavações feitas nesta quarta-feira de manhã.

O diário aponta que uma das empresas encarregues do resgate “introduziu um feixe que, no tampão de areia – de cerca de 7 metros de profundidade – localizou o corpo da criança”.

Esta informação não está, contudo, oficialmente confirmada, com as autoridades oficiais a admitirem que a criança pode ainda estar viva.

O Serviço de Emergências da Andaluzia aconselha mesmo a que não difundam “notícias falsas” e a que só tenham como certas as informações de fontes oficiais.

O delegado do Governo espanhol na Andaluzia, Alfonso Rodríguez Gómez de Celis, destaca citado pelo MalagaHoy.es que dentro de “menos de 48 horas” se espera poder detectar o bebé, graças a dois túneis que estão a ser escavados, “um em paralelo com o poço” onde se acredita que está a criança e “outro que irá oblíquo, na horizontal”.

Encontrado cabelo do bebé

Entretanto, as equipas de resgate encontraram cabelo de Yulen entre o material sólido que foi extraído do poço, que passou por um teste de ADN e que foi comparado com o dos familiares do menino.

De acordo com as mesmas fontes, isto implica que a prioridade da operação seja continuar a extrair material sólido do estreito buraco onde o menino caiu e que tem mais de 100 metros de profundidade.

O diretor da Guarda Civil, Felix Azón, explicou esta quarta-feira aos jornalistas que a família já foi informada de que foram encontrados vestígios biológicos que têm “altíssima possibilidade de serem da criança”.

“Isso leva-nos a confirmar a estratégia de sugar o poço para tentar chegar ao lugar onde a criança está”, disse Azón, que, no entanto, insistiu que se mantêm em cima da mesa todas as outras opções de resgate.

Foram iniciados trabalhos alternativos, como a construção de dois túneis, um paralelo ao poço e outro oblíquo, para tentar chegar ao local onde as autoridades julgam estar Yulen, a 80 metros de profundidade.

Uma centena de pessoas participam da operação de resgate da criança desde as 14h00 de domingo, quando o pai do menino e o serviço 112 avisaram a Guarda Civil que tinha caído no poço, um buraco para prospeção e busca de água naquela zona de serra.

Para o local foram destacados elementos do serviço 112, do Consórcio Provincial de Bombeiros, Proteção Civil, a Equipa de Resgate e Intervenção de Montanha de Álora e Granada, submarinistas e bombeiros de Málaga. Algumas empresas privadas estão a ajudar nas buscas fornecendo equipamento para tentar localizar a criança.

A criança caiu no poço no domingo à tarde. Os pais do menino estavam a preparar uma paella num convívio familiar e não terão conseguido evitar que caísse num poço que não estava tapado, nem sinalizado.

Os familiares reportaram às autoridades que ouviram a criança chorar aquando da queda, mas depois permaneceu o silêncio. Até agora, o único sinal da criança que foi encontrado foi o saco de rebuçados que levava, graças a uma câmara que é habitualmente usada para inspecionar canalizações.

O buraco é demasiado estreito para permitir que alguém desça para tentar o resgate. E as autoridades temem que o menino possa estar por debaixo de “um tampão de terra” formado como “resultado de um desprendimento” do solo. A sub-delegada do Governo de Málaga referiu que os trabalhos são “muito complicados”.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.